sexta-feira, 30 de março de 2018

Marajá do Sena sofre um dos maiores alagamentos de sua história

Ruas viraram "rio" nas últimas horas em Marajá do Sena 

A cidade de Marajá do Sena (MA) voltou a sofrer, nesta sexta-feira (30), o mesmo problema dos anos anteriores, o das enchentes, em prejuízo a moradores e comerciantes. Após chuvas volumosas nas últimas horas, boa parte da cidade foi tomada pelas águas. A enchente alagou ruas, atingiu escolas, igreja, comércios, derrubou casas, muros e arrastou pontes. Essa enchente está sendo considerada uma das piores da história. A principal avenida virou um “rio”.

O centro voltou a alagar 
Moradores usaram as redes sociais para mostrar fotos da cidade em baixo d’água e relata a calamidade em que se transformou a pequena Marajá do Sena.

Leia alguns relatos.

“Grande enchente em Marajá Do Sena/MA, blogueiros e jornalistas nos ajudem a divulgar esta ocorrência para que os gestores vejam o estado de calamidade que se encontra esta cidade”, clama um morador em grupos da rede social.

A enchente levou pontes 
“O negócio em Marajá do Sena foi sério; a enchente que deu no último mês de fevereiro não foi nada comparada com essa. As águas levaram até casas”, relatou um morador.


“Aqui acabou tudo, casas, móveis, eletrodoméstico, aqui ninguém tem mais nada. Acho que nem todo mundo tem o que comer, porque foi molhado tudo”, alertou.

A cidade está "acabada"
Vídeo 

Moradores já tinham abandonado a cidade

No último dia 22 de fevereiro, a cidade de Marajá do Sena tinha sofrido uma forte enchente. Naquele período, moradores deixaram a cidade e foram passar o período invernoso numa região mais elevada, chamada “Chapada”.

“Depois da enchente, muita gente se mudou pra Chapada, a cidade tava deserta e acabada. Aqui, em Marajá, a rua principal alaga e tem a Serra, então é área de risco. No governo do prefeito Edivan, ele fez umas casas na Chapada e deu pra algumas famílias que moram nessa área de risco, algumas pessoas foram pra lá, mas foram só umas 3 famílias mesmo”, explicou um leitor do blog ontem, antes das fortes chuvas.

Ainda na tarde desta sexta-feira, o blog do Carlinhos entrou em contato com a Prefeitura, administrada pelo prefeito Lindomar Araújo. A Assessoria de Comunicação do Município enviou um esclarecimento.

“A Prefeitura executou todos os trabalhos que estava ao seu alcance. Foram feito dois km de limpeza de córrego, mas esse trabalho não impede as enchentes, em decorrência da situação geográfica da cidade. No cento da cidade, uma área mais baixa, as águas chegam aos telhados das casas. Limpeza de córrego não evita uma enchente naquele local. Salientamos que esse problema vem de fenômenos da natureza, da geografia da cidade e não da falta de serviço da Prefeitura. A população marajaense tem que se conscientizar que a cidade precisa ser mudada de local; essa discussão de mudar o local da cidade já existe há muito tempo, porém, tem muita gente relutante que prefere sofrer com as enchentes várias vezes durante o ano”, disse.

Moradores perderam móveis, eletrodomésticos...
O Governo do Estado, através do superintendente da região, Mávio Rocha, está atento à situação de Marajá do Sena e mobiliza operários e máquinas para chegar à cidade neste sábado.

“Fomos pegos de surpresa por conta do feriado da Semana Santa. Os funcionários estavam de folgas com suas famílias, mas já foram mobilizados. Amanhã, vamos chegar com maquinário e toda estrutura para trabalhar em Marajá do Sena”, garantiu o responsável pela empresa contratada para fazer a conservação de estradas estaduais.

Confira mais fotos em continua...
































6 comentários:

  1. Retificação acerca de alguns comentários!
    O local acima citado denominado de Chapada, a área de terra que fica fora de risco de inundações, foi comprada pelo Pecuária Chico Costa pai do ex-Prefeito Edivan Costa ainda no ano de 2009 e doado ao município para que fosse constituído um Bairro e tivesse os lotes doados a estás famílias que abitavam nas áreas de ricos daquele município, e como foi acordado foi feito, o então Prefeito Edivan Costa Fez a doação e no ano de 2015, fez articulação para que o projeto de lei que autoriza a criação do Bairro Novo Marajá, foi votado e aprovado, a tal "Serra" passou a ser o "Bairro Novo Marajá" desde o ano de 2015. O Bairro já conta 37 casas "Minha Casa, Minha Vida" competência do Governo Federal, e 67 casas "Minha Casa, Meu Maranhão" de competência do Governo do Estado. Obs: ainda em construção.
    O Bairro hoje tem aproximadamente 200 família residindo de acordo com um último levantamento da Sucan.
    Tem uma Escola de Nível Médio, uma unidade do CRAS, ambos prédios prontos e em funcionamento.
    Conta também com dois poços artesianos jorrando água com abundância.
    Todos essas obras direcionados pelo ex-Prefeito. Acontece que os principais interessados em manter essas famílias lá nas áreas de risco são os grandes empresários, que sabem que se diminuir o quantitativo populacional de lá, proporcionalmente diminui as vendas, esse é o "X" da questão.
    O tal do Edivan fez a parte dele, no que diz respeito a mudar essa situação de risco que todo ano nos períodos chuvosos cerca essas pessoas.

    ResponderExcluir
  2. COMUNICADO OFICIAL


    A Prefeitura de Marajá do Sena vem por meio deste, informar o acontecimento de uma tragédia natural ocorrida na madrugada de ontem (29), onde as fortes chuvas causaram uma alagamento de graves proporções. Felizmente não houveram vítimas, apenas perdas materiais. O alagamento foi precedido de dois dias de uma tempestade torrencial. Dessa vez, a água atingiu o nível mais alto da última década. Em alguns pontos a água chegou a 4 metros de altura. A água inundou atingiu residências, comércios o Centro de Ensino Teixeira Santos e o Centro Administrativo.
    A prefeitura ainda faz o levantamento dos danos causados em prédios, pontes, ruas e estradas. Providências já estão sendo tomadas pela prefeitura.

    ResponderExcluir
  3. Que Deus possa está junto, e protegendo cada uma dessas famílias nesse momento dificil.

    ResponderExcluir
  4. Agora procurar culpados é o mais fácil o difícil é alguém falar de soluções.
    A solução é subir a cidade e que agora os políticos que gostam de se promover possam ir a marajá do Sena e ajudar a população mesmo sem receber votos lá.
    Agora é questão de ajuda e nobre politicagem.

    ResponderExcluir
  5. Construíram a cidade no lugar errado

    ResponderExcluir
  6. Se o perigo é iminente, tal como a enchente ou inundações, cada um árque com seu prejuízo deixando os recursos públicos para obras que beneficiem a todos e não apenas quem insiste em morar dentro do córrego, os recursos públicos tem quer ser para benefício da população em geral,para melhorar a vida de todos atingidos ou não pela inundação e não apenas para quem insiste em morar no curso da correnteza.

    ResponderExcluir