quinta-feira, 19 de abril de 2018

“Odeio essa vida de desabrigada”, escreveu uma adolescente


O blog publica um tocante depoimento encaminhado ao nosso whatsapp por uma jovem que teve sua casa invadida pela enchentes do Rio Mearim e hoje está com a família em um abrigo organizado pela prefeitura de sua cidade. Os nomes não serão divulgados.

“Bom dia, Carlinhos, eu sou aquela menina que te pediu o número do teu whatsapp no dia da visita do governador no alojamento. Eu tava escondida, com vergonha daquele movimento de gente importante... Tem gente que não tá nem aí, come essas quentinhas na frente do outros, se comportam como animais, mas eu não, fico é envergonhada com tudo aquilo. Procurei o nosso cubículo pra me esconder até que o povo do governador fosse embora. Quase me escondi dentro do guarda-roupa, mas minha mãe não iria deixa. Hehehehe.

Eu me sentei na cama, encostei a cabeça nas pernas, encobri meus cabelos com as mãos, os braços, queria me esconder. Aí ouvi alguém falar no seu nome. Tiver uma ideia na hora: ‘vou pegar o telefone dele para depois enviar minha história. Preciso desabafar com alguém o que eu e minha família passa aqui.’ Eu reconheci você no meio do povo, me aproximei e pedi o número. Você me olhou de cima a baixo e tenho certeza que nunca pensou que tava diante de uma desabrigada. Mas eu sou...

Meu amigo, morro de vergonha dessa minha vida de desabrigada.  Já perdi as contas das vezes que vir pra abrigo nas enchentes todos os anos. Tem anos que eu e minha família ficávamos em escola, mas esse virmos parar no ginásio. Quando era criança eu achava até divertido, mas agora, acho horrível! Odeio essa vida de desabrigada! É o dia inteiro de pânico e de vergonha. Só me dou conta do tanto que sou pobre, quando venho parar nesses lugares, no meio de tanta pobreza.

Você deve me achar orgulhosa, tipo, sou pobre e me acho rica... Mas sou assim mesmo, não me acostumo com essa vida, não aceito ela e nunca vou me acostumar e quero superar ela.

Realmente, a verdade é que minha família é muito pobre, não temos para onde ir, não temos dinheiro para alugar uma casa e muito menos para comprar uma casa num local onde não alaga.

Aqui cheira mal, é sujo, os banheiros são precários e somos obrigados a comer esmolas. Terrível.

A minha escola agora ficou mais longe. Daqui pro Santo Antônio é uma pernada. Faço o segundo ano do ensino médio, tenho 16 anos. Consegui trazer todos os meus livros e cadernos, como não tenho muito o que fazer, passo o dia estudando, fazendo trabalhos da escola, mas logo tudo acaba, não tem mais trabalho, o que estudar e só tenho o que me deparar com essa situação em que me encontro.

Nunca mais fui as casas das minhas amigas, estão longe... Basta essa pernada até a minha escola...

A família do meu namorado ofereceu pra eu ficar lá na casa deles, minha cabeça balançou, fiquei morta de vontade, mas depois entendi que não poderia ficar lá e deixar minha mãe, meu pai e meus outros dois irmãos aqui, nesse lugar, sem eu. Não posso abandoná-los, eles nunca me abandonariam. Senti que tinha que ficar com ele, alias, todos anos terei que ficar com eles até que eu vença na vida, compre uma casa de verdade que não alaga todos os anos. Espero que esse dia chegue logo.

Mas o meu namorado, eu o proibir dele vir aqui, já mandei muitos áudios; se ele vir aqui, me encontrar nesse lugar horrível, termino esse namoro na mesma hora. Sou mesmo orgulhosa e nesse ponto sou mesmo resolvida. Tenho vergonha de tudo isso.

Acredita que meu namorado passou de moto e me encaminhou uma foto do lado de fora do ginásio cheio de coraçãozinho. Eu quase desmaio. “Fica longe daqui, do contrário...” Eu disse pra ele.

Esses dias andei chorando muito, fiz uma grande maldade com o meu pai; estou muito arrependida. Teve aquela briga que você botou no blog, aquilo foi horrível, mas acontece toda hora. Mulheres brigam aqui a toda hora, por questão de espaço, de intrigas, tá todo mundo estressado. Aqui é um inferno, mesmo!

A noite eu me desesperei e gritei com o meu pai; eu estava em pânico, me descontrolei muito, disse que ele era o culpado de estarmos naquele local, que não suportava mais aquilo, que iria ficar doida se passasse mais um dia e que ele já deveria ter tirado nós daquele lugar que alaga todos os anos. Como sempre, minha mãe me deu um tapa. É ela que costuma me bater, quando falo demais. E ela tá certa. Meu pai, nunca encostou a mão em mim. Ele só encosta a mão na minha cabeça, me afaga e me manda estudar.

Naquela hora, me joguei na cama e comecei a chorar. Meu pai não disse nada, sentou na cadeira e ficou calado. Ele não saiu daquela cadeira até o amanhecer. Ele não dorme durante a noite, tem que ficar vigiando, porque roubam tudo aqui.

Eu passei a noite em claro e lá madrugada, ouvir alguém chorar. Era meu pai. Eu não acredito, meu pai estava chorando. Eu nuca vi ele chorar... Carlinhos, foi de cortar meu coração. Me sentir a pior pessoa do mundo. Eu fiz o meu paizinho chorar. Me senti horrível e injusta. Eu queria ir onde ele, abraçá-lo, beijá-lo, pedir perdão e dizer que ele é o melhor pai do mundo, que o amo muito e que eu me comportei mal, mas estava embrulhada, envergonhada, me sentindo mal.

Coitado, como posso fazer isso com ele. Ele não merece minhas palavras. Os pais deles eram ainda mais pobres, não puderam dar estudo pra ele. Cresceu sem estudo, casou com minha mãe sem uma profissão certa. Quando me perguntam na escola qual a profissão do meu pai, teve ano que disse que era pedreiro, outro ano disse que era encanador, depois pescador, trabalha em roça... Teve um tempo que era vigia da prefeitura, foi um tempo bom e tranquilo, tinha um dinheirinho certo todo mês, mas foi dispensado.

Todo dia meu pai sai de casa cedo atrás de algum serviço para ganhar dinheiro para o nosso sustento. Tem dia que ele volta com dinheiro, e tudo fica tranquilo. Nesse dia ele fica feliz do jeito dele e a gente sabe que ele tá bem. Ele conversa muito, fala com a gente pra estudar, que os estudo vai dar futuro, essas coisas. Liga a TV e fica assistindo o jornal, o jogo, senta na porta, conversa com os vizinhos, toma café e fica bem até a hora de dormir.

Quando não consegue nenhum serviço, nenhum dinheiro, ele entra calado, e se tranca no quarto. Parece que se esconde do mundo, agora, hoje, eu fico pensando: será se ele chora nessas horas? Meu Deus, ainda vou cuidar dele e de minha mãe e de meus irmãos!

Toda essa dificuldade, toda essa provação, esses roubos, essas confusões, esses cheiro horrível, essa gente mal educada, porque não teve educação mesmo, só me faz ver que amo minha família e vou ficar com ele até o fim.

Não vou fazer o que esse homem fez, aqui na frente, que tirou a própria vida, não vou me vender, vou vencer com muita dignidade, porque tenho uma família que amo e ainda vou tirar eles dessa situação de desabrigados, porque meu amigo, Carlinhos do Blog, pense numa coisa ruim é ser desabrigada!

Olha, era isso que eu queria te dizer, nem sei o que escrevi, aqui tenho muito tempo, passo o dia no what. Meu amigo, não quero te pedir nada, mesmo porque estou cansada desses donativos...

Ah, se eu fosse pedir algo como desabrigada, meu Deus sabe o que eu pediria, eu pediria pra fazer curso de informática na Bomerangue, curso de inglês na Wizard, um emprego no Mateus,  ah, também se fosse pedir, queria donativos era da Flora Modas Ecxorya, CRYZZON CONCEPT, Eclipse Modas, Mart Modas, Marina Modas, MB Boutique, Vitória Modas, Bella Graça Boutique, Gracideth Modas, Cricrof City, amo essas lojas, só vou pra olhar vitrina. Kkkkkk. Também queria ser amiga da Cirene, da Liginha, da Mayane, da Kizzy, conhecer a casa da Kizzi. Mas estou brincando, meu amigo, só sonho, um beijo de sua amiga que tá aqui no abrigo. Muitos corações.

37 comentários:

  1. Tenho certeza que ela não escreveu esse texto 100%

    E mais o blogueiro olha a moça dos pés a cabeça

    E mais se ela clama por dias melhores que estude e deixe esse namoro de mão, senão acabará engravidando e os sonhos irão junto com a enchente

    ResponderExcluir
  2. Tenho essa tal kizzi no meu Facebook ... pense numa mulher linda da porra.

    ResponderExcluir
  3. ESSE BLOGUEIRO ESTÁ VIRANDO UM CONTISTA. QUE SE CUIDE MACHADO DE ASSIS

    ResponderExcluir
  4. Ela também que estudar não tem outra saída

    ResponderExcluir
  5. Tocando e sim o que está acontecendo com todos os ribeirinhos do Maranhão .aos não vi o motivo desse esconder da Visita do Governador ou de quem seja que for pq não é só ela que passa porisso são muitas pessoas e nem porisso elas se escondem ou esconderam .. isso é nossa realidade nos tempo de chuva . Observação não tô julgando e sim falando que não é só ela que passando porisso mais são todos e nem porisso se escondem.

    ResponderExcluir
  6. Nossa!
    Li todo o texto...
    E posso imaginar o que está jovem sente...
    Eu me emocionei muito...
    Mais que o Senhor Jesus em Sua infinita bondade possa dá mais ainda sabedoria a está jovem para que ela vença na vida, assim falou que eh seu sonho e ter uma vida melhor, mais digna, Aidar seus pais, tudo isso sem se vender, sem prejudicar os outros etc....
    Só tenho a LAMENTAR!

    Se eu fosse uma pessoa de posses, realiza pelo menos um sonho desta jovem; dá uma casa pra ela onde não alagasse.
    Só eles sabem o que passam nesses locais como ela mesmo relata.
    Não só com ela, mais com tantas outras jovens daqui, de Trizidela, e de onde o Rio sai causando tudo isso em suas cheias, que mais dolorosas sejam, são também abençoadas!

    ResponderExcluir
  7. Esse desabafo é um trauma de adolescência que precisa ser tratado. Ninguém é melhor ou pior que ninguém, mais ela tem suas razões. Na verdade é muito barulho, brigas etc...

    ResponderExcluir
  8. Sim, graças a Deus que ela ainda tem um lugar pra ir e pessoas de bom coração que tem ajudado a todos os desabrigados!

    ResponderExcluir
  9. O melhor caminho é os livros é estudar dia e noite. Pq nada é impossível para os que buscam

    ResponderExcluir
  10. Menina,faça degraus de sua indignação. E lute muito para mudar essa situação que você não aceita. E fique certa que nada bom vem de forma fácil. Siga os conselhos de seu pai - passei a admirá-lo - pois apesar de não ter muito estudo, ele é sábio o suficiente para te mostrar o caminho a seguir. Que é o caminho dos livros. Que apesar das dificuldade, faz tudo pra não te faltar o pão e o amor de pai, que só é menor que o amor de Deus. E, ainda, o tapa que sua deu não foi uma agressão física, foi apenas a defesa do valor moral de sua família. Isso não fará mal nenhum a você. Pelo contrário, deve servir para voçê ver as coisas mais claramente. E acho que serviu. Pois você relatou a sua vida de forma muito lúcida e clara. Fiquei emocionado. Pois pela forma como você se expressou, se você canalizar toda a sua inteligência e esforço para o estudo, você terá muito sucesso, colherá muitos frutos. E faça tudo sempre com dignidade, com honra e temor a Deus. Pois Deus nunca desampara aqueles que o temem. Ah! Agora se você se decidir pelo caminho dos livros, não tenha medo de lutar, de incomodar. Faça tudo ao alcance de suas mãos para chegar à vitória. Eu, também tenho uma origem humilde, não estudei em escola boa. E para superar isso eu incomodava meus professores pra me ensinar um pouco mais que as aulas do colégio, sentava-me na turma bem perto de um colega com quem eu pudesse aprender um pouco mais, trocava a diversão pelos livros. E te digo que valeu o sacrifício. Sendo assim, lute, lute, lute. E quando achares que estiver cansada, levante e lute mais. Ah! Não saia do foco: os livros, o estudo. E não saia do caminho. O caminho é DEUS. Que Deus te abençoe e te guarde, volte seu rosto para ti e te dê a paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil manter os bons valores hoje em dia. A mídia só tenta jogar a população no mal caminho.

      Excluir
  11. Garota fictícia! O blogueiro gosta de um conto.

    ResponderExcluir
  12. Pois to adorando, nunca mais fiz almoço e nem janta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse negocio de dar cestas básica eu não concordo pois eles estão trabalhando do mesmo jeito se como tivessem nas suas casas até porque o local de Trab deles não foram alagados e eles continuam Trab tinha q dar ajuda era pra arrumar as casas deles depois

      Excluir
  13. Mande áudio que eu não ser não isso é um livro

    ResponderExcluir
  14. Sou uma adolescente, tenho todas essas oportunidades,e infelizmente não dou valor, reconheço. Minha mãe faz maior esforço para eu e meus irmãos ter tudo do bom e do melhor.A gente só cai na real,quando vemos situaçães como essa,e olhamos em nossa volta e vejamos o lugar que estamos,a casa própria,a comida boa,o bairro nobre as roupas de grifes,e alguns cusrso já concluído. Devemos sim,ter mais valor as oportunidades e as coisas boas que temos. E saiba também,que devemos ter o tempo todo GRATIDÃO e mesmo nessas situações devemos agradecer a Deus,que ele sabe de todas as coisas,portanto, continue estudando e sonhando alto, pq nossos sonhos é que nos fazem ser uma pessoa melhor e que tudo passa,logo passa é só aprovações de Deus em nossas vidas. Todos nos passamos por dificuldades,tanto como, fisicamente finaceiramente. E que essa adolescente dê o dobro para seus pais,pois na Bíblia fala "Honrar teu pai e tua mãe para que seus dias prolonguem na terra" é um dos mandamentos! E tenha fé em Deus, ore e agradeça por tudo,pois só ele tem o poder de TUDO,é e continue estudando e sonhando alto. Saiba que uma coisa que ninguém pode tirar é a sua sabedoria, nao pense em namoro agora nao, é apenas momento!

    ResponderExcluir
  15. Essa garota e muito estúpida não sabe aproveitar os pais que tem sente vegonha do pais ela deveria levanta as mãos por céu e agradecer a Deus por ter uma casa e não viver na rua ter pai irmãos que estão juntos e um namorado que a importa com ela
    Sinto vegonha dessa jovem por ter feito seis pais chorar você quem deveria carregar essa culpa nas costas e você que tem vegonha e você que si importa com que outras pessoas falam.
    Importante é ter coração e semtse amada e ser apessoa que seu pai quer que seja

    ResponderExcluir
  16. Esse é um dos grandes problemas da atualidade - o descrédito da informação. A gente não sabe se deve compadecer da situação da adolescente, que apesar da situação é capaz de escrever uma narrativa comovente, mas com um fio de esperança, especialmente por meio de seus estudos, ou se blogueiro, esperto como ele, tá dando uma de Fernando Pessoa, criando mais um heterônimo em busca de mais acesso para o seu bem sucedido Blog, diga-se passagem. De qualquer maneira, se a narrativa for da adolescente, desejo que seus sonhos sejam realizados e que logo logo, possa voltar para sua casa. E se for criação do Carlinhos, como muitos cogitam, sugiro que estenda suas atividades relacionadas à escrita - tem futuro.

    ResponderExcluir
  17. Caso seja veridica esta história é lamentável, mas ao mesmo tempo pode ser história de muitos desabrigados daquele local, fiz uma visita naquele abrigo e tive uma percepção emotiva, pois ali mesmo sendo um abrigo coletivo é o que está ao alcance da prefeitura que faz por esse povo menos favorecido. Mas o que me chamou a atenção foi uma família de umas 5 pessoas entre elas um bebê de meses, completamente sufocante porque o calor gerado pelas lonas é horrível,é assim com várias famílias, sou acessor de um político da cidade, mas concordo que um lugar como aquele não é adequado pra abrigar famílias, naquelas condições tão precária, mas é o que o poder público faz. Registro minha indignação.

    ResponderExcluir
  18. Essa menina tá totalmente equivocada. Qual é a indignidade em ter a casa alagada? Ter pai pobre? Tem vergonha de suas raízes e esconde? Diz que estuda, mas se contradiz afirmando que passa o dia no Whatsapp. Tem prazer em ver vitrine e almeja ser amiga de fulana é beltrano... que vazia. Escute, nasci em Pedreiras, morei nas Ruas: Independência, da bosta (mudou o nome), crescencio raposo, golada, goiabal, etc. Fui alagado várias vezes, comi farinha seca distribuída com mofo, torrava pra comer. Minha mãe era solteira, apanhava de todos os meninos da rua. Quando sai de Pedreiras, aos 18 anos somente com o primário, minha mala era uma cx de papelão. Resumo, hoje sou gerente de um órgão federal, sem interferência política, por mérito. Já ministrei palestras em vários estados, em Brasília/DF e nunca, mas nunca mesmo, escondi o meu passado. Tenho alegria em lembrar o meu passado, inclusive, conto a minha história sem omitir e negar qualquer detalhe, em qualquer lugar onde vou... Tenho orgulho. Mantenho todos os contatos e amigos daquela época. Sou feliz hoje porque sempre o fui. Felicidade independe do que você possui. Garota, você não é mais pobre do eu fui. Você deveria ter vergonha é se o seu pai não fosse honesto, parece que ele é trabalhador e correto, não tem riqueza maior. Pare de lastimar, de culpar o seu pai e mãe. Estes são péssimos hábitos, você está moldando o seu caráter e este definirá o seu destino. Seja feliz, agradeça o pai e mãe trabalhadores, que alguns não tem. Sorria é a vida devolverá. Não fique parada, vá à luta.

    ResponderExcluir
  19. Se for essa daí da foto, eu resolvo o problema dela, é só casar comigo que ela não fica mais alagada.

    ResponderExcluir
  20. Triste mas lamentável. Mas tudo na vida passa. Deus nunca da uma cruz que no podemos carregar.

    ResponderExcluir
  21. essa garoota tem cabeça de vento, so pensa em riqueza, quer ser amiga dos riquinhos e tem vergonha de ser pobre. se levar uma boa cantada vai ser puta de empresario.

    ResponderExcluir
  22. Ate que eu comovido no começo!
    Mas fala serio no final ela so falou de pessoas ricas de lojas de luxo.
    Eu nao vou mentir, eu vejo tanta gente pobre e de espírito tanta gente querendo ser o que nao é! Luxo nao leva ninguem pra lugar nenhum beleza um dia se acaba! Ah o carater, o carater e para sempre!

    ResponderExcluir
  23. Tu nao quer conhecer tbem o.
    Bill Gates nao!
    O Neymar kkki

    ResponderExcluir
  24. O futuro que ela quer estar bem longe a realidade.Está deslumbrada a um mundo ilusório quer uma vida de luxo sitando lojas que eu que sou proprietária de estabelecimento comercial não costumo comprar e posso comprar mas a minha realidade e meus costumes foram outros, tenho valores que o dinheiro não compra e ela pede doação simplesmente de lojas de luxo da cidade me cortou o coração enchi os olhos de lágrimas quando recrimina o pai por ser pobre gente esse pai chorando imaginei o que ele não pensou o que passou pela cabeça desse homem e essa garota crucificando -o ,garota d mas valor a seus pais aceite a vida que Deus lhe deu tente ser melhor e só assim será uma pessoas melhor,não gostei dessa sua observação moça desabrigada.




    Ah, se eu fosse pedir algo como desabrigada, meu Deus sabe o que eu pediria, eu pediria pra fazer curso de informática na Bomerangue, curso de inglês na Wizard, um emprego no Mateus, ah, também se fosse pedir, queria donativos era da Flora Modas Ecxorya, CRYZZON CONCEPT, Eclipse Modas, Mart Modas, Marina Modas, MB Boutique, Vitória Modas, Bella Graça Boutique, Gracideth Modas, Cricrof City, amo essas lojas, só vou pra olhar vitrina. Kkkkkk. Também queria ser amiga da Cirene, da Liginha, da Mayane, da Kizzy, conhecer a casa da Kizzi. Mas estou brincando, meu amigo, só sonho, um beijo de sua amiga que tá aqui no abrigo. Muitos corações.

    Para sua informação se essas pessoas hoje tem nome não foi porque ficou em casa reclamando da vida que tem siga o exemplo delas e vá a luta.

    ResponderExcluir
  25. Não deve ser fácil para uma adolescente pobre ver tudo o que não pode possuir. Mas essa garota realmente tem uma visão distorcida do que realmente importa na vida. Tem pai, tem mãe, irmãos, namorado, amigos...e quer ganhar donativos de roupa de luxo. Parece a moça que não pode usar o bolsa família pra comprar uma calça de mais de 300 reais. Hoje com tantas redes sociais, as pessoas acreditam que vida boa é a do outro, quando tem tanto e não valoriza. Moça, se você realmente existir, esquece um pouco o whatsapp e vai estudar mesmo, não só fazer tarefas de casa. Procure mais informações, leia livros, pratique sua ortografia porque ainda comete muitos erros não esperados pra quem já está no ensino médio. Só fazer as tarefas pode até te fazer passar de ano e futuramente arrumar um emprego de um salário mínimo, que infelizmente, não dá nem pra alimentação, quanto mais pra comprar uma casa numa boa localização. Procure mais, leia mais, se informe mais, assista jornais, deixa as redes sociais de lado, pra quem sabe, fazer um curso superior, passar num concurso público e poder dar uma vida melhor para seus pais, que tanto se esforçam e não são reconhecidos. Como alguém acima falou, você só deveria ter vervonha de sua família se fossem bandidos. E quando sentir vontade de pedir perdão a um deles, vá. Você não imagina a dor de querer pedir perdão depois que a pessoa já se foi.

    ResponderExcluir
  26. ESSA HISTÓRIA É INVENTADA PELO CARLINHOS SÓ PRA DA IBOP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então o Carlinhos merece é o premio nobel por inventar e escrever uma história tão emocionante como essa. Toda vez que eu leio ela começo a chorar

      Excluir
  27. Carlinhos cada dia que passa fica mais mentiroso. Coloca cada mentira aqui só pra ganhar audiência. Cuidado com o diabo, ele pai da mentira. Não queira da lugar a ele.

    ResponderExcluir
  28. Gente deixem de criticar o blogueiro verdade ou não foi proveitosa a postagem eu particularmente dei minha opinião .sempre leio o blog e estar certo de usar todo e quaisquer conteúdo que nos faça refletir Carlinhos amo seu blog o blog de Mayane amo uma boa noticia algo que nos faça parar pra pensar e o blog tem mesmo que ter de tudo.

    ResponderExcluir
  29. Tenho 40 anos e sempre quando tinha enchente fui desabrigada, e nem por isso tive esses pensamentos dessa ilnudida, da é pena uma itaria dessa se passar pelo papel de besta, pra fazer propaganda para os patrocinadores do blog😉viram isso?
    É muito fácil encontrar gente desse tipo inludida kkkkkk
    Fui desabrigada sim muitos anos, mas estudei passei no concurso, tenho emprego, comprei uma casa num lugar onde não alaga e estou tranquila😉e não me revoltei com o curso do rio não afinal é a natureza. Deus tenha compaixão dessa pobre ilundida👐👐👐👐👐👐

    ResponderExcluir