terça-feira, 24 de maio de 2016

Gravação de Jucá 'escancara o golpe', diz Dilma


Presidente afastada ressaltou que Eduardo Cunha ainda 'dá as cartas' 
Dilma diz que gravação de Jucá 'escancara o golpe' 

A presidente afastada Dilma Rousseff afirmou que as gravações do ministro afastado do Planejamento Romero Jucá (PMDB-RR) "escancaram o golpe", e que o impeachment aconteceu para barrar a Operação Lava-Jato. Dilma disse ainda que "Temer é Cunha", ao atrelar o presidente interino ao presidente afastado da Câmara. A petista foi ao IV Congresso Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Brasil nesta segunda-feira, no segundo evento desde seu afastamento do Planalto, há 11 dias.

- Se alguém ainda não tinha certeza de que há um golpe em curso, baseado no desvio de poder, na fraude, as declarações fortemente incriminadoras de Jucá sobre os reais objetivos de impeachment e sobre quem está por trás dele, elimina qualquer dúvida. Repito: a gravação escancara o desvio de poder, a fraude e a conspiração de um processo de impeachment promovido contra uma pessoa inocente, sem nenhum crime de responsabilidade. É dela (a pessoa de Eduardo Cunha) o modus operandi do consórcio golpista - atacou a presidente afastada.

De acordo com a petista, as gravações de Jucá reveladas nesta segunda-feira pelo jornal "Folha de S. Paulo", que sugerem tentativa de frear a Lava-Jato, mostram que a razão do impeachment foi justamente barrar a operação. Para Dilma, ficou revelado que o processo de impeachment a que foi submetida "é a melhor estratégia" para dificultar investigações. A petista também declarou que as gravações evidenciam que há um "golpe de Estado" em curso no Brasil.
Mais em continua...
- O senador Jucá acabou de revelar que o impeachment é a melhor estratégia de paralisação da Lava-Jato. Eles, eles que diziam era para continuar a Lava-Jato, por trás evitavam e tomavam todas as medidas para paralisá-la. A frase que é dita ao longo da gravação, a frase mais sintética é: "Tem que mudar o governo para estancar a sangria da Lava-Jato" - disse a presidente afastada, e completou: - Agora um dos principais senadores confessa involuntariamente: "Sou golpista, somos golpistas". O golpe está em curso.

Segundo Dilma, o diálogo de Jucá mostra também a ligação entre o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, e Temer. Ela citou trecho em que o senador diz que "Michel é Eduardo Cunha" e afirmou que o "vice-presidente é tutelado por Eduardo Cunha".

- Mesmo afastado da Presidência, Eduardo Cunha dá as cartas, nomeou amigos e aliados para postos-chave - disse.

Sempre se referindo ao governo Temer como "provisório" e "interino", Dilma voltou a criticar mudanças em politicas sociais. À plateia de cerca de 700 agricultores familiares, Dilma afirmou que unir o Ministério da Agricultura ao do Desenvolvimento Social é prova do "desprezo pela realidade rural". Ela citou os investimentos no setor:

- Tenho certeza que você e eu estaremos atentos para que os R$ 30 bilhões (do Plano Safra) não se percam em descaminhos.

Dilma também criticou recuos no programa Minha Casa Minha Vida. Ela citou especificamente 180 mil habitações que estariam sendo canceladas pelo governo interino.
- Cancelar o que estava contratado é desconhecer essa realidade. É achar que começou ontem a construção das casas.
Dilma participa do IV Congresso Nacional dos Trabalhadores
e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Brasil
Sem mencionar diretamente a retirada de manifestantes nas proximidades da casa de Michel Temer, em São Paulo, pela polícia, Dilma afirmou que o governo petista respeitava as diferenças e não encarava movimentos sociais como "questão de polícia".

- O nome mais importante da nossa relação é diálogo. Participação social e respeito aos movimentos, que não devem ser objeto de controle ou monitoramento. E ninguém pode defender que movimentos sociais é uma questão de polícia.

Dilma voltou a atacar o ministério "neoliberal na economia mais conservador no restante" de Temer de "homens, brancos, ricos e velhos", e disse que o Brasil a elegeu para tocar um programa progressista.

A presidente afastada disse ainda que viajará o país acusando o "golpe" e fazendo sua defesa, com vistas a retornar à Presidência. Dilma garantiu que lutará "em todas as dimensões possíveis".

- Estarei sim nas ruas. Estarei nos campos e nas cidades. Estarei em paz. Em paz, mas firme - afirmou, ressaltando que também fará essa campanha para garantir direitos e fazer com que o país volte a crescer.

Nesta segunda-feira pela manhã, a presidente divulgou um vídeo em seu Facebook em que o ex-ministro da Secretaria de Governo Ricardo Berzoini pedia a demissão de Jucá e relacionou as conversas do peemedebista ao presidente em exercício Michel Temer e ao presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha. O petista disse ainda que os diálogos eram uma “vergonha”.

Na semana passada, por três dias consecutivos Dilma Rousseff explorou no Facebook os principais calcanhares de Aquiles do governo interino até então: programas sociais, Cultura e Previdência. Em cada ocasião foram chamados ao Palácio da Alvorada ministros dessas áreas no governo Dilma para responder internautas ao vivo.

Desde que foi afastada da Presidência, Dilma aumentou sua participação em redes sociais e manteve sua rotina de falar somente a jornais estrangeiros. Na última sexta-feira, a petista foi a Belo Horizonte em um encontro com blogueiros.

Estiveram com a presidente afastada no congresso de trabalhadores rurais os ex-ministros Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), Eleonora Menicucci (Política para as Mulheres) e Carlos Gabas (Previdência e Secretaria de Aviação Civil). A deputada Maria do Rosário (PT-RS) também esteve no evento.

Um dos militantes que discursaram, Alexandre Conceição, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), disse que os movimentos sociais não deixarão Temer governar:

- Esse povo vai defender o seu mandato até as últimas consequências. Quem enfrentou os militares, os generais, não vai se render a 300 picaretas.

2 comentários:

  1. Olha só essa falsa paladina da justiça, pensa que esquecemos o que ela fez no caso da famigerada Graça Foster? Soube da corrupção dela na Petrobras e continuou confiando a direção da Petrobras à ela. O caso de Pasadena, que ela comprou hiperfaturada, dando mais u prejuízo de mais de 1 bilhão, e o pior foi o dinheiro roubado da Petrobras pra financiar sua campanha. O Temer ao contrário da Dilma, afastou o
    ministro logo de cara.

    ResponderExcluir
  2. O pior é que ainda temos que manter a mordomia desta velha por 6 meses.

    ResponderExcluir