quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Audiência pública sobre segurança no trânsito é realizada em Igarapé Grande

O Maranhão possui uma frota de mais de 1 milhão e 600 mil veículos, a maior parte é formada por motocicletas, sendo  que  60% dos leitos hospitalares são ocupados por acidentados de trânsito. Para tratar de assuntos na cidade de Igarapé Grande (MA), o Conselho Comunitário da Paz em Defesa da Vida no Trânsito convidou autoridades para expor informações para subsidiar os debates ajudarão a tornar mais seguro o trânsito nas ruas, avenidas e estradas.

A municipalização do trânsito em todas as cidades do Maranhão e o uso dos equipamentos de segurança por motociclistas que usam seus veículos no trabalho foram algumas das ações defendidas pelos participantes da audiência pública realizada pelo Conselho Comunitário da Paz, Ministério Publico e Departamento de trânsito do município, na ultima quarta-feira (22) na Igreja Batista na cidade de Igarapé Grande.
Continua...

Foram discutidos assuntos como a Lei Seca, uso de capacete, menores pilotando ou dirigindo veículos e carteira de habilitação.

Com o objetivo de colher informações e propor medidas que possam tornar mais seguro o trânsito de pedestres e veículos nas ruas, avenidas e estradas de todo o Maranhão, a audiência pública contou com a participação do promotor de Justiça Dr. João Viana; o diretor da 7ª Ciretran de Pedreiras,  José Roberto Araújo; a coordenadora de Educação para o Trânsito, Alainne Sales; o Presidente do Conselho Comunitário da Paz, Manuel Dantas; e também presente os conselheiro comunitário da paz , entre eles, Francisco das Chagas; policiais militares lotados em Igarapé Grande e a população. 
Coordenadora de Educação para o Trânsito,  Alainne Sales

José Araújo Roberto diretor da CIRETRAN


Presidente do Conselho Comunitário da Paz, Manuel Dantas


Promotor de Justiça Dr. João Viana

Com informações da Blog Victor Macedo

2 comentários:

  1. Muito bem

    "Hugo leonardo trindade soares"

    ResponderExcluir
  2. Pareceu audiência privada ,pois a população não sabia , política pública e diferente disso ai

    ResponderExcluir