segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Temer confirma que pediu dinheiro no Jaburu e tenta se blindar no TSE


Pela primeira vez, o Brasil tem um presidente, ainda que provisório, que considera normal e reconhece ter pedido dinheiro a um empreiteiro no próprio palácio (no caso, o Jaburu); "Eu já confirmei que jantei com Marcelo Odebrecht, no Jaburu, em 2014. Como é natural, o partido me pressionava para obter recursos para os seus candidatos. A Odebrecht contribuiu? Claro que sim", disse o interino Michel Temer, em entrevista publicada nesta segunda-feira; em seu primeiro depoimento, Marcelo Odebrecht falou que os R$ 10 milhões saíram pelo caixa dois da empreiteira e R$ 4 milhões foram entregues em dinheiro vivo a Eliseu Padilha, atual ministro da Casa Civil e braço direito de Temer; na entrevista, o interino também defendeu a cisão da chapa Dilma-Temer no TSE – o que vem sendo negado pelos ministros da corte.

247 – Michel Temer considera normal pedir dinheiro a um empreiteiro, fora do prazo de uma campanha eleitoral, em pleno Palácio do Jaburu.
Continua...
Em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo site Antagonista, ele confirma que pediu dinheiro a Marcelo Odebrecht no Palácio do Jaburu. O motivo: o partido o pressionava para obter recursos.

"Eu já confirmei que jantei com Marcelo Odebrecht, no Jaburu, em 2014. Como é natural, o partido me pressionava para obter recursos para os seus candidatos. A Odebrecht contribuiu? Claro que sim. Está tudo registrado. Foram mais de 10 milhões de reais, dentro da lei. Sei que muitos podem não acreditar, dado o momento terrível que vivemos, mas não tenho conhecimento sobre dinheiro dado em espécie ao partido. E, sinceramente, acho improvável que isso tenha ocorrido. A minha preocupação é institucional, não jurídica", disse ele.

Em seu primeiro depoimento visando a uma delação premiada, Marcelo Odebrecht afirmou que doou R$ 10 milhões em dinheiro vivo, a pedido de Temer. Disse ainda que tais recursos não foram contabilizados e saíram pelo caixa dois da empreiteira. Do bolo, R$ 4 milhões teriam sido entregues em dinheiro vivo a Eliseu Padilha, atual chefe da Casa Civil (saiba mais aqui).

Em sua entrevista, Temer também tentou se blindar em relação à ação, movida pelo PSDB, que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, alegando que as contas são separadas. No entanto, os ministros da corte eleitoral têm dito que será impossível condenar Dilma e preservar Temer. Eis o que disse o interino:

"Creio que o TSE vai separar o julgamento das minhas contas de campanha do das contas da presidente afastada. Foram duas campanhas com captações de recursos distintas, como manda a lei. Basta ir à Constituição para verificar que a figura do vice-presidente é apartada da do presidente, ele não é um apêndice. A tese de "arrastamento" viola o preceito constitucional segundo o qual nenhuma pena passará da pessoa do condenado. É como condenar por atropelamento alguém que estava sentado ao lado do motorista na hora do acidente".

Fonte: Brasil247

4 comentários:

  1. SE FOSSE A DILMA OU LULA ERA CORRUPÇÃO, MAIS COMO É ESSE SAFADO TRAIRA, NÃO É NADA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só petista é que tem ladrão de estimação.

      Excluir
  2. AMIGO CONCORDO COM VC . O BRASIL PRECISA DE UM HOMEM COMO O LULA LULALA

    ResponderExcluir
  3. Pelo menos esse sabe.
    Não é feito os ladrões do PT que sempre dizem que "não sabem de nada".

    ResponderExcluir