segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Mais informações sobre as investigações do assassinato de Geraldo Alagoano

Local marcado, onde aconteceu o assassinato 
No final da tarde do último sábado, dia 4 de novembro, o produtor rural de Igarapé Grande (MA), conhecido como “Geraldo Alagoano”, foi assassinado a tiros, quando chegava em uma festa de casamento no povoado do Lucindo, zona rural de Poção de Pedras (MA).  A vítima era pai da vice-prefeita de Igarapé Grande, Dra. Diene. Em decorrência, o crime está tendo forte repercussão na região e, em nível estadual.

O blog do Carlinhos esteve na cidade de Igarapé Grande logo após as informações do assassinato chegar as redes sociais. Registramos fotos, vídeos e colheu informações no hospital da cidade, onde o corpo da vítima passava por exames.

No domingo (5) e nesta segunda-feira (6), o blog do Carlinhos permaneceu colhendo informações sobre as circunstâncias do crime e a movimentação da polícia.

* Após a liberação do hospital, o corpo de Geraldo Alagoano foi levado para a propriedade onde ele morava com a esposa, Fazenda Mururu, zona rural de Igarapé Grande, onde foi velado.
Reportagem da TV Rio Flores (Pedreiras)

* A movimentação foi intensa durante o domingo no local; familiares, amigos e políticos da região foram se despedir de Geraldo Alagoano.

* O deputado federal Weverton Rocha, deu uma pausa em sua agenda política na região do Médio Mearim, para comparecer ao velório; o parlamentar levou solidariedade  e apoio a família enlutada, em especial, para a vice-prefeita Dra. Diene, colega de partido de Weverton. O parlamentar estava acompanhado dos prefeitos Erlânio Xavier de Igarapé Grande e Eudina de Bernardo do Mearim.

* Aconteceu uma missa de corpo presente no final da tarde de domingo, na Igreja da cidade de Igarapé Grande; em seguida, o corpo foi levado para o cemitério público municipal, onde foi sepultado diante de forte clamor de familiares e amigos de Geraldo Alagoano.  
Dra. Diene ao lado de sua mãe e de seu saudoso pai

* Após o sepultamento, as atenções se voltam para as investigações sobre a motivação, mandantes e autoria do assassinato.

A movimentação da Polícia Civil e da Polícia Militar foi intensa no final de semana, logo após o comunicado do bárbaro assassinato.

* O comando do 19ª BPM, representando pelo Major Ricardo Almeida e policiais civis da 14ª Delegacia Regional de Pedreiras, representados pelo delegado geral Dr. Lucas Smith, enviaram equipes para o povoado Lucindo, onde aconteceu o assassinato; também estiveram na cidade de Igarapé Grande. - A polícia civil investigava e a PM corria atrás dos criminosos.

* Até o momento, os executores não foram presos ou identificados.

* As investigações apontam que os criminosos chegaram no povoado do Lucindo, por volta das 12h30 da tarde do domingo; estiveram em um bar da localidade, bebendo, enquanto a aguardavam a chegada do Geraldo Alagoano para a festa de casamento da sobrinha, que acontecia na Fazenda de sua irmã, Teresinha; logo que a Hilux, onde estava o produtor rural e sua esposa, chegou ao povoado, pro volta das 16h30, a dupla que estava em uma moto Bros começou a segui-la; a camionete estacionou em frente à sede da fazenda; os criminosos desceram da moto, se aproximaram a camionete, um deles colocou a mão na janela do veículo para apoiar e efetuou os disparos à queima – roupa, na região da cabeça da vítima, sem dá nenhuma possibilidade de defesa.  

O outro pistoleiro também sacou uma arma e atirou contra o sobrinho de Geraldo Alagoano, conhecido pelo apelido de "Lulinha". Ele se protegeu dos tiros atrás de uma árvore que ficou alvejada.  

* Os criminosos subiram  na motocicleta e fugiram em alta velocidade na direção do povoado Fortaleza Beira Rio; atravessaram o rio na balsa, em seguida, sumiram pela Rodovia MA-381, que liga as cidades de Pedreiras e Joselândia. 

* Geraldo Alagoano morreu no local. O corpo foi levado para o Hospital de Igarapé Grande, onde sua filha, a médica Dra. Diene, estava de plantão. A vice-prefeita ficou em choque ao receber o corpo do pai.

Mais em continua...

* A notícia do assassinato de Geraldo Alagoano, em decorrência da distância em que fica o povoado Lucindo da sede, chegou com certo atraso aos comandos das polícias em Pedreiras; mas logo que comunicados, o delegado regional Lucas Smith esteve, inicialmente no Hospital de Igarapé Grande, onde colheu o máximo de informações possível, e em seguida, se dirigiu ao povoado do Lucindo, local em que também colheu informações de testemunhas e recolheu materiais (projeteis deflagrados da arma de fogo).

* Neste tempo, as guarnições da policia militar estavam mobilizadas para prender os suspeitos, porém, até o fechamento desta nota, ainda não foram presos ou identificados.

* O homicídio aconteceu no povoado Lucindo, zona rural de Poção de Pedras; em decorrência, as investigações deste assassinato estão sob responsabilidade do delegado Dr. Perikles, titular da Delegacia de Poção de Pedras, que por sua vez, faz parte da 14ª Delegacia Regional de Pedreiras.

* A secretária de Estado da Segurança Pública do Maranhão, através do secretário Jeferson Portela, pediu grande empenho da Polícia Civil na  elucidação do assassinato de Geraldo Alagoano; inclusive, a SSP-MA vai enviar equipes de peritos de Timon e de São Luís para ajudar nas investigações.

* A arma usada na execução de Geraldo Alagoano foi uma pistola calibre 380; três projéteis dessa arma foram colhidas no local do assassinato pela polícia civil. Segundo o delegado Lucas Smith, anda não tem informações quantos tiros a vítima levou, mas que testemunhas recolheram projéteis, antes da chegada da polícia; o delegado geral orienta essas pessoas para entregar esse material para polícia, porque serão importantes nas investigações.

* A camionete Hilux, cor prateada, placa de Pedreiras, onde estava Geraldo Alagoano, foi retida pela polícia civil e passará por minuciosa perícia. O veículo foi alvejada no para-brisa e tem marcas de sangue da vítima.

* A polícia ainda não sabe, ao certo, quantos tiros levou a vítima; pela quantidade de tiros relatados por testemunhas e marcas no interior da Hilux, estimam-se entre 3 a 6 tiros tenham ceifado a vítima. 

* Em nenhum momento, a polícia civil quis falar sobre a motivação do assassinato ou possíveis suspeitos. O crime tem claras características de crime de encomenda (pistolagem... De todo modo, o que se sabe é que os policiais civis colheram muitas informações no povoado Lucindo e na cidade de Igarapé Grande. Vamos aguardar os desdobramentos das investigações desse caso que repercute em todo estado.

* Por conta do assassinato de Geraldo Alagoano, o Blog do Carlinhos recebeu picos de acessos neste final de semana. Somando os dias de sábado, domingo e segunda-feira, o blog recebeu mais de 200 mil visualizações de páginas, mostrando o interesse da população pelo assunto. 
Visualizações de páginas 
Missa de corpo presente na Igreja de Igarapé Grande 
Movimentação dentro e fora da igreja durante a missa 


Cortejo fúnebre saiu da igreja a pé até o cemitério 

Cortejo chega ao cemitério municipal de Igarapé Grande

Enterro do corpo de seu Geraldo Alagoano
____________________

Fazenda de dona Teresinha, povoado do Lucindo
Luto em Igarapé Grande 
O prefeito Erlânio Xavier decretou lutou luto oficial de três dias em Igarapé Grande; as bandeiras que ficam em frente à Prefeitura estão a meio mastro
________________

Mais 


Pai da vice-prefeita Diene, de Igarapé Grande, é assassinado no Lucindo
http://www.carlinhosfilho.com.br/2017/11/pai-da-vice-prefeita-diene-de-igarape.html



Prefeito Erlânio Xavier lamenta a morte de Geraldo Alagoano: "Igarapé Grande e região estão de luto!"

Weverton Rocha divulga nas redes sociais nota de pesar sobre a morte do pai da vice-prefeita de Igarapé Grande


Fotos 

Geraldo Alagoano 

Movimentação da polícia em Igarapé Grande após a morte do produtor 

Corpo de Geraldo Alagoano deixa o hospital de Igarapé Grande para ser velado na Fazenda Mururu


Familiares em choque com a morte do fazendeiro 

Camionete onde estava o produtor no momento dos tiros 



17 comentários:

  1. Justiça será feita . Uma família de amigos e companheiros

    ResponderExcluir
  2. Saudades amigo Geraldo

    ResponderExcluir
  3. O Elton da barraquinha foi assassinado cruelmente e esse delegado nada fez.
    Pq era pobre!
    Já esse Geraldo q era rico e tinha fama de valente, o delegado Lucas Smith tá p ficar doido querendo solucionar o caso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não tiver um poder aquisitivo a justiça brasileira é cega,mas se tem dinheiro a história é outra eu passei por isto perdi meu pai e ninguém se movimentou do local pra verificar,Se é pobre é esquecido mas o Rico e declarado luto oficial de 3 dias por isso ODEIO a justiça dos homens eu acredito mesmo e na justiça divina essa nunca falhou a 31 anos que meu pai morreu e até hoje o meu juiz Deus faz juiz a minha Fé de ver cada um dos causadores da sua morte ter a sua hora sem que eu tenha que sujar as minhas mãos.Tenham fé e Deus agirá na hora certa,aqui se faz aqui se paga.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Delegado vc não está vendo que o povo está revoltado e quer ver o dudu preso.

      Excluir
  5. O que mais me assusta em tudo isso é q aquele cidadão da barraquinha assassinado friamente, tinha sofrido uma agressão um dia antes de ser morto, e não foi uma agressão qualquer , o cara teve a orelha decepada, o criminoso Dudu, teria q ter sido preso mesmo antes de cometer o Bárbara crime pela a agressão do dia anterior a morte do cidadão ( a vítima), porque isso não aconteceu? Não houve denúncia por parte da vitima? Ou a policia simplesmente não foi capaz de evitar o pior, vejo q são dois casos totalmente diferentes no modo de agir da policial civil e militar do Maranhão, não falo q a morte desse Geraldo não deva ser investigado e os criminosos presos , mas duvido ser esses pistoleiros for preso hoje ou amanhã mesmo já passado o fragrante eles vão sair pela porta da frente da delegacia, no mínimo eles já tem uma preventiva de 30 dias pronta para quando eles forem presos, e veja bem, a justiça argumentou q não pode pedir a preventiva de Dudu porque o assassinato aconteceu em um fim de semana, mas precisamente em um sábado, só q de Geraldo alagoano também foi em um sábado, vamos esperar os criminosos de q mataram Geraldo ser preso para ver oque vai acontecer .

    ResponderExcluir
  6. O que mais me assusta em tudo isso é q aquele cidadão da barraquinha assassinado friamente, tinha sofrido uma agressão um dia antes de ser morto, e não foi uma agressão qualquer , o cara teve a orelha decepada, o criminoso Dudu, teria q ter sido preso mesmo antes de cometer o Bárbara crime pela a agressão do dia anterior a morte do cidadão ( a vítima), porque isso não aconteceu? Não houve denúncia por parte da vitima? Ou a policia simplesmente não foi capaz de evitar o pior, vejo q são dois casos totalmente diferentes no modo de agir da policial civil e militar do Maranhão, não falo q a morte desse Geraldo não deva ser investigado e os criminosos presos , mas duvido ser esses pistoleiros for preso hoje ou amanhã mesmo já passado o fragrante eles vão sair pela porta da frente da delegacia, no mínimo eles já tem uma preventiva de 30 dias pronta para quando eles forem presos, e veja bem, a justiça argumentou q não pode pedir a preventiva de Dudu porque o assassinato aconteceu em um fim de semana, mas precisamente em um sábado, só q de Geraldo alagoano também foi em um sábado, vamos esperar os criminosos de q mataram Geraldo ser preso para ver oque vai acontecer .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc falou tudo o que eu queria falar

      Excluir
  7. Vamos preder este delegado

    ResponderExcluir
  8. Helton foi morto no final de semana a polícia não foi nei atrás do assassino porque foi no final de semana agora pergunto a polícia porque VCS estão atrás do assassino do Geraldo

    ResponderExcluir
  9. Vejam a movimentação da policia civil e militar para conseguir prender os assassinos do Senhor Geraldo, aposto que em breve estarão presos devido o grande esforço dedicado para tanto.

    No caso do Helton parece que não ouve nenhuma movimentação para preder o bandido, e mais, ao se apresentar foi liberado e saiu pela porta da frente.

    Sabe onde está a diferença? no caso do Helton os polos estão investidos, a vitima era uma pessoas simples, sem boa condições financeira e não tinha grande infuência entre politicos, ja o criminoso é um fazendeiro e parece ter infleuncias.
    No caso do Senhor Geraldo ele (vitima) é que era um fazendeiro de posses e grande infuencia, poe isso tanto esforço da policia para prender os criminosos.

    Não estou menospresando a dor da famìlia, torço para que os bandido sejam presos, só acho que o tratamento deveria ser dado de forma igual em ambis os casos!

    ResponderExcluir
  10. se andar faz rastro se voar faz sobra o tempo passa e a justa justiça ti condena dudu, fica sabendo que esse crime nao vai sair impune!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui se faz aqui se paga,um dia a cobrança chega pro devedor pode acreditar mas antes de TUDO tenha muita fé.

      Excluir
    2. Aqui se faz aqui se paga,um dia a cobrança chega pro devedor pode acreditar mas antes de TUDO tenha muita fé.

      Excluir
    3. Aqui se faz aqui se paga,um dia a cobrança chega pro devedor pode acreditar mas antes de TUDO tenha muita fé.

      Excluir
  11. É uma vergonha essa família desses Alagoanos, bom de criar seus filhos no caminho da verdade e não incentivar ao crime. Deus vai transformar todos vcs, se vcs aceitarem, agora se não aceitarem vão se acabar e ficar na história de uma família que não souberam educar seus filhos. Senhor quebra essa maldição.

    ResponderExcluir