quinta-feira, 11 de maio de 2017
A Justiça Federal condenou Manoel Mariano de Sousa, mais conhecido como ‘Nenzim’, ex-prefeito de Barra do Corda, por não promover a efetiva transparência na gestão de recursos públicos destinados à educação.

A condenação partiu de ação de improbidade proposta pelo Ministério Público Federal no Maranhão (MPF-MA) alegando que Nenzim deixou de prestar contas sobre a aplicação de R$ 331.650 mil em verbas federais repassadas pelo Fundo Nacional da Educação (FNDE), no exercício de 2010/2012, por meio do Programa Nacional de Transporte Escolar – Caminho da Escola.
Continua...


De acordo com o juiz federal da 5ª Vara, “todo aquele que gere dinheiro ou administra bens públicos tem o dever de prestar contas”, conforme texto da sentença. E continuou: “a omissão do dever de prestar contas, assim, é por si mesma danosa ao patrimônio público, que exige transparência nas contas públicas”.

Assim, a Justiça Federal suspendeu os direitos políticos de Manoel Mariano pelo prazo de três anos e o proibiu de contratar com o poder público ou receber benefícios fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por meio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo mesmo período. Além disso, o ex-prefeito de Barra do Corda foi condenado a pagar multa civil no valor de 3 vezes a última remuneração recebida.

Do Imirante

2 comentários:

  1. Se tivesse justiça esse ladrão tava era preso.

    ResponderExcluir
  2. Verdade esse homem acabou com barra fo corda.

    ResponderExcluir

Facebook

Visualizações deste blog desde março de 2012

Em Pedreiras e Trizidela do Vale


,

Matricule-se no Faculdade W. F.



+ Lidas