segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Mulher conta detalhes sobre o assassinato do marido em Pedreiras

Alexandre, morto na noite de sábado
No sábado (11), foi registrado um assassinato na cidade de Pedreiras (MA). O indivíduo Reginaldo, conhecido pelo apelido de “Loirinho” matou a golpes de faca o ex-cunhado dele, Alexandre de Freitas Martins, 32 anos, natural de Poção de Pedras. O crime aconteceu no Largo João do Vale, Bairro do Matadouro, por volta das 22h.

A esposa (nome não informado) de Alexandre esteve no domingo (12) na delegacia e relatou para a imprensa local e para a polícia o que sabia sobre a tragédia. Ainda nervosa e chorando muito, disse que ao voltar para casa, após comprar cigarros para Alexandre, o marido perguntou-lhe se tinha visto o filhinho que ele teve com sua primeira esposa, ainda na rua, naquele horário. A atual companheira confirmou e ele, aborrecido, decidiu ir ao local para reclamar. “Essa não é mais hora para criança está na rua”, disse.

No Bar do Edésio, Alexandre acabou se desentendendo com Loirinho, seu ex-cunhado e tio do filho dele; na discussão, Loirinho efetuou uma facada no braço de Alexandre.

No lugar de procurar atendimento no hospital para o ferimento, Alexandre voltou para casa e se armou com um facão. A companheira conta que buscou de todas as formas impedi-lo, porém, o marido estava armado e embriagado; chegou a ameaçar a mesma, caso não saísse da sua frente e disse que tinha que acertar as contas com Loirinho.

Ele voltou para o Largo João do Vale, entrou em luta com Loirinho, ambos armados com armas brancas. No duelo, Alexandre levou uma facada no tórax.

Gravemente ferido, Alexandre foi amparado pela companheira: “Ele me abraçou e morreu nos meus braços”, finalizou ela, chorando muito.

Após o crime, Loirinho fugiu, a polícia foi acionada, porém, até o fechamento desta nota, o homicida ainda não tinha sido localizado. A delegada de plantão da 14ª DRPC de Pedreiras, Silvana Prazeres, deu andamento as investigações, colheu o depoimento da companheira da vítima e vai ouvir outras pessoas. 


Com informações de Ribinha da FM Cidade de Pedreiras 

6 comentários:

  1. Meu Deus dia dos pais. Essa criança não vai esquecer essa tragédia.

    ResponderExcluir
  2. Tudo errado , embriaguez e já ferido tanto fisicamente como psicologicamente, o indivíduo sai com arma branca e no momento que isso aconteceu era certo que ou ele mataria ou tentaria matar seu ex cunhado ou levaria a pior que foi o caso. Em ambas alternativa tudo estar errado e o orgulho da vítima o levou a morte unicamente por sua decisao errada em virtude de estar fora de si por causa da cachaça. Lamentável para os familiares que choram sua perda.

    ResponderExcluir
  3. Lamentável se ele tivesse ouvido a mulher dele ele não estava morto hj.

    ResponderExcluir