segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Uma história triste que se passa em Pedreiras


VIDA DE CÃO, MUNDO INJUSTO!
 
Tarde de domingo de sol escaldante, nesse dia 21 de fevereiro de 2016, no centro da cidade de Pedreiras, a terra do poeta e compositor que cantou a vida pobre e sofrida do seu povo, João do Vale e, eis que em uma cadeira branca, de plástico, um homem sentado na calçada de um prédio ver a vida passar, e no seu triste e sofrido olhar uma luz brilhante reluz ainda esperança de dias melhores.
 
Quem mora em Pedreiras e passa todos os dias pela Avenida Abilio Monteiro, precisamente na altura da garagem da empresa Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e SP Pneus, já deve saber de quem estou falando ou com certeza já viu esse senhor, que todos os dias, faça sol ou chuva, dia e noite, lá está ele sentado, como um escravo que vigia o tempo passar.
Continue lendo essa história da vida real...


Tudo tem seu tempo e sua hora. Há dias que eu vinha no desejo de parar e conversar um pouco com ele. E, finalmente, hoje foi o grande dia. Fui até o seu encontro. Dei-lhe boa tarde e como quem não queria nada comecei de forma investigativa e curiosa a conversar com aquele homem.

E, aos poucos, paulatinamente, fui tirando dele informações sobre a sua vida e sua condição paupérrima e desumana de vida. Seu nome é Lourival Pereira Silva, tem 48 anos de idade, nasceu em Pedreiras no Alto da Rói Couro, tem família em Pedreiras, mas confirmou que tem passado muitas dificuldades porque há tempo que está desempregado, sem ter uma casa para morar e tem vivido de fazer alguns "bicos" quando aparece. Disse que sua profissão é reformar bateria de carro, profissão que aprendeu na fábrica das Baterias Moura quando morou em São Paulo.

Segundo Lourival, conhecido também por "barbudo", aqui em Pedreiras ele trabalhou com baterias de carro no auto posto São Cristovão do senhor Anacleto Chagas, mas foi desativado e ele ficou desempregado e nunca mais conseguiu se firmar em outro emprego do mesmo ramo.

Alegou que não tem esposa e nem filhos, embora já tenha sido casado. Disse que a dona Maria Do Socorro Leite, esposa do Valdeci da Melodisc, foi muito generosa com ele, autorizou ele a fazer um barraco em um terreno que fica por trás da Faesf, mas avisou-o que o mesmo estava em questão judicial, que tão logo pideria ser requerido pelo dono. Fez nesse terreno um barraco, mas disse que por ser isolado na época, usuários de droga tentaram lhe matar. Depois, os mesmos vândalos tocaram fogo no barraco e destruíram tudo seu.

Com a generosidade do senhor Monteirinho, disse que está alojado em um quiosque de ferro, que fica localizado sobre a calçada da garagem da empresa Nossa Senhora Perpetuo Socorro. Com a sua permissão, fiz imagens suas e do local onde está improvisado e vivendo como um cachorro, um espaço de um metro e meio quadrado que não dá para colocar um colchão e nem armar uma rede.

Duro mesmo e doeu na alma foi ouvir de Lourival Pereira que me disse que ainda não tinha tomado café e nem almoçado hoje. Conseguiu com muito esforço, pedindo um a outro, R$. 5,00 (cinco reais) para ver se comia alguma coisa.

Pelas suas conversas, pelo seu passado e pela forma que ele conta a sua vida, é um cidadão de bem, que não tem nada em seu currículo de vida que o desabone. É um homem ainda novo que há um bom tempo vem tentando encontrar uma luz no fim do túnel.

Essa é mais uma história real entre tantas tristes realidades que têm nos envergonhados e nos colocado em um patamar de miséria, de vivermos em uma sociedade injusta, desigual e hipócrita, na qual os responsáveis, às vezes, estão tão obcecado pelo poder e riqueza que não enxergam a miséria, a dor, a fome e os farrapos humanos que perambulam pelas calçadas.







Casebre onde mora o seu Lourival 






Joaquim Filho

6 comentários:

  1. Que estória triste e comovente Carlinhos, dá um bom filme digno de Oscar, leva pra ROLIUDE. Acho que vou chorar... bua bua bua bua bua!!!!

    ResponderExcluir
  2. Ainda existe pessoas capazes de ficar com ironia quanto a isso, idiota babava. ..ele é ser humano é talvez melhor que vc q fez esse comentário ridículo uso.

    ResponderExcluir
  3. carlinhos parabéns pela sua matéria, muito boa, o gay ai injustido tá com inveja de tu kkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Pessoa idiota e que comentário infeliz da parte dele, um imbessil desses, com certeza não tem nada de bom para oferecer pra ninguém.

    ResponderExcluir
  5. as autoridades, da cidade prefeito, vereadores poderia fazer alguma coisa, pra ajudar este cidadão, tenho certeza que ele e ELEITOR, e já votou neles,

    ResponderExcluir
  6. Ele deveria requerer ba secretaria de Assistência Social e solicitar o aluguel social e uma sexta básica. Agora que todos conhecem sua história deveriam fazer uma campanha e ajuda-lo nas demais coisas que ele venha a necessitar.

    ResponderExcluir