quinta-feira, 19 de maio de 2016

Caminhada contra violência sexual de crianças e adolescentes reúne centenas de pessoas, em Santo Antônio dos Lopes


A prefeitura Municipal de Santo António Dos Lopes, através do departamento de assistência social, CRAS e CREAS, juntamente com o Conselho tutelar, Secretaria Municipal de Assistência Social e Secretaria Municipal de Educação, em uma articulada “rede de proteção” aos direitos da Criança e do adolescente, na forma de conscientizar e mobilizar ao combate a exploração sexual no município, elaborou uma programação ao dia Nacional do Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, realizaram nesta quarta-feira 18/05, Caminhada “A favor da Infância e Pelo fim do Abuso e da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, que teve concentração as 7hs30min na Escola Municipal Ananias Murad que percorreu ruas e avenidas da cidade em prol do dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

A caminhada contou com a participação de alunos, professores e diretores de algumas escolas do nosso município, além das presenças de profissionais da saúde e também o apoio da Polícia Militar do município. No decorrer da caminhada, foi distribuídos panfletos, apresentações, brincadeiras (palhaço), distribuição de brindes. O ponto final foi na praça Abraão Ferreira, centro.
Continua...

Anália Maria, assistente social do CREAS, agradeceu o apoio da prefeitura municipal, a secretária de Saúde, de Educação, Comunicação, Transporte, Finanças, Assistência Social e de Cultura, assim como todos os professores, alunos e diretores; falou que as crianças são vitimas de seus próprios familiares aquele que passa confiança pra todos, mas que na realidade é o agressor, pediu que os pais tivessem a atenção redobradas em seus filhos para evitar barbaridades e que a inocência da criança seja corrompida. Quebrem o silencio e denuncie para que os agressores sejam punidos e a criança tenha um tratamento adequado psicologicamente.

Ester, psicóloga do CAPS, confirmou que a maioria dos casos são praticados por familiares próximos. “Praticas dessa natureza afeta gravemente o psicológico da criança que precisa ser tratado para não ter problemas futuro, e que a identificação e sinais claros é a mudança de comportamento, pegar em suas partes intimas, agressividade, tristeza e chora com facilidade...”, alertou.

Elias Luís, presidente do Conselho Tutelar de Santo Antonio dos Lopes, agradeceu todos os professores, alunos, diretores e a secretária de Educação pelo empenho na campanha, agradeceu a prefeitura Municipal pelo total apoio e também a suas companheiras as conselheiras Rayssa de Oliveira, Cristina do Bar e Irmã Nilda. “O Conselho Tutelar está disposição de toda comunidade afim de ajudar e que essa mobilização e conscientização da comunidade é muito importante, só nesses primeiros meses do ano já recebemos muitas denuncias de exploração e abuso sexual e que é um dos casos mais tristes que recebemos diariamente, pois são violências as crianças indefesas, no qual o abusador acaba com a ingenuidade e infância de uma criança e mais triste quando o abusador é o próprio pai... queremos reiterar que o Conselho toma todas as medidas necessárias  e informa ao Ministério Publico para que o agressor seja punido.. que a população não seja omissa e que não tenha medo de fazer a denuncia, pois o denunciante tem sua identidade preservada, pois trabalhamos sob sigilo... e que o caso de Araceli no qual a campanha homenageia, em nosso município já teve essa Aracelli que foi brutalmente violentada, estuprada e morta.   Faça bonito, denuncie”, disse.

CAMPANHA FAÇA BONITO

Por todo o país, a data 18 de maio é um momento de séries de atos e manifestações públicas lembrando o Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data, criada em 2000, tem o objetivo de estimular e encorajar as pessoas a denunciarem/revelarem situações de violência sexual, bem como criar possibilidades e incentivos para implantação e implementação de ações de políticas públicas capazes de fazer o enfrentamento dessa violação. A escolha da data se refere a 18 de maio de 1973, quando Araceli Cabrera Sanches, uma menina de oito anos, foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta em Vitória (ES) por membros de uma tradicional família capixaba. Apesar de diversas pessoas terem testemunhado o crime, não houve denúncia e o caso ficou impune.




























0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário