sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Juiz de Igarapé Grande vai ao encontro de idosos para realizar audiências


O juiz Alexandre Magno de Andrade também se deslocou para visitar casa de idosos na cidade de Bernardo do Mearim
Juiz Alexandre de Andrade faz audiência na porta do fórum em processo de interdição
O juiz titular da comarca de Igarapé Grande, Alexandre Magno de Andrade, realizou na última semana duas audiências referentes a processos de Interdição que tramitam na unidade, deslocando-se até à presença das partes, em razão de serem pessoas idosas e com dificuldades de locomoção.

A primeira audiência ocorreu na manhã do último dia 7, quando o magistrado se deslocou ao município de Bernardo do Mearim, termo judiciário de Igarapé Grande, para entrevistar pessoalmente as partes de um processo de Interdição. 

O magistrado também realizou outra audiência, dessa vez na frente do fórum da comarca, com uma pessoa idosa que não conseguiu sair do carro. “Fomos informados que um senhor, já com dificuldade nos movimentos, não conseguiu sair do carro para participar de uma audiência e por isso fomos até a rua e fizemos o ato lá mesmo”, explicou o juiz.

Para o juiz Alexandre de Andrade, prestar um bom atendimento à sociedade e ir ao encontro dos jurisdicionados é um dos objetivos principais do Poder Judiciário, especialmente em se tratando de pessoas idosas, que possuem o direito de prioridade na tramitação processual, conforme assegurado pelo Estatuto do Idoso. “Nosso objetivo é garantir que a população receba uma resposta sobre aquilo que busca na Justiça”, avalia o magistrado.

COMARCA – De entrância inicial (vara única), a comarca de Igarapé Grande foi instalada em dezembro de 2003. Pertence ao polo judicial de Caxias e o fórum está localizado na Praça Mariano Costa, s/nº, Centro.

Fonte: TJMA

3 comentários:

  1. Parabéns ao MM. Seria bom se um que tem na região fizesse o mesmo dq ta viajando eternamente kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. E outros são juízes partidários como um chamado Cristóvão de Lago da Pedra

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Dr., esse é o judiciário que queremos.

    ResponderExcluir