sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Cliente constrangida e acusada de furto aciona supermercado de Bacabal na justiça

Um caso ocorrido no último dia 09 de agosto no interior de um estabelecimento comercial, localizado à margem da rodovia BR-316, em Bacabal, virou caso de polícia após cliente procurar a delegacia para registrar boletim de ocorrência.

A estudante Maria Letícia Sousa Freitas, de 24 anos, moradora da rua da Paz, bairro Coelho Dias, comunicou à autoridade policial que encontrava-se na Brasil Atacarejo fazendo compras e, depois de efetuar o pagamento, na saída foi abruptamente abordada por seguranças que, na frente de funcionários e outros clientes, alegaram que a mesma tinha subtraído um reparador de pontas [de cabelo] e, ainda de acordo com os argumentos dos seguranças, o suposto furto teria sido registrado pelas câmeras do circuito interno de vigilância.
Continua...

Após ser revistada e o produto não ter sido encontrado, Maria Letícia foi encaminhada à sala onde fica a central de monitoramento e, neste intervalo, pediu, via celular, a ajuda de seu namorado que logo chegou.

Na referida sala estava o gerente do estabelecimento na companhia de um policial militar identificado pela cliente como Cabo Augusto.

Ao verificar as imagens das câmeras foi constatado que, na realizada, a cliente não havia cometido nenhum furto, antes, porém, ela ainda foi questionada se o reparador não estaria escondido em outra parte.

Diante da situação que submeteram a cliente, a direção se ateve a pedir desculpas pelo constrangimento, já Maria Letícia, bastante abalada emocionalmente, procurou a Delegacia do 1º Distrito Policial onde foi confeccionado o B. O.

A cliente também já buscou o auxílio de uma advogada que dará prosseguimento ao que o caso requer.

Casos de excessos por parte do comércio são registrados com frequência em Bacabal. Em março desse ano, por exemplo, Rhelme Souza, de 36 anos, moradora do residencial Cidade Jardins, procurou o Blog do Sérgio Matias para denunciar a omissão da gerência de uma loja de departamentos localizada na rua Getúlio Vargas. De acordo com ela, por volta das 11 horas da manhã daquele dia o aparelho celular de sua filha foi furtado do interior da Loja.

Ainda segundo Rhelme, enquanto a sua filha testava um calçado, colocou o celular (Samsung Galaxi J3) na cadeira ao lado e, pouco tempo depois, deu por falta do aparelho que tem apenas dois meses de uso.

As duas foram imediatamente à gerência para tentar identificar, através das câmeras do circuito interno de segurança, a pessoa que havia cometido o furto, mas, entretanto, a responsável pela loja teria negado o acesso às imagens, alegando que isso só poderia ser feito por determinação judicial.

A vítima reclamava que vendedores e seguranças também não colaboraram.

Do Blog do Sérgio Matias

Nenhum comentário:

Postar um comentário