quinta-feira, 1 de novembro de 2018

“Thor foi morto com tiro de 12 e teve a orelha cortada”, afirma delegado regional de Pedreiras


Policiais da 14ª Delegacia Regional de Pedreiras prenderam, na última quarta-feira (31), Antônio Teixeira de Oliveira, vulgo “Toin do Alto”, acusado de participar dos três homicídios ocorridos no dia 17 de março de 2016, na estrada de acesso ao Povoado Centro do Meio, em Esperantinópolis. As vítimas foram identificadas como Manoel Alves de Souza (vulgo Thor), Antônia Ramos Alves e uma menino, filho de Antônia.

De acordo com as investigações, “Toin do Alto” foi contratado pelo empresário Erismar Lopes de Souza para executar Thor. Entretanto, no dia do crime, Antônia e a criança também acabaram mortas por disparos de arma de fogo, por estarem de garupa na moto de Toin.

Além de Antônio, participou do assassinato um homem identificado como Francisco Messias Filho, o “Mãozinha”, que foi preso em julho deste ano por outra morte na cidade de Itinga. Já o empresário Erismar Lopes foi preso e condenado a 52 anos e dois meses de prisão.

O delegado regional Diego Maciel, foi entrevistado pelo repórter Jorge Henrique, da TV Ouro Vivo (canal 9 de Pedreiras) e falou detalhes do triplo assassinato que chocou Esperantinópolis e boa parte do Maranhão na época.

Delegado Regional Diego Maciel - Em 17 de março de 2016, eu ainda estava na delegacia de Esperantinópolis, e ocorreu esse fato criminoso e que gerou uma forte repercussão estadual, uma vez que tinha uma criança entre as vítimas. No entanto, a Polícia Civil do Estado do Maranhão vinha trabalhando no sentido de colher elementos informativos. Logo após o crime, dois indivíduos foram presos, um absolvido e o outro condenado à 52 anos e que já está cumprindo pena. Nós identificamos logo em seguida  um dos pistoleiros que teria feito a execução. Ele foi preso no começo deste ano, no mês de julho, na cidade de Itinga (MA). A gente recebeu o apoio da regional de Açailândia, e lá foi dado cumprimento, onde ele está preso, confessou a participação no homicídio e contou detalhes acerca da execução.

Toin do Alto, em depoimento confessou que o tiro que matou Thor foi disparado por ele

De posse de todos os elementos informativos, a gente identificou o terceiro pistoleiro que estava envolvido no fato, e cabe à Polícia Civil representar a prisão preventiva do mesmo. Isso já foi feito, na data de hoje e foi dado cumprimento ao mandato de prisão preventiva. Ele está agora na regional, será encaminhado para a Unidade Prisional  de Ressocialização (Presídio) de Pedreiras, onde ficará a disposição do judiciário.

Repórter Jorge Henrique  – Delegado, a policia civil já tem informações a respeito do que pode ter motivado o assassinato dessas três pessoas?  

Diego Maciel – Basicamente, eles alegam discussões pretéritas e possíveis ameaças. No entanto, nada que viesse a justificar de forma plausível um crime dessa forma, realizado com a barbaridade que foi na época.

Repórter Jorge Henrique  –  Dr. Diego, informações preliminares chegaram até nossa equipe de reportagem, de que eles almejavam matar somente uma pessoa, que no caso seria o homem. É verdade que a mulher e a criança que foram assassinados não estavam nos planos dos assassinos?

Delegado Diego Maciel – Bem, inicialmente o que foi produzido é que de fato a execução objetivava a vítima que era conhecida como "Thor." No entanto, nesse dia, ele estava acompanhado com mais duas pessoas, uma mulher e o filho dela, e terminaram todos os três sendo vitimas do homicídio.

Repórter Jorge Henrique  –  De que forma foram assassinados?

Delegado Diego Maciel –  Eles foram assassinados mediante disparos de armas de fogo. Eu lembro que o exame cadavérico também atestou uma lesão grave na cabeça do homem, provavelmente por um disparo efetuado por alguma arma de calibre 12. A orelha da vítima também foi cortada, então, foram nuances do fato criminoso que gerou uma repercussão extremante negativa. A polícia civil vem mais uma vez demonstrando que esse sentimento de impunidade não vai imperar na região. Que na verdade, todos os crimes que ocorrerem serão devidamente investigados, seus autores processados e tenho certeza que serão condenados.


Repórter Jorge Henrique  – Só para finalizar, a situação desses três assassinatos, a pergunta que lhe faço agora é; qual será o procedimento daqui em diante com essa pessoa que é acusada de ter matado o homem, uma mulher e uma criança especial?

Delegado Diego Maciel –  Na verdade, ele vai sofrer o mesmo procedimento do outro pistoleiro que está em Açailândia, eles serão devidamente processados e deverão ser submetidos, uma vez que pronunciados, ao júri popular.

Repórter Jorge Henrique  –  Delegado, fique aqui os parabéns de toda a sociedade e de toda a imprensa para o trabalho da Polícia Civil. A gente sabe que esse caso aconteceu em 2016, todavia, duas pessoas já foram julgadas, nós estamos aqui agora com o terceiro envolvido neste crime. E mesmo com a baixa quantidade de delegados na região, ainda sim vocês estão conseguindo solucionar os crimes e outros mais também.

Delegado Diego Maciel –  Sim, a missão foi dada pra gente, então temos de fazer nosso trabalho, independentemente, de qualquer dificuldade. No entanto, já tem vários delegados na academia da Policia Civil, então tenho certeza que à partir de janeiro a cúpula vai destinar vários delegados, investigadores e escrivães para nossa regional, o que vai fortalecer ainda mais nossas investigações, e vai imprimir uma força muito maior na elucidação dos fatos.

Mais 

Pistoleiro conta detalhes arrepiantes sobre três execuções em Esperantinópolis


Um comentário: