quinta-feira, 9 de junho de 2016

Juíza Larissa Tupinambá fala sobre o caso do homem que matou a ex-companheira, em Pedreiras



Os repórteres Hildebrando Soares e Sandro Carvalho da TV Ouro Vivo, (SBT, canal 9 de Pedreiras), apuraram denúncias dos familiares da jovem senhora Aindene Ferreira da Conceição, 31 anos, assassinada pelo companheiro na madrugada do último domingo (05), numa casa no Bairro do Engenho, em Pedreiras. A família reclama que o acusado, Antônio José Soares da Silva, de 57 Anos, foi preso em 2 de agosto de 2015, depois de agredir Aidene, em que ocasionou no braço quebrado da mesma; eles se queixam de que o acusado foi preso, enquadrado na Lei Maria da Pena, um crime inafiançável, porém, três dias depois, foi posto em liberdade, após pagar fiança.  

Vídeos - cortesia da TV Ouro Vivo - SBT - Pedreiras 

Nos vídeos desta postagem, a juíza Larissa Tupinambá, titular da 3ª Vara da Comarca de Pedreiras, responsável pelo caso da prisão do acusado em 2015, fez diversos esclarecimentos. Em resumo, a magistrada explicou que na época da prisão de Antônio José, ela recebeu uma carta da vítima, onde solicitava a soltura do mesmo, afirmava que o braço fraturado foi resultado de uma queda e acusou os policiais de aproveitar de seu estado de embriaguez para retirar dela um B.O., contra seu então companheiro.

Segundo a juíza, ele foi posto em liberdade sem pagar a fiança, em um andamento natural do processo, não tinha passagem pela polícia, etc. Dra. Larissa leu a carta escrita pela vítima em agosto de 2015, onde a vítima elogia Antônio José, afirma que não sofria agressão do mesmo e revelava o desejo de voltar a morar com ele.

Ainda assim, a magistrada determinou algumas medidas protetivas para afastar Antônio José de Aidene; no entanto, eles voltaram a sair juntos, a manter o relacionamento e Aidene nunca procurou a justiça ou a polícia para informar que as medidas protetivas contra Antônio José foram violadas. Veja no vídeo a entrevista completa.

0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário