quarta-feira, 15 de junho de 2016

Pequenos gigantes


Por Allan Roberto

A eleição municipal se avizinha e está na hora de começar a analisar as conjunturas e panoramas locais e regionais. Hoje analisarei um fato pitoresco regional que está acontecendo em 03 cidades do Médio Mearim, em que candidatos sem dinheiro e julgados “nanicos” cresceram e crescem mais e mais a cada dia e tudo indica levarão de lavada e sem gastar o bolo que todos estão acostumados a levar gastando rios de dinheiro. Falo dos vereadores oposicionistas Antonio França em Pedreiras, Bigu em Santo Antonio dos Lopes e André Portela em Capinzal do Norte.

Fato é que a razão do grande fracasso das atuais e pretéritas administrações municipais que alavancaram esperanças de corações e mentes de populações diversas em nossa região é a agiotagem eleitoral preponderante nas campanhas, que faz com que as prefeituras e mandatos sejam vendidos ainda antes de conquistados. Já participei de reuniões com esse fim e o negócio é duro e violento. Exemplo: 1 milhão de reais na campanha é para ser devolvido 2 milhões até fevereiro, 02 meses após o prefeito assumir; se atrasar os juros são exorbitantes e crescentes e isso envolve ameaças, violência e mortes. E eles não pegam emprestado só 1 milhão. Gastam de 5 a 10 milhões numa campanha... Sabido é que esse esquema matou recentemente um dos maiores jornalistas e blogueiros do Maranhão, Décio Sá; e o desenrolar das investigações já levou vários prefeitos e ex-prefeitos maranhenses no ano passado e neste para a cadeia... e outros irão mais, segundo o Secretário de Segurança Jefferson Portela.

Esses gastos em campanha é que fazem com que a eleição comprada depois impeça o prefeito de governar bem, impedindo-o de fazer uma administração inovadora e empreendedora, aplicando corretamente o que é de direito da população na saúde, educação, infraestrutura e, principalmente, ousar com projetos novos que gerem emprego, produção e renda. Além disso, a corrupção endêmica associada faz dessas administrações verdadeiros desastres e as populações abandonadas da assistência do poder público navegam em sangue, lágrimas, fezes, urina e pus.

O caminho para se livrar disso é a conscientização da população de que uma campanha milionária tem consequências desastrosas para ela mesma e é nessa premissa que esses 03 vereadores com suas pré-candidaturas estão investindo.

 Antônio França (PTB) - Pedreiras 

Antonio França está no segundo mandato e na última eleição foi o vereador mais votado. Faz uma política de oposição ao atual prefeito de quem era fiel aliado há muitos anos e iniciou o atual governo municipal como Secretário de Obras e fazia um brilhante trabalho na Secretaria quando rompeu com o governo. Rompido foi para a oposição moderada, sem alardes, sem interromper seu trabalho político de assistência ao seu eleitorado e investindo no que dá retorno eleitoral, como assistência a povoados em questões agrárias, poços artesianos e serviços afins. É incansável trabalhador e faz política 24 horas por dia. Carismático, sincero, transparente e honesto, diz “sim” quando tem que ser “sim” e “não” quando tem que ser “não”. Iniciou o projeto de sua candidatura apenas com a intenção de promover o nome para 2020, mas o trabalho bem feito e bem articulado por um grupo coeso e entusiasmado, fez o nome do vereador pegar vento e hoje desponta em segundo lugar nas pesquisas, ficando atrás apenas de um ex-prefeito  impedido de concorrer pela legislação eleitoral. Sem dinheiro, é o único candidato que de fato pode sair candidato sem gastar dinheiro que o povo vai entender. E isso, que alguns julgam sua maior fraqueza, é de fato a sua maior fortaleza, pois sua campanha será a do “tostão contra o milhão” e conscientizando da desgraça que é para o governo e a população  gastar-se em campanha. Seu grupo político é numeroso e reúne muitos jovens, educadores e partidos diversos; e mais do que um grupo político transformou-se já num “movimento”, com perfis nas redes sociais, grupo de WhattsApp, adesivos, símbolos, mímicas etc. Tão confortáveis estão que podem escolher o vice dentro do próprio grupo, pois têm quadros excelentes para isso: a carismática empresária Dagmar Branquinho ou o brilhante e jovem advogado Alexandre Assaiante. E o grupo não permite que seu cabeça componha com ninguém como vice sob pena de abandoná-lo. Querem o homem prefeito por força! E para tanto se cotizam financeiramente em doações para os eventos do grupo. E assim França cresce a cada dia, atraindo já conversações com Louro, que não está lá muito firme com Chicote, Dr. Humberto, que deu uma estagnada nas pesquisas e outros grupos políticos que vêem seu crescimento saltar aos olhos. E olha que a tendência é crescer mais, já que muita gente ainda não acredita que ele sem dinheiro será de fato candidato; e ele o será, segundo diz, mesmo que seja em cima de uma carroça. Assim, quando o virem candidato mesmo, a tendência é aumentarem as adesões.

Bigu (PSDB) – Santo Antônio dos Lopes
Bigu foi eleito vereador por duas vezes. Na primeira foi o mais votado. Na segunda, o capital do gás quase lhe tirou o mandato, mas sua popularidade o manteve no legislativo de Santo Antonio dos Lopes. Lá a questão não é tão eclética como Pedreiras, com vários grupos políticos. Na terra do gás só há 02 grupos políticos e Bigu é o líder da oposição. Também humilde, descapitalizado, humilhado pelo capital do gás do grupo do poder, ele iniciou sua pré-candidatura devagar e hoje está disparado nas pesquisas quase que sendo irreversível o prefeito Eunélio Mendonça reverter o quadro em favor de seu candidato. E a campanha dele caiu no gosto do povo, que diz que vai se cotizar com um saco de arroz, um porco, 10 litros de gasolina etc para fazer sua campanha e tomar o poder dos barões do gás.

André Portela (PCdoB) – Capinzal do Norte

Já em Capinzal do Norte, André Portela está em seu primeiro mandato e é o principal adversário do atual prefeito Roberval Campelo.  Também desprovido do vil metal. Ajudado pela baixa popularidade proporcionada pela péssima administração municipal, é outro que se lançou sem muita fé de dar certo e caiu na graça popular e já é considerado virtual prefeito, no mesmo enredo dos  dois demais acima.

E não duvidem que isso não ocorra, não! Na nossa região, nos últimos 30 anos, isso ocorreu 03 vezes em 03 cidades diferentes. Primeiro em Esperantinópolis quando Chico Jovita, caboclo vereador de oposição, tendo como símbolo de campanha um chapéu de palha, ganhou a eleição do todo poderoso à época Henrique Muniz. Depois em Lago da Pedra, Luiz Osmani, tendo como símbolo de campanha um galho verde derrotou nos braços do povo fragorosamente a oligarquia dos Jorge que dominava ali há décadas. E mais recentemente em Lima Campos, quando o metalúrgico artesanal Xarim, lançado pelos grupos das comunidades eclesiais de base da Igreja Católica, tendo como símbolo uma panela, derrotou o prefeito Dr. Aristóteles no poder e com a máquina nas mãos. Os 03 ganharam a eleição contra a máquina, com adversários no poder e sem dinheiro.

Quando os fracos se juntam tornam-se fortes e quando os pobres se unem tornam-se ricos!
É esperar para ver!!! E quem viver, verá!!!


Allan Roberto Costa Silva, médico, ex-Vereador-Presidente da Câmara Municipal de Pedreiras, membro da Associação de Poetas e Escritores de Pedreiras-APOESP e da Academia Pedreirense de Letras-APL – E-mail: arcs.rob@hotmail.com

2 comentários:

  1. O mais preparado, é Dr Humberto, sério, honesto, e bem aceito... Antônio da um bom vice !

    ResponderExcluir
  2. O mais preparado é o Vasco: em 35 jogos só perdeu uma. Eliminou o Flamengo três vezes e a 9 partidas não perde para o timinho kkkkkkkk

    ResponderExcluir