sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Bolsonaro pede que seguidores apaguem críticas a ele no Facebook por causa da escolha de Aras para PGR

'Eu peço a vocês. No Facebook, você fez um comentário pesado, retira, dá uma chance para mim', apelou o presidente



BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro usou a transmissão ao vivo semanal na internet, na noite desta quinta-feira, para se defender das críticas que começaram a surgir entre seus apoiadores, principalmente após ele oficializar a indicação do subprocurador Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República. No vídeo, Bolsonaro chegou a pedir a quem votou nele para apagar os comentários negativos que fizeram na página dele no Facebook.

"Eu peço a vocês. No Facebook, você fez um comentário pesado, retira, dá uma chance para mim. Você acha que eu quero colocar alguém lá para atrapalhar a vida de vocês? Não quero" — apelou.

Antes, o presidente disse que deixaria de ver os comentários na rede social que estavam o "esculhambado." Bolsonaro pediu ainda que as pessoas dessem uma chance para conhecer Aras antes de sair "atirando em cima" dele.

"Se o pessoal atirar em cima de mim, sem dar a oportunidade para o Augusto Aras, caso ele seja aprovado em sabatina no Senado, mostrar o seu valor. Pelo amor de Deus, aí fica ruim a convivência" — disse, completando em seguida: — "Como tenho dito, eu devo lealdade ao povo, mas não a lealdade cega que está do outro lado."

Bolsonaro voltou a dizer que escolheu um novo procurador que tenha nota 7 em todos os quesitos, e não apenas 10 no combate à corrupção. Ele pediu um voto de confiança para quem votou nele e até "fez inimizades."

"Eu peço a você que acredita em mim, que continue acreditando até que eu prove o contrário, me dá esse voto de confiança. Você que votou em mim de graça, que trabalhou, que fez inimizades, que gastou dinheiro, que foi pra rua, que não queria mais o PT, não queria o que ficou em terceiro e quarto lugar, continue me dando esse voto de confiança".  disse.

O presidente fez a transmissão ao lado dos ministros Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), André Luiz Mendonça (Advocacia-Geral da União) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União). O ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, participou também dos primeiros minutos da live no qual o presidente justificou os vetos ao projeto de abuso de autoridade. Bolsonaro lembrou que seus votos podem ser derrubados pelo Congresso.

"É do jogo democrático. A palavra final depende do Congresso" — observou.

Fonte - O Globo

6 comentários:

  1. Antes de fazer isso consulte o povo primeiro depois que coloca eh que vem pedir apoio primeiro seja transparente dizendo quem vai colocar para trabalhar pelo povo senão o povo vai perder a confiança e isso eh igual virgindade depois que perde não tem mais jeito fica a dica

    ResponderExcluir
  2. Tá faltando transparência na hora de combinar isso com o povo que o elegeu ou o povo não merece confianca

    ResponderExcluir
  3. Tem que ser mais transparente senão o povo se volta contra vc presidente cuidado que sua batata tá assando nos votamos em você e queremos que dee nome aos bois antes de fazer as apresentações de novos subordinados

    ResponderExcluir
  4. Bem feito quer fazer as coisas do jeito dele depois vem se humilhar pedindo para retirar comentários

    ResponderExcluir
  5. Citu,numca,mereceuum,voto,de,comfianca,nao,e,agora,quer,vai,merecer

    ResponderExcluir
  6. Ditadorzinho barato, continua fazendo campanha, vc é o presidente, oh incompetente.

    ResponderExcluir