quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Vídeo: Médico é preso por omissão de socorro a uma criança em hospital de Pinheiro-MA

Paulo Roberto Penha Costa foi preso após omitir socorro a recém-nascido em Pinheiro (MA)

A Polícia Militar prendeu, na madrugada desta quinta-feira (1º), no município de Pinheiro, o médico Paulo Roberto Penha Costa, acusado de omissão de socorro a uma criança em um hospital público da cidade. O recém-nascido não resistiu e morreu ainda dentro da ambulância.

Médico Paulo Roberto Penha Costa omitiu socorro no Hospital Materno Infantil de Pinheiro
De acordo com a polícia, Paulo Roberto se recusou a atender a criança que chegou na unidade de saúde vinda do município de São Bento, pois, segundo o médico, o município de São Bento é vinculado a Viana e não a Pinheiro.

Os policiais militares foram acionados ao local, tentaram argumentar com o médico sobre o atendimento, mas este se recusou e acabou sendo conduzido à delegacia. O hospital e o médico não se pronunciaram sobre o assunto. O médico responderá por omissão de socorro e homicídio culposo.

Confira o relatório da Polícia em continua...
PMMA/CPI/CPAI5
CMT: CEL QOPM VIEIRA
UNIDADE: 10º BPM
CMT DA UNIDADE: TC DINIZ
1ª CIA/Pinheiro-MA
CMT: 💀TEN GIVANILDO⚡

⚡FORÇA TÁTICA⚡

DATA: 01/02/2018

HORÁRIO: 03:00hs

OCORRÊNCIA: Omissão de socorro

LOCAL:
Materno infantil
Av Castelo Branco
Bairro Alcântara

TESTEMUNHAS
Rosilandia Rodrigues Sodré  pacheco - enfermeira
Barcime de Jesus Alves ferreira- enfermeira
Valmir nascimento de carvalho - motorista da ambulância
Gracineide Rodrigues - mãe da criança

VITIMA recém-nascido

CONDUZIDO:
Paulo Roberto penha costa

RELATO

Recebemos informações via rádio que teria uma ambulância de são Bento com um recém-nascido em estado grave de vida parada na porta do martelo infantil e que estariam se negando a atendê-la, nos dirigimos ao local e constatamos a veracidade dos fatos, solicitamos a presença do médico plantonista e fomos informados atravéz da enfermeira que o mesmo não poderia receber a criança pós a mesma era de são bento e o materno não recebe paciente desse município, cabe ressaltar que o médico não saiu do seu quarto nem para atender a criança é muito menos para falar com a guarnição que solicitou a sua presença, diante dos fatos nos deslocamos até o quarto do médico para explicar a gravidade dos fatos e mesmo assim ele continuou dizendo que não atenderia por tanto  foi observado que o mesmo negou-se a atender a criança e que se tratava de uma omissão de socorro e por se tratar de um crime solicitamos que o mesmo nos acompanhasse para prestar esclarecimentos na dp de imediato nos respondeu que não iria a lugar algum reagindo com agressividade e  arrogância, tivemos que imobiliza-lo é só assim conduzimos o mesmo até a dp. minutos depois a  criança veio a óbito dentro da ambulância.
Obs o mesmo foi entregue sem lesões corporais.

Para ser liberado, médico deverá pagar fiança correspondente a 50 salários mínimos
Com informações do Blog do Francisco Vale; G1 Maranhão e Polícia Militar 

20 comentários:

  1. Replicar uma reportagem sem saber dos fatos vc transmite a um jumento maior de pessoas uma situação distorcida da realidade.

    “Em nota oficial, o Materno Infantil de Pinheiro esclareceu que na madrugada de hoje um bebê de apenas um dia, vindo da cidade de São Bento, não foi retirado da ambulância por se encontrar em estado de óbito. E que deram ao recém-nascido adrenalina ainda em São Bento, o que não é recomendado, além de estar em ambulância inadequada, acompanho apenas de uma enfermeira. Em caso de junta médica comprovar o falecimento antes de chegar ao hospital, a prisão do médico Paulo Roberto Penha Costa foi arbitrária.”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada ver essa nota mentirosa, o médico nunca saiu do hospital para olhar a criança e dizer que ela estava morta, ele sequer foi olhar ela, morreu na porta do hospital dentro da ambulância sem ajuda médica, sem socorro, é revoltante.

      Excluir
  2. Idiota odeio pessoas assim e uma vida q tava em jogo

    ResponderExcluir
  3. A prestação de socorro, além de um dever moral, é um dever legal, e a sua recusa constitui crime de omissão de socorro, previsto no artigo 135 do código penal, médico desumano, não honra sua profissão , cadê o juramento.

    ResponderExcluir
  4. Que sirva de lição para uns e outros por aí por que sempre acontece em alguns municípios do Maranhão eu mesma já fui vítima dessa falta de vergonha tive que falar que morava na quele município que agora não vem al caso para poder ser atendida lamentável

    ResponderExcluir
  5. E o juramento de formatura "dotor"??? Esqueceu foi!?

    ResponderExcluir
  6. Que bom tem que deixar la a vida toda pra ele aprender ter respeito pelo ser humano

    ResponderExcluir
  7. absurdo! como se fosse dele o hospital

    ResponderExcluir
  8. Atitude correta da policia em prender esse medico por negligencia no ofício de sua função .👏

    ResponderExcluir
  9. Bem feito se fizesse com todos que se nega a receber os pacientes eu achava era bom

    ResponderExcluir
  10. Vagabundo pena de morte pra ele

    ResponderExcluir
  11. Ele próprio foi contra o juramento que fez ....E revoltante esse indivíduo se omitir em atender uma criança.

    ResponderExcluir
  12. Não quer trabalhar, que fique em casa!

    ResponderExcluir
  13. Justiça pra esse nojento

    ResponderExcluir
  14. E se fosse um parente dele ?Se recusaria a atender ?

    ResponderExcluir
  15. Bem feito, deveria fazer por amor a sua profissão!!!

    ResponderExcluir
  16. Falta de amor pela própria profissão já que não tem pelos seres humanos pelo menos pela profissão

    ResponderExcluir
  17. Pessoas assim não deviam nem estudar pra ser Dr.

    ResponderExcluir
  18. ja que a criança estava morta .. poderia atender a mae que se encontrava muito abalada

    ResponderExcluir