domingo, 1 de abril de 2018

Governo do Maranhão realiza plano de ajuda a famílias desabrigas pela chuva em Marajá do Sena

Equipes da Sinfra atuaram nesta manhã para devolver o acesso à Marajá do Sena.

O Governo do Maranhão enviou neste sábado (31) 400 cestas básicas e 200 garrafões de água mineral de 20 litros às famílias prejudicadas com as fortes chuvas que caíram em Marajá do Sena, que fica a 368 Km de São Luís, na última sexta-feira (30).

Um grupo de ações envolvendo várias secretarias e órgãos da gestão estadual atua de forma coordenada para o apoio aos desabrigados, como conta o comandante do Corpo de Bombeiros do Maranhão, Coronel Célio Roberto.

“O governador Flávio Dino determinou a instalação de um gabinete de emergência com a participação de diversas secretarias e órgãos com o objetivo de apoiar os municípios no atendimento aos desabrigados e no breve restauro da normalidade nessas cidades”, conta.

De acordo com o Comandante, agentes da Defesa Civil realizam monitoramento constante e acompanhamento de perto de todos os municípios maranhenses.

“Estamos acompanhando os impactos das fortes chuvas no interior do estado desde que começou o período chuvoso. Em Marajá do Sena, não é diferente, com as chuvas de ontem, identificamos 120 desabrigados por conta da enxurrada que atingiu a cidade depois da forte chuva”, conta o comandante do Corpo de Bombeiros do Maranhão.

“Com a redução do nível da água neste sábado, iniciamos os trabalhos de limpeza e desinfecção das residências de outras 40 afetados que retornarão para suas casas após nova avaliação da Defesa Civil em seus imóveis”, completa o coronel Célio Roberto.

Outra ação prontamente realizada, foi a recuperação das vias de entrada na sede do município que ficaram intrafegáveis após a chuva. Equipes da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) realizaram, desde o início da manhã, os serviços que devolveram o acesso terrestre à cidade.
Equipes da Sinfra atuaram nesta manhã para devolver o acesso à Marajá do Sena
“Fizemos a recuperação da estrada que havia sido cortada, o tráfego já está normalizado e estamos adotando novas providências por conta do risco das chuvas intensas, aumentando o número de equipamentos e homens trabalhando nas estradas e também dentro dos municípios, auxiliando nas demandas das gestões municipais”, conta o secretário de infraestrutura, Clayton Noleto.

“O governo está atento à cidade e região para atender as demandas coordenadas pelo próprio governador Flávio Dino com a participação do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Casa Civil, Secretaria de Desenvolvimento Social e de toda a estrutura da gestão estadual que está mobilizada para resolver os problemas decorrentes do maior regime de chuvas na região”, completa o secretário.

Abastecimento de água

Ainda entre as ações, o Governo do Estado enviou carros pipa para abastecer a cidade de água potável, enquanto as equipes trabalham pelo restabelecimento do abastecimento de água.

Monitoramento

Segundo o Corpo de Bombeiros, outras cidades afetadas pelas chuvas também estão recebendo o apoio do Governo do Estado como Trizidela do Vale e Pedreiras que apresentam alta no leito do rio e risco de inundação de casas.

“Em Trizidela do Vale, a 2ª Companhia do 6º BBM atende a população da região, durante 24 horas por dia, e já tem um plano de ação para ser efetivado com a possível cheia do rio”, conta o coronel Célio Roberto.

5 comentários:

  1. Muito triste ver tudo isso,que Deus olhe por essas pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito o ato de solidariedade que as pessoas estão fazendo a esse povo desta cidade. Ñ desanimes meus irmãos logo tudo será solucionado Deus não esquece de seus filhos.

    ResponderExcluir
  3. Força Marajaenses.

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que foi em ano De eleição por que se não está cidade estava acabada

    ResponderExcluir
  5. Por que esse pessoal no mudam essa cidade pra cima da chapada. Já foi feito o projeto pra mudatem pra lá durante governo edivan costa. Mas ninguém foi.lá em cima estariam livre disso tudo. Mas são teimosos. Aposto como os que moram lá na chapada no perderam nem uma galinha. Mas quem sabe um dia eles se concientizam. E triste há situação mas fazer o que. Há solução eles tem. Só basta usar.

    ResponderExcluir