quarta-feira, 15 de maio de 2019

Mais informações sobre a Operação da Polícia Federal em Pedreiras, Bacabal e região


Por Carlos Barroso 


Cartões apreendidos pela PF 
A operação Grande Família, deflagrada pela Polícia Federal, prendeu dois servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na manhã desta quarta-feira (15) em Teresina. A ação policial cumpre mandados judiciais também no Maranhão contra uma quadrilha especializada em falsificar benefícios previdenciários de segurados falecidos.

A organização criminosa atuava há cinco anos em Teresina e nos município de Bacabal e Pedreiras no Maranhão.

Segundo a Polícia Federal, foram cumpridos 21 mandados de prisão preventiva. Além das prisões, foram realizados 31 mandados de busca e apreensão, inclusive em uma residência na zona Leste onde foram encontradas três armas de fogos e que servia de escritório para a quadrilha. 
Material utilizado pela quadrilha para falsificar registros de identidades.

O coordenador da Operação e delegado da Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários, Lucimar Sobral Neto, explicou como atuavam os estelionatários. 

“Essa fraude investigada, basicamente, se resume no recebimento do benefício após o óbito dos beneficiários. Os beneficiários verdadeiros falecem, essa quadrilha consegue identificar essas pessoas que falecerem e falsificam RG, documentos civis, comprovantes de residência e transferem esse benefício do Maranhão para Teresina. Aqui, continuam recebendo normalmente esse benefício. Foi uma fraude na manutenção desse benefício porque, em tese, são concedidos de forma legal”, esclarece o delegado. 

De acordo com o Serviço de Inteligência do INSS, os 639 benefícios fraudulentos representam um prejuízo superior a R$ 26 milhões para os cofres públicos. Se a ação dos estelionatários continuasse, o valor do desvio chegaria a mais de R$ 80 milhões. 

Material apreendido na Operação Grande Família.

Ainda segundo o coordenador da Operação, delegado Lucimar Sobral Neto, alguns integrantes da associação criminosa já haviam sido presos em operações anteriores realizadas no estado do Maranhão. Os chefes da quadrilha fazem parte da família com sete pessoas que foi presa e nomeou a ação da Polícia Federal realizada nesta manhã. 

Os investigados deverão responder pelos crimes de associação criminosa, estelionato qualificado, falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção passiva e corrupção ativa.  

Fonte: Blog do Carlos Barroso 

19 comentários:

  1. Quando chegarem aqui em Lago da Pedra. A casa vai vai pra uns funcionários...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses rapazes de Lago dá pedra brincam com o dinheiro aleio. Polícia federal nesses bandidos.

      Excluir
  2. O bicho vai pegar... a farra aqui com o dinheiro do INSS em Lagoda Pedra. Vai acabar!

    ResponderExcluir
  3. Pedreiras é uma base desses criminosos.
    Tem gente que não tinha nem onde cair morto e hoje vivem ostentando, riqueza sem da um prego numa barra de sabão.
    Pior que apesar de ser um crime federal nunca dá em nada. Porque a grana é alta e esses criminosos tem bons advogados para entrar com recursos de apelação e logo estão soltos respondendo em liberdade e dando risada da situação. Eita país sem rumo...

    ResponderExcluir
  4. Te prepara figura tua máscara ta pertinho de cair

    ResponderExcluir
  5. Tem muita gente grande nesse meio aí em Esperantinópolis também

    ResponderExcluir
  6. Poção de pedras
    Cuidados amigos aposentados


    A casa tá caindo


    Vamos trabalhar vamos estudar

    ResponderExcluir
  7. Vocês conhecem quem são is sindicatos hoje em poção?

    Se não parar com esses crines minhas filhas não terá essa felicidades de se aposentar.


    Vamos barrar com esses crimes

    ResponderExcluir
  8. Só falta aqui em Lago da Pedra

    ResponderExcluir
  9. Poção


    Tá um cenário de malas


    Veja essa matéria
    Blog Fernando Melo

    Essa matéria blog Fernando melo

    O editor do blog teve acesso a um áudio em que uma participante denuncia suposta irregularidade envolvendo outra candidata que realizou o certame para o cargo de professor na cidade de Bernardo do Mearim.

    De acordo com o teor da conversa, a participante acusa, sem citar nome, que uma professora de Poção de Pedras teria concorrido a mesma vaga que ela de forma favorecida, e que teria sido ajudada por meio de artimanhas, que se dariam com outro colega repassando as informações das questões da prova. Ainda de acordo com informações, a referida professora estaria, ao tentar uma vaga através deste concurso, infringindo também a lei de acúmulo indevido de cargos, por já exercer mais de 40 horas/trabalho semanais num povoado de Poção de Pedras.

    Cenário orrível para os trabalhadores e estudantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Retardado. O assunto aqui é fraude do INSS.

      Excluir
    2. Mas é crime minha mãe kkkkk

      Excluir
  10. Servidores do INSS ganham 6.000,00 mil reais, Adam brincando com dinheiro. Cadê a polícia federal pra prender esses rapazinho.

    ResponderExcluir
  11. Isso aí eh em todo os lugares aqui em Bacabal está cheio alto alegre em todo canto isso aí não tei lei não... Só tei lei pra quei deve uma pensão.

    ResponderExcluir
  12. O povo brincar com o dinheiro aleio não eh suo deles. Por isso!!!

    ResponderExcluir
  13. O nortista iam para o sul e sudeste, davam shows de como se trabalhava, hoje em dia a maioria, só querem viver da esperteza, sei que isso tem no país inteiro, mais como ta no Nordeste hoje é demais, trabalhar ninguém quer, deste que criaro essa tal bolça para malandros, no Rodrigues tem um nego lá que aposenta ate o satanás se ele quiser

    ResponderExcluir
  14. Ele não aposenta ninguém quem aposenta são servidores do INSS

    ResponderExcluir
  15. E pq o blog não divulga o nome dos meliantes?

    ResponderExcluir
  16. E porque o blog não divulga o nome dos meliantes.?

    ResponderExcluir