quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Simplício Araújo defende a retomada de uma agenda positiva para o varejo


O secretário de Indústria e Comércio e presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Desenvolvimento Econômico (Consedic), Simplício Araújo, afirmou que o setor do varejo nacional precisa construir uma agenda positiva para que os efeitos da crise econômica sejam minimizados para o setor.

Segundo Simplício Araújo, a aprovação do trabalho intermitente, a terceirização da atividade fim, a redução do prazo do repasse dos cartões de crédito aos lojistas e simplificação tributária são pautas que precisam avançar em 2017 para a retomada do setor e da economia brasileira.

“Se o país não avançar na modernização da legislação trabalhista, sem retirar direitos, corremos o sério risco de fracassarmos na tentativa de tirar a economia da situação que está. É fundamental que se avance no tema para a retomada do mercado de trabalho”, destacou.

Continua...

Segundo a União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), caso o tema seja aprovado, só as entidades associadas à Unecs gerariam de imediato dois milhões de postos de trabalho (quase 20% do número de desempregados no Brasil).

Em relação a terceirização, a principal discussão atualmente é em torno da possibilidade de terceirizar a 'atividade fim', ou seja, a principal atuação de determinado negócio. No caso dos lojistas, por exemplo, seria a possibilidade de terceirizar o vendedor.

Para Simplício Araújo, a terceirização poderia ajudar a diminuir os custos de contratação, em um momento em que o varejo precisa, cada vez mais, cortar os custos. O secretário lembrou que, segundo pesquisas, os encargos trabalhistas possuem um peso grande e podem representar até 70% dos custos no setor.

“A terceirização permite que micro e pequenas empresas, que são especializadas em produtos ou serviços, possam ser inseridas na rede de fornecedores de empresas maiores, ampliando a chance de crescimento e de geração de novos empregos”, afirmou Simplício.

2 comentários:

  1. blá, blá, blá, blá, blá, blá, blá...

    ResponderExcluir
  2. Esse governo é uma fraude.Onde já se vou uma coisa dessa... além de retirar as vagas de emprego no serviço público com essa modalidade que não acrescenta nada à população só beneficiou seus aliados políticos,agora quer fazer o mesmo no setor privado...

    ResponderExcluir