quarta-feira, 15 de junho de 2016

Hildo Rocha afirma que continuará defendendo direitos de cidadão maranhense assassinado em operação policial: “A justiça tem que prevalecer”


O Deputado Federal Hildo Rocha (PMDB/MA) visitou, neste fim de semana, familiares de Irialdo Batalha, cidadão arariense que foi assassinado por um vigilante da prefeitura de Vitória do Mearim, no dia 28 de maio de 2015, durante operação da polícia militar. Rocha reafirmou o compromisso de continuar buscando punição para os envolvidos no episódio que ele classificou como um dos mais bárbaros já presenciados na história do Maranhão.

“Vim trazer uma palavra de conforto e de esperança para os familiares de Irialdo Batalha e também reafirmar que vamos continuar na luta. Não podemos deixar esse episódio cair no esquecimento. O Esquecimento não pode vencer a justiça. A justiça tem que prevalecer”, declarou o parlamentar.

Emoção

A mãe, as tias primos de Irialdo fizeram relatos emocionados. “Ele gostava de jogar bola. Até hoje quando eu vejo alguém, algum amigo dele ou vizinho se preparando para jogar me dá um aperto no coração, eu choro de tristeza”, declarou Antônia da Graça Batalha, mãe de Irialdo.
Continua...
Falando em nome da família, Leonel Emílio Batalha, primo de Irialdo, agradeceu a visita do deputado Hildo Rocha.  “Nós queremos agradecer, deputado, por você estar do nosso lado, nos apoiando. Poucos fazem isso. Queremos sempre contar com o seu apoio. Muito obrigado”, declarou.

O crime

Irialdo Batalha foi atingido nas costas, por disparos efetuados por policiais militares que faziam uma blitz na rodovia MA-22, no trecho localizado no município de Vitória do Mearim. Irialdo agonizava no chão quando foi executado por um vigilante da prefeitura de Vitória do Mearim que atuava na cidade como se fosse policial. A utilização de pessoas estranhas aos quadros da policia maranhense tem sido objeto de denúncias feitas por Hildo Rocha, em plenário e também junto aos organismos de defesa dos direitos humanos.

Segundo o deputado, o governo do Maranhão e os comandantes da operação policial, que vitimou Irialdo Batalha, devem ser responsabilizados pelo crime porque permitiram a participação de vigilante em atividade que é privativa de agentes públicos devidamente credenciados para a atividade policial por meio de procedimentos administrativos, técnicos e legais indispensáveis.

Ações

Entre as ações do deputado Hildo Rocha, referentes ao caso, constam quatro pronunciamentos na tribuna da Câmara (03/06/2015 – 10/06/2015 – 02/06/2016) e a formalização de denúncias ao presidente Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal; na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); na Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República; na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); na Procuradoria Geral da República; e no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).


Assessoria.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário