quarta-feira, 6 de junho de 2018

Hospital Municipal de Lima Campos recebe visita do Conselho Municipal de Saúde


Pensar e Agir cada vez mais sobre as redes de atenção a saúde no município, é de suma importância para o atendimento contínuo da atenção primária aos usuários.
 
Saúde: de quem é a responsabilidade?

Existe uma divisão de responsabilidades entre os três poderes: Federal, Estadual e Municipal. Cada um tem as suas funções, os seus limites de atuação, mas o ideal para o funcionamento do sistema de saúde nas cidades é a gestão conjunta de todos esses atores.
 
É comum no dia a dia, ouvir-se muitas críticas relacionadas a área da SAÚDE, pois realmente a população brasileira é muito carente em relação aos serviços que constam como direito do cidadão. Em Lima Campos é comum ouvir-se: falta isso; falta aquilo; tem que melhorar... Sim! Melhorar cada vez mais é um desejo intenso de todos, principalmente do Gestor Municipal, como dos profissionais responsáveis que na maioria das vezes se dedicam 24hs por dia tentando resolver ou amenizar as questões. Precisamos entender que o Hospital Municipal de Lima Campos, é um Hospital de médio porte, e na maioria das vezes irá depender de outros Hospitais em outras cidades, onde sempre terá trâmites a serem cumpridos e obedecidos pelo sistema que rege todo esse processo.
 
Na verdade, queremos conscientizar o cidadão limacampense que a população precisa está informada do empenho do prefeito Jailson Fausto Alves, da Secretária de Saúde Lidiane de Sá Curvina, da Diretora Administrativa do Hospital Municipal Samira Pereira Araújo e de todos os funcionários da área. O trabalho é intenso, existe muita demanda para o suporte que é permitido e naturalmente isso gera desconforto com quem presta e com quem recebe o atendimento. Mas essas consequências não podem afetar de forma que não venhamos a entender e juntos tentarmos unir esforços para buscar mais qualidade. Comparando Lima Campos a outras cidades até com a população e verba mais abrangente, vale ressaltar que estamos bem adiante em relação a vários fatores e temos uma equipe médica eficaz e presente que trabalha com seus pagamentos em dias.
Continua...

Na manhã do dia 05 de junho de 2018, a Diretora Administrativa do Hospital Municipal - Srª Samira Pereira F. B.Araújo recebeu a visita do conselho municipal de saúde que tem como Presidente o Sr. Francimar Almeida Andrade, que juntamente com os outros membros, estiveram visitando o hospital municipal com o propósito de averiguar, anotar e posteriormente em suas reuniões mensais, construir um relatório com as necessidades básicas e emergenciais, para desta forma reivindicar de forma correta e com bases legais diante do gestor municipal que certamente irá tomar conhecimento e continuar buscando as soluções de melhoria para as questões citadas. É viável relatar, que o prefeito Jailson Fausto Alves tem uma forma de Governo imparcial e que se permite a ouvir á todos; mas nem sempre a população fica sabendo da própria existência deste Conselho Municipal de Saúde, que pode ser procurado por qualquer pessoa na sede da Secretaria Municipal de Saúde na Rua Newton Bello. Este Conselho é um órgão que é do povo e precisa ser usado para garantir cada vez mais as melhorias na qualidade dos serviços prestados na área da Saúde. O conselho tem esta função em qualquer que seja a área, seja saúde, seja educação e tantas outras.
 
Você vai conferir vendo cada uma das imagens aqui postadas, ao trabalho minucioso do conselho municipal de saúde em visita ao hospital municipal de Lima Campos, onde a diretora administrativa Samira Pereira, recepcionou e acompanhou em cada setor, juntamente com a agente administrativo Luciléia Oliveira dos Santos e a Coordenadora de Enfermagem Irismar Cantanhede Frota, que, não mediram esforços para explicar e mostrar a rotina de todos os setores. A secretária de saúde Lidiane Curvina também esteve presente em um dado momento e agradeceu a presença do Conselho e enalteceu a importância deste trabalho como meio de informar e ofertar á população uma maneira de interagir e tomar conhecimento de forma real e concreta sobre o trabalho da Secretaria de Saúde. A mesma ainda relatou que o hospital municipal passará por reformas de ampliação e que ao lado já está em fase de construção o centro da mulher, um local exclusivo e bem ao lado do Hospital, que será para atendimento específico do sexo feminino. O Secretário de Infraestrutura Sr. José de Ribamar Braga esteve também acompanhando toda esta visita ao hospital municipal e já mencionando as futuras reformas o local.

Para melhores esclarecimentos, convidamos você que leu esta matéria, a continuar lendo o texto abaixo e que uma vez informados, busquem se apoderar dos seus direitos, conhecendo, fiscalizando e buscando informações com o conselho municipal de saúde para que juntos a atuação da população venha ser de fato uma participação coerente e ativa na busca da qualificação dos serviços a que temos por direito.

Qual a responsabilidade da Prefeitura?
 
A Prefeitura é o principal órgão responsável pela área da saúde. O prefeito e a equipe de gestão dos serviços, pela Secretaria Municipal de Saúde, que são os responsáveis pelas ações e serviços de saúde naquele local. Logo, tanto a criação de políticas públicas municipais como a aplicação de políticas nacionais e estaduais devem ser feitas pela equipe do município.

O planejamento de ações no Sistema Único de Saúde em âmbito local dependerá de recursos próprios do município (mínimo de 15% de sua receita) e dos repassados pela União e pelo estado.
 
O SUS
O Sistema Único de Saúde, o famoso SUS, foi criado a partir da Constituição de 1988 quando concedido aos cidadãos brasileiros o direito à saúde. O SUS é um sistema público de saúde, que tem como preceito o acesso integral, universal, igualitário e gratuito para toda a população brasileira – que hoje é de mais de 200 milhões de habitantes.

Os cidadãos devem ter acesso integral a todos os serviços oferecidos pelo SUS, que vão desde exames básicos até cirurgias complexas, como as de transplantes de órgãos. Além do atendimento básico, com consultas, exames médicos e internações, o SUS também deve trabalhar de maneira preventiva, com vigilância sanitária, campanhas de vacinação, fiscalização de alimentos e registro de remédios.
 
Qual a responsabilidade do Governo dos Estados?
Aos governos estaduais está atribuída a gestão das políticas públicas estaduais por meio de uma secretaria. Com esse meio, devem criar suas próprias políticas de saúde, assim como apoiar a execução de políticas nacionais e municipais, utilizando seus próprios recursos – mínimo de 12% da receita. Devem, também, coordenar as ações do SUS em todo o estado e fazer o repasse de recursos da União aos municípios, de acordo com os que tiverem maior ou menor demanda.

Qual a responsabilidade da Presidência da República?
Como o Governo Federal é o órgão que mais arrecada impostos, ele é o principal responsável por financiar a saúde em todo o país. Porém, não tem a responsabilidade maior da prestação de serviços de saúde. O dinheiro pode ficar nos cofres da União para cobrir seus gastos e também ser repassado aos estados – que então passará aos municípios, os maiores responsáveis por botar em prática as políticas da área da saúde. O órgão que faz a gestão da saúde em âmbito nacional é o Ministério da Saúde, que faz estudos e planeja a implantação de políticas nacionais de saúde. O Ministério da Saúde também é responsável pela criação de normas, avaliação, fiscalização e controle das ações do SUS em todo o país.

Quais os direitos do cidadão quanto à saúde?
Qualquer cidadão pode ter acesso a qualquer tipo de medicação – as mais básicas são facilmente distribuídas, de forma geral. O SUS é modelo internacional na distribuição de remédios para diabetes e hipertensão, por exemplo. Mas os medicamentos mais caros às vezes não chegam ao cidadão mesmo após a solicitação, e o caso pode entrar na justiça – o juiz determinará se o cidadão irá ou não receber o remédio. O lado negativo de se conceder medicamentos muito caros a um paciente, segundo especialistas, é que recursos que poderiam atender a um número maior de pacientes são destinados a apenas uma pessoa.



Ascom

Nenhum comentário:

Postar um comentário