sexta-feira, 11 de maio de 2018

Índios chamam atenção em praça de Lago da Pedra


Diabetes, sinusite, varizes, úlcera gástrica, reumatismo, artrite, impotência sexual, problemas na próstata e bexiga. Esses são alguns dos males que podem ser tratados com ervas medicinais da Amazônia, segundo índios da etnia Pataxó, que dizem ser de um tribo que fica em Porto Seguro, Bahia.

Os indígenas, que desembarcaram na última semana em Lago da Pedra, um deles acompanhado da esposa e filhos, estão atraindo a atenção de quem passa pela Praça Deputado Waldir Filho, Centro. Tudo por conta da tenda que montaram, onde vendem as populares “garrafadas”, além de objetos fabricados por eles como artesanatos, lanças, arcos e flechas.
Continua...

O que também chama atenção, além das vestimentas e propriedades das garrafadas, são os discursos feitos por eles. Simpáticos e comunicativos, abusam de descontração e interação com o público: “ei, a senhora é casada? Então leva essa garrafada pro seu marido não ter que pular a cerca”, soltam brincando com mulheres da ‘plateia’.

A garrafada, que é sucesso em vendas, custa R$ 50,00. Os índios explicam que toda renda arrecadada com a venda dos produtos é revertida para os territórios a que pertencem.

Do Blog do Walney Batista

8 comentários:

  1. Índios malandros a cara do nosso Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Faz uma garrafada pro prefeito de Esperantinopolis a aprender a trabalhar as obras que existem aqui só sai na base de milagres kkk.

    ResponderExcluir
  3. Agora é Bolsonaro presidente e Maura Jorge governadora galera.

    ResponderExcluir
  4. Quanto é q ta a maconha deles aí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ugh!! Pra comprar maconha de índio, tem que chamar índio no particular, senão PM vê e prende índio e branco também, e aí a taca come.

      Excluir
  5. Cara eu estava na feira de Lago da Pedra sabado passado... e eu tambem achei muito interessante, passei mais de meia hora olhando rsrsrsr

    ResponderExcluir
  6. Trabalho digno! Meu tio ficou bom de gastrite depois que tomou uma garrafada de um índio.

    ResponderExcluir