quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Inquérito aponta que foi o filho Mariano Jr. que atirou no pai, Nenzin

O ex-prefeito Nenzin ao lado do filho Mariano (Jr de Nenzin)
Depois de 21 dias de investigação, o inquérito que apura o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa foi concluído. ‘Nenzin’, como era conhecido, foi morto com um tiro na nuca, naquele município, na manhã do dia 6 de dezembro último.

O principal suspeito é o próprio filho dele, Manoel Mariano de Sousa Filho, o ‘Júnior de Nenzin’, preso no Complexo Penitenciário São Luís. De acordo com laudo pericial foi ele quem atirou no pai, pois estava dentro do veículo, onde o ex-prefeito foi assassinado.

O crime que chocou a cidade de Barra do Corda não demorou muito a ser elucidado, pois o principal suspeito caiu em contradição por várias vezes ao prestar depoimentos na delegacia.

De acordo com declarações feitas pelo Delegado Regional de Barra do Corda, Renilton Ferreira, a policia chegou até a autoria do crime após ouvirem do próprio Mariano Júnior ‘histórias contraditórias e que fogem da realidade policial de crimes de pistolagem’.

No primeiro momento, o filho de Nenzin contou que estava no carro com o pai e parou para que o ex-prefeito fosse urinar e nesse momento ouviu um disparo de arma de fogo. Em seguida Nenzin cai ferido ainda dentro do carro debruçado sobre ele. Porém, em vez de buscar socorro médico diante da situação, Mariano foi até a casa de um advogado em vez de levar o pai para uma unidade de saúde o mais rápido possível.

Depois de contar ainda mais fatos contraditórios, Mariano deu a entender que deixou o pai agonizar até a morte antes de levá-lo ao hospital não lhe dando chance de socorro em tempo hábil. E mais: câmeras de vídeo monitoramento mostraram o tempo em que o carro ficou rodando até que chegasse ao hospital.

Outro detalhe que chamou atenção do delegado Renilton foi que, ao olhar o corpo de Nenzin, constatou que o tiro que o levou a morte tinha sido disparado à queima-roupa e não à distância como dito na versão de Mariano. Daí então não ficou difícil chegar ao algoz do ex-prefeito.

Com o inquérito concluído, o caso agora ficará aos cuidados do Ministério Público que deve denunciar Júnior de Nenzin à Justiça.


2 comentários:

  1. Polícia conclui inquérito da morte do ex-prefeito de Barra do Corda



    A polícia concluiu o inquérito sobre o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzin, assassinado no início de dezembro. Pelas circunstâncias do crime e os depoimentos de mais de vinte pessoas, para a polícia, o principal suspeito é o filho do ex-prefeito, que estava com ele na hora do crime.

    Foram 21 dias de investigação e o laudo dos peritos criminais comprovou, que Manoel Mariano Filho, atirou contra o pai, o ex-prefeito de Barra do Corda, Nenzin. Com o inquérito policial concluído, o caso será encaminhado ao Ministério Público de Barra do Corda, que pode ou não denunciar, Mariano Filho a Justiça.

    A polícia ainda continua investigando o caso e tenta rastrear algumas ligações para descobrir se Mariano Filho contou com a ajuda de alguém para executar o crime.

    O ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Souza, o Nenzim, foi assassinado no dia 6 de dezembro. Imagens de câmeras de segurança de um condomínio mostram a caminhonete no dia do crime. De acordo com a polícia, o veículo passou 40 minutos no local e só depois desse tempo é que a vítima foi levada para o hospital, onde já chegou sem vida.

    Mais de 20 testemunhas foram ouvidas e durante esse tempo, a policia fez três perícias no carro usado por Mariano Filho. Com o inquérito finalizado, até o dia sete de janeiro, a policia deve fazer a reconstituição do crime.
    (G1MA)

    ResponderExcluir
  2. Que coisa monstruosa. É o fim dos tempos.

    ResponderExcluir