quarta-feira, 27 de junho de 2018

Pedreiras - Acusada de assassinato é condenada a seis anos e meio de prisão

A juíza Larissa Tupinambá Castro, titular da 3ª Vara de Pedreiras, presidiu uma sessão do Tribunal do Júri nesta terça-feira (26). No banco dos réus, Maria Senhora dos Santos da Silva, que estava sendo acusada pela morte de Raimunda Maria de Freitas, com um golpe de punhal na altura do peito. A ré foi considerada culpada pelo conselho de sentença e recebeu a pena de seis anos e seis meses de prisão, a ser cumprida inicialmente em regime semiaberto.

Consta na denúncia oferecida pelo Ministério Público que, em 15 de dezembro de 2016, na Rua do Campo, em Trizidela do Vale, Maria Senhora teria acertado um golpe de punhal no peito esquerdo de Raimunda, causando-lhe a morte. Relata o inquérito que Maria Senhora morava no lugar denominado ‘Bar do Genésio’, que era companheiro de Raimunda. Na data citada, a acusada, que trabalhava no referido bar, teria ido tomar um banho de rio com uma amiga.
Continua...

Ao retornar, ela teria discutido com Raimunda e, ato contínuo, armou-se com um punhal. Ela teria atingido Raimunda após esta ter cobrado valores por consumo no referido bar. Raimunda ainda chegou a gritar pelo companheiro e foi levada pela ambulância do Corpo de Bombeiros, mas morreu ao dar entrada no hospital. A acusada também sofreu uma lesão na mão, sendo medicada logo em seguida.

Em depoimento à polícia, Maria Senhora confessou o delito. “A ré Maria Senhora, embora sendo primária, agiu com intenso dolo na prática do crime, desejando a consumação do delito e escolhendo instrumento e modo de agir que tornavam certa a consumação do ato criminoso”, relata a sentença.
Fonte: TJMA

5 comentários:

  1. Quem deveria pegar 6 anos e meio era essa juíza com nome de índio, onde já se viu a pessoa matar outra por perversidade e pegar só isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem Condenou ela foi a população e não a juíza

      Excluir
  2. A pena estabelecida é um completo deboche com a sociedade. O relato da sentença diz "intenso dolo" e "desejando a consumação do delito". Portanto, se não houver mobilização da sociedade para mudar urgentemente a legislação penal, infelizmente, pagaremos o preço por essa impunidade institucionalizada.

    ResponderExcluir
  3. Voce ja imaginou um parente seu ser assassinado e o criminoso pegar so 6 anos de cadeia ou seja começar dormindo na cadeia! se eu sou parente próximo da vitima eu dizia : vamos esquecer tudo e deixa ela solta direta, pelo meno o estado se livra desta despesa de bancar as noites dela na cadeia. matar um ser humano no Brasil não causa problema pra ninguem

    ResponderExcluir
  4. é uma vergonga mesmo,decepcionante uma justiça dessa

    ResponderExcluir