terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Hildo Rocha defende revalidação de diplomas de estudantes formados no exterior

Audiência com o Reitor da UEMA, Gustavo Costa
O deputado federal Hildo Rocha foi recebido em audiência pelo Reitor da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Gustavo Costa, e pelo vice-reitor, Walter Canales. Também participaram do encontro o chefe de gabinete José Oscar Pereira e um grupo de médicos formados no exterior que pleiteiam a revalidação dos diplomas.

Voz em defesa dos médicos

Hildo Rocha ressaltou que dezenas de médicos maranhenses que se formaram no exterior enfrentam dificuldades porque a lei exige que os seus diplomas sejam revalidados por instituição pública brasileira de ensino superior. O parlamentar destacou que existe uma carência muito grande de médicos no Maranhão, principalmente nas pequenas cidades.

“A situação se agravou com a saída de centenas de profissionais que integravam o Programa Mais Médicos. Então, diante dessa realidade, é justo e necessário que esses profissionais da medicina formados no exterior sejam avaliados pela UEMA e tenham seus diplomas validados para que possam trabalhar normalmente”, argumentou o deputado.

Celeridade

Hildo Rocha defendeu celeridade na solução do tema. “Essa questão deve ser resolvida o mais rápido possível, não podemos perder esses profissionais, muitos deles mais preparados do que alguns formados aqui no Brasil. Eu defendo essa causa. O reitor já submeteu  o tema ao Conselho Universitário, colegiado que tem as prerrogativas de decidir sobre a questão. A decisão final será formalizada em março deste ano”, comentou.

Recursos para a UEMA

Além da questão da revalidação, foram discutidos temas administrativos referentes às emendas individuais no valor de R$ 1 milhão de reais, que o deputado Hildo Rocha destinou para a instituição de um Ginásio Poliesportivo no Campus Universitário Paulo VI, em São Luís; construção de academias ao ar livre, em polos localizados em cidades do interior, e compra de equipamentos pedagógicos. Foi tratado também sobre o convênio entre a Codevasf e a Uema, para realizar o diagnóstico e a confecção do Plano de Manejo das águas da bacia do Itapecuru.

“Os procedimentos administrativos já estão bastante avançados. Parte dos recursos financeiros já estão na conta da Uema. Esse será o maior estudo já realizado acerca da situação do Rio Itapecuru, um dos mais importantes rios do Maranhão. Em breve os trabalhos de campo serão concluídos pela nossa Universidade”, explicou Hildo Rocha.

8 comentários:

  1. Isso acontecer é melhor estudar fora do Brasil.Tem muitos que não tem nem capacidade para passar no ensino fundamental e estuda Medicina fora Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Esse deputadozim não tem prerrogativa nenhuma pra afirmar que a formação nessas instituições da América latina são melhores que as do brasil.Se fossem boas, esses "médicos" passariam na revalidação sem problema. É mais um jogo político que por trás rola propina, CANALHAS!

      Excluir
    2. Concordo!!!Infelizmente as populações vindouras sofrerão nas mãos de tais profissionais médicos.Aqui em nossa cidade poção de pedras,nunca teremos médicos renomados como os atuais:Dr João,Ademar,Antonio e por aí vai>Sabe pq? Uma legião de bolivianos certamente estará por aqui nos próximos anos.

      Excluir
  2. Tem alunos, na maioria,fazendo Medicina,nesses países estrangeiros,semi analfabetos,que aqui no Brasil não passariam nem para garis. Esse deputadozinho em troca de votos, é capaz de vender a alma pro diabo, é um imbecil! Se isso viesse acontecer seria o fim da saúde,que já é muito precária.

    ResponderExcluir
  3. O principal objetivo desses políticos de esquerda é desvalorizar a importância dos médicos no Brasil a fim de diminuir custos com salários e mascarar o sucateamento da saúde na nossa região, às custas do desvio de verbas destinadas para tal área. O poder público precisa intervir nessa palhaçada.

    ResponderExcluir
  4. O brasil não precisa de mais médicos nem mais vagas de medicina. O que precisa ser feito é melhorar as condições de trabalho nessas regiões que os políticos só exploram. A população só perde e eles ganham.

    ResponderExcluir
  5. Concordo plenamente . Mas os cursos de medicina no brasil tbem nao e la essas coisas o nosso perde pra varios da america latina em educacao

    ResponderExcluir
  6. Porque que o Brasil e o penultimo em educacao. Sera se fosse aplicado o revalida para estudantes de medicina no brasil eles passariam . Tenho duvidas

    ResponderExcluir