quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Ministério público de Igarapé Grande realiza reunião para tratar sobre o direito à vida e a violência contra os Idosos



Na ultima terça-feira (14), o Ministério público de Igarapé Grande na pessoa do Promotor João Viana, realizou uma reunião no prédio do CRAS, para tratar sobre o direito à vida e a violência contra os Idosos.
 
Na reunião também foi criado no município uma comissão para desenvolver trabalhos e ações voltados para Pessoa Idosa. Estavam presentes o Pastor José Maria, Secretária da Assistência social Carmem Costa, Secretária de saúde Raquel Evangelista, Coordenadora do CRAS Luciana Périco, Presidente do CMDCA Joana Tavares, Assistente Social Nilma Melo, Assistente Social Edla Maria, Conselheiro de Municipal de Segurança Manoel Dantas, Grente do Banco do Brasil Luciano, representante do Banco Bradesco, Agente de saúde Francisco das Chagas e toda equipe de ACS.

A palestra foi administrada por Francisco das Chagas com o tema "Direito a Vida e à violência contra a Pessoa Idosa". No Brasil, houve uma grande redução da taxa de mortalidade dos idosos, neste sentido aumentou consideravelmente o índice de violência a estes. Estima-se que a população do Brasil possui quase 25 milhões de indivíduos acima de 60 anos.

Mais em Continua...

Estes idosos estão sofrendo violência, sendo acarretados com abuso e maus e maus tratos físicos, pressão psicológica, abuso sexual e financeiro, abandono e falta de assistência. O principal agressor advém do seio familiar, indivíduos que dependem financeiramente dos idosos ou até mesmo aqueles que são remunerados para prestar-lhes serviços assistenciais.

Diante deste cenário de violência e paralelamente com os movimentos sociais, surge a Política Nacional do idoso, de 1994. Reafirmando esta preocupação com os idosos, exsurge o Estatuto do idoso em 2003, protegendo de maneira especial os indivíduos com idade igual ou superior que 60 anos de idade. Apesar da existência de leis favoráveis aos idosos, estes ainda encontram dificuldade para buscarem seus direitos, sejam essas dificuldades físicas ou meramente burocráticas, desta forma preferem silenciar-se e tornar-se cúmplice da violência, do que sofrer locomovendo-se atrás de soluções demoradas e constrangedoras.



Promotor de justiça de Igarapé Grande João Viana







Palestrante Francisco das Chagas 

Fonte: Igarapé Grande de todos

3 comentários:

  1. Engraçado,será que o promotor desconhece, casos relevantes,existentes na comarca de Ig.Grande(MA).Pessoas velhas,doentes, e que tiveram seus bens tomados pelo filho, e hoje vivem passando necessidades diversas
    esperando há anos por uma decisão judicial,que não sei por qual motivo,nunca saiu!O promotor,o juiz tem uma resposta? A família, a sociedade está esperando!

    ResponderExcluir
  2. Alô ministério público,vai atrás dos marajás daqui de Igarapé Grande.

    ResponderExcluir
  3. Não adianta reuniões se não há prática!Só mídia!

    ResponderExcluir