quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Famílias estão sendo retiradas de terreno invadido em Trizidela do Vale


Na sessão da Câmara de Trizidela do Vale, realizada no dia 19 de agosto de 2015, o legislativo analisou um Projeto de Lei enviado pelo prefeito Fred Maia, solicitando autorização para o Município adquirir um terreno de sete (7) hectares para alocar as famílias que invadiram um terreno particular, atrás do Hospital Municipal de Trizidela do Vale. A pedido do proprietário, Edmilson Pinheiro, a Justiça local concedeu a reintegração de posso do terreno invadido; portanto, essas famílias seriam desalojadas da propriedade cedo ou tarde.

Estranhamente, os vereadores Chicutinha, Belmiro, Lúcia da Farmácia, Roberlande, Luciene Aguiar e Dalci votarão contra este projeto naquela sessão. Sem esses votos, o Projeto não foi aprovado.
Repórter e apresentador Coutinho Neto esteve hoje no local
Hoje, dia 18, as 30 famílias que estavam morando no terreno invadido estão sendo retiradas do local pela Polícia Militar e não tem para onde ir. Em vista do ano eleitoral, a legislação não permite que a Prefeitura compre terrenos para doar a essas famílias.

Diante dessa situação calamitosa, ficam algumas perguntas para serem respondida pelos ilustres vereadores que votaram contra a aquisição do terreno: para onde vão essas famílias? Aonde vamos parar com esse tipo de política destrutiva que prejudica principalmente os mais humildes?
Continua...


O prefeito Fred Maia lamenta a situação de abandono dessas famílias, em decorrência da atitude de alguns vereadores que rejeitaram a compra do terreno, um local onde elas poderiam construir suas moradias regularizadas e dignas.

“Eu fiz a minha parte, eu propus comprar o terreno no tempo hábil, ainda em 2015, porem fui barrado por alguns vereadores sem compromissos, em especial, os vereadores Luciene e Dalci que iludiram o povo com mentiras. Agora, as famílias estão na rua, sem ter para onde ir”, queixou-se o prefeito.

De acordo com o prefeito Fred Maia, foi especificado no Projeto de Lei do Executivo Municipal em agosto de 2015 que, o terreno que seria comprado pelo Município, se transformaria em um novo bairro, onde seriam alocadas 38 famílias que estavam ocupando o terreno invadido atrás do Hospital Municipal. O restante dos lotes seria doado à população carente da cidade para construção de cem (100) casas populares; e 1.5 hectares seria doado ao Corpo de Bombeiros; este terreno seria para construção do galpão e sede da unidade que está implantada na cidade.

Portanto, mais de cem famílias carentes seriam beneficiadas com terreno para construção da casa própria e um excelente local para edificar a sede do Corpo de Bombeiro de Trizidela do Vale.

A realidade é que dezenas de famílias, crianças, idosos, estão sendo expulsas do terreno hoje.


6 comentários:

  1. Ministério Público,em defesa do povo, órgão que é o fiscal da LEI, e que também tem autonomia podendo agir independentemente, sem a necessidade de ser provado, veja a proposta do Prefeito que está sendo honesto e querendo ajudar esse povo tão sofrido, ajude a alocá-los em local digno e seguro.

    ResponderExcluir
  2. O blog fez um acompanhamento amplo da matéria.
    O Legislativo tem autonomia. Tudo bem.
    Mas o Judiciário, será se não vai ajudar o prefeito? Mais uma vez.
    Almejamos uma Trizidela melhor!

    ResponderExcluir
  3. que conversa é essa de que o prefeito tá sendo honesto,o prefeito é o unico responsavel,agora fica querendo jogar a culpa nos vereadores.

    ResponderExcluir
  4. a culpa é de meia duzia de vereadores burrocratas

    ResponderExcluir
  5. Muito triste essa situação.

    ResponderExcluir
  6. Jumentinho puxa saco tu é burro cara, o terreno é de particular então o dono ingressou com uma reintegração de posse e foi cumprida. Que culpa tem o prefeito ? Não do lado de A ou B apenas vejo a verdade nua e crua e dou meu ponto de vista.

    ResponderExcluir