quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Começa júri de homem acusado de matar ex-companheira no “Rose Café”, em Pedreiras

Tribunal do Júri 
Réu Fagner 
Julgamento ocorre no Fórum de Pedreiras e deve se estender até o final do dia. Serão ouvidas testemunhas de  acusação e de defesa.

Patrícia, vítima 
Começou pouco antes das 10h da manhã desta quinta-feira (31) o Tribunal do Júri de Fagner Alves Bezerra, acusado de  matar a ex-companheira Patrícia Sousa de Almeida, dentro da Lachonete “Rose Café”, na Avenida Rio Branco em Pedreiras. Além do réu, devem ser ouvidas algumas testemunhas de acusação e de defesa. A previsão é de que o julgamento, no Fórum da Comarca de Pedreiras, se estenda até o final do dia.

Fagner Alves Bezerra foi preso em flagrante e confessou o assassinato, ocorrido em 3 de setembro de 2016. Ele segue preso no Presídio Regional de Pedreiras – MA

O julgamento começou no horário. O acusado foi conduzido por policiais militares do 19º BPM de Pedreiras.

O Júri estar sendo presidido pela juíza Larissa Rodrigues Tupinambá Castro, titular da 3ª Vara da Comarca de Pedreiras; o Ministério Público é representado pelo promotor

A Juíza Larissa Tupinambá, da 3ª Vara da Comarca de Pedreiras, preside o Juri Popular; o promotor Dr. Xilon de Sousa Junior. A juíza afirmou que a justiça agiu rápido para que o Júri Popular desse crime acontecesse antes de completar um ano do assassinato.

O crime

Detalhes em continua...

O crime aconteceu por volta das 6h da manhã. Patrícia foi brutalmente assassinada a golpes de faca em seu local de trabalho, a Lanchonete “Rose Café”. O crime foi de feminicídio. O ex-companheiro da vítima, Fagner confessou o crime.

Fagner chegou ao “Rose Café” antes das 7h00. Bateu no portão que dá acesso a cozinha da lanchonete. A vítima abriu e foi surpreendida com os golpes de faca efetuados pelo ex-companheiro. Depois do crime, ele fugiu em uma bicicleta. Segundo testemunha, a vítima ainda agonizou por cerca de 20 minutos, tentando se levantar, mas infelizmente, não resistiu e morreu no local. O crime atraiu muitos curiosos ao local.

A Lanchonete “Rosé Café”, era localizada na Avenida Rio Branco, centro comercial de Pedreiras e foi desativada tempos depois do bárbaro assassinato da funcionária no local.

A vítima já vinha sendo ameaçada pelo ex-companheiro; ela deixou três filhos.

Depois do crime de Feminicídeo, o assassino se dirigiu a casa da mãe da vítima, localizada na Travessa Messias da Costa, em Trizidela do Vale (MA), onde também ameaçou de matá-la; ele foi contido pela população; os populares, revoltados com a assassinato no “Rose Café”, iniciaram um princípio de linchamento contra o assassinato, mas foram contidos com a chegada da polícia militar.


Ele foi preso e permaneceu preso todo esse período. 

Imagens do julgamento 






Imagens do Rosé Café no dia do assassinato de Patrícia 







Vídeo registra a prisão do homem que matou a ex-companheira dentro do Rose Café em Pedreiras



Nenhum comentário:

Postar um comentário