sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Mais uma conquista do governo comunista


Com uma movimentação de 17,082 milhões de toneladas de cargas em 2016, o Itaqui caiu uma posição no ranking nacional de portos organizados, saindo de 5º para 6º lugar, segundo Anuário Estatístico Aquaviário 2016 divulgado, quarta-feira (15), pela Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq) e a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp). De acordo com os números, o setor portuário nacional (portos organizados e terminais de uso privado) movimentou 998 milhões de toneladas, o que representou um decréscimo de 1% em relação a 2015, quando o movimento foi de 1,008 bilhão de toneladas.

O melhor desempenho do Itaqui, apesar da queda na safra agrícola do ano passado, foi com transporte de soja, que teve uma participação de 985 mil toneladas, ou seja, mais de 50% da movimentação total. De acordo com a estatística da Antaq, a posição do porto maranhense foi assumida por Suape, de Pernambuco, e dois segmentos contribuíram para essa inversão de posições: Combustíveis (-19,8%) e grãos (-20,7%). O Itaqui nem aparece entre os cinco maiores em transporte de granel sólido e contâiner, mas é o terceiro em granel líquido (combustíveis), com um movimento de 6,2 milhões de toneladas, e em quarto em carga geral, com 1,5 milhão de toneladas.

Continua...

Em contrapartida, o Terminal da Ponta da Madeira, administrado pela Vale, aparece em primeiro lugar entre os Terminais de Uso Privado (TUP), com um movimento de 148,7 milhões de toneladas, à frente de Tubarão (107,5 milhões), Ilha Guaíba (46,1 milhões), Trombeta (18 milhões) e Porto do Açu (15,9 milhões).

Fonte: Maranhão Hoje.

Um comentário:

  1. Calma Carlinhos, espere mais 2 anos e talvez os Sarneys voltem.

    ResponderExcluir