quarta-feira, 2 de março de 2016

Dr. Raimundinho está livre para prestar serviços médicos voluntários em Esperantinópolis


Prevaleceu o bom senso: promotor manda arquivar processo contra atividades médicas do prefeito.
A denúncia de Improbidade Administrativa, em que indicava que o prefeito Dr. Raimundinho estaria acumulando o cargo de prefeito e médico, e ainda atendendo apenas seus eleitores, caiu diante das apurações do Ministério Público, através da Promotoria de Justiça da Comarca de Esperantinópolis, e o promotor pediu o arquivamento do processo. Uma vitória do povo que diariamente procura o médico para consultas e outros procedimentos.

Um grupo político denominado Associação dos Amigos de Esperantinópolis, formado por perseguidores da administração pública, com cunho puramente eleitoreiro, denunciou à Promotoria de Justiça que Dr. Raimundinho estaria acumulando cargos, de prefeito e médico, e assim sendo, esta denúncia levaria a perda de seu mandato, e ainda causaria a paralisação das suas atividades de médico no Município.

Entretanto, após designar um técnico do Ministério Público para averiguar as denúncias, nada foi comprovado. Sobre a alegação de exercício da medicina, foi comprovado que Dr. Raimundinho trabalha sem nenhuma remuneração, o que ficou comprovado nas investigações;  em relação às provas que a “associação” dizia possuir, de que ele atendia apenas aos seus eleitores, também nada foi comprovado, pois o mesmo atende a todos.

O despacho da Promotoria cita que, “Quanto a esse ponto, vale observar que apesar de alegar na representação que dispunha de farta prova testemunhal sobre suas alegações, a Associação noticiante deixou de indicar nos autos tais provas. Além da oportunidade de apresentar tais provas com a inicial, foi dada a oportunidade à noticiante para apresentar os meios de prova capazes de comprovar suas alegações, oportunidade em que quedou inerte, conforme certidão de fls. 31”, comenta o despacho, ou seja, os acusadores não provaram nada de errado.
Continua...

A “associação” não tinha a comprovação de que Dr. Raimundinho atendia apenas aos seus eleitores, porque a “notícia-denúncia” nunca se baseou em fatos reais, mas apenas em suposições, com a finalidade única de retirar de circulação o médico que atende a todos indistintamente, e para isso não recebe nenhum pagamento, mas o faz apenas para cumprir seu compromisso (juramento) com a medicina e ajudar a saúde do povo de Esperantinópolis, tendo em vista que, praticamente todos os municípios maranhenses e nordestinos têm problemas de falta de médicos, como é apontado no despacho do Ministério Público que diz: “Vale apontar que, considerando a insuficiência do número de médicos em exercício no interior do Estado – e não apenas nesta Comarca – seria inaceitável que o representado se negasse a prestar atendimento médico aos necessitados, pois se assim o fizesse estaria descumprindo os ditames do Código de ética Médica”.


O promotor de Justiça da Comarca de Esperantinópolis conclui que promove o arquivamento da Notícia de Fato, ou seja, a “denúncia” da “associação”, que mais uma vez não consegue comprovar deslizes na conduta do gestor, e ainda mais, não consegue sua intenção de tirar o médico Dr. Raimundinho de circulação. O que a “associação” não conta é o que as pessoas que são atendidas pelo médico-prefeito achariam se ele tivesse que parar de consultar as pessoas. Dr. Raimundinho seguirá sua vida normal como gestor de Esperantinópolis, procurando caminhos e soluções para desenvolver o Município, e também como médico, trabalhando e cuidando bem da saúde do nosso povo, que merece todos os cuidados necessários.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário