quarta-feira, 14 de março de 2018

Morre o físico Stephen Hawking aos 76 anos no Reino Unido


Por pesquisa sobre buracos negros, tornou-se o cientista mais célebre do mundo desde Einstein
 
O físico britânico Stephen Hawking morreu aos 76 anos de idade, em Cambridge, no Reino Unido, informou um porta-voz de sua família. De acordo com os familiares, ele morreu pacificamente em sua casa, próximo à Universidade de Cambridge. A causa da morte não foi informada.

O físico teórico era conhecido por ter superado as dificuldades de uma doença degenerativa e realizado um trabalho invovador que desvendou mistérios do universo, como os buracos negros e a relatividade. Foi autor de diversos livros científicos populares, entre eles "Uma Breve História do Tempo", que vendeu mais de 10 milhões de cópias.

Considerado por muitos o maior cientista vivo, Hawking também era cosmólogo, astrônomo e matemático. Junto de seu colega, o físico Roger Penrose, Hawking uniu a teoria da relatividade de Albert Einstein com a física quântica para sugerir que o espaço e o tempo teriam tido início com o Big Bang (explosão que teria dado origem ao universo) e terminarão nos buracos negros. Ele também descobriu que os buracos negros emitem radiação e irão, eventualmente, evaporar e desaparecer.
Continua...

Batalha contra doença

Diagnosticado aos 21 anos, em 1963, com ELA (esclerose lateral amiotrófica), uma doença neurodegenerativa que normalmente leva à morte em poucos anos, Hawking, a princípio, ouviu dos médicos que não lhe restava muito tempo de vida.

A doença prendeu Hawking a uma cadeira de rodas e o deixou paralisado. Ele conseguia somente mexer alguns dedos de uma das mãos e era completamente dependente de outras pessoas ou da tecnologia para fazer quase tudo, como tomar banho, se vestir, comer e até falar _o físico usava um sintetizador de voz que permitia que ele falasse com uma voz computadorizada, de sotaque americano.

"Eu tento viver a vida da maneira mais normal possível. E não penso sobre minha condição ou fico magoado pelas coisas que ela me priva de fazer, que nem são tantas assim", escreveu Hawking em seu site oficial.

O físico se casou duas vezes. Ele e sua primeira mulher, Jane Wilde, uniram-se quando ele ainda era um estudante universitário. Os dois ficaram juntos por 30 anos e se divorciaram em 1995. Posteriormente, Hawking ficou casado por 11 anos com Elaine Mason, que havia sido sua enfermeira. Ele nasceu em Oxford, Inglaterra, em 8 de janeiro de 1942 _coincidentemente o aniversário de 300 anos da morte do astrônomo e físico Galileu Galilei.

Recentemente, ele foi vivido no cinema pelo ator Eddie Redmayne no filme A Teoria de Tudo, que retrata sua vida até atingir a fama e o relacionamento com sua primeira mulher Jane.

Em setembro de 2016, Hawking se juntou a 375 cientistas "preocupados" que assinaram uma carta aberta criticando o então candidato à Presidência dos EUA Donald Trump, citando as ameaças das mudanças climáticas e repudiando seus planos de abandonar o Acordo de Paris, que limita a emissão de poluentes.

O cientista deixa três filhos e três netos. Em um comunicado, seus filhos Lucy, Robert e Tim disseram: "Estamos profundamente tristes, pois nosso amado pai faleceu hoje”. "Ele era um grande cientista e um homem extraordinário cujo trabalho e legado viverão por muitos anos."

Os filhos também ressaltaram sua "coragem e persistência" e disseram que o seu "brilhantismo e humor inspiraram pessoas ao redor do mundo". "Uma vez, ele disse: 'O Universo não seria grande coisa se não fosse o lar das pessoas que você ama.' Nós sentiremos sua falta para sempre", encerra o comunicado.
Fonte: R7

2 comentários: