Compartilhe essa Notícia:

Vítima durante entrevista à imprensa local
Uma mulher, que não quis se identificar, compareceu hoje (17) na 14ª Delegacia Regional de Pedreiras, afirmando que sofre constantes agressões e ameaças por parte do companheiro, identificado como Antônio dos Santos, natural do interior de Santo Antônio dos Lopes.  

Na última quarta-feira (11), o agressor chegou na casa da vítima visivelmente alcoolizado. Após quebrar vários objetos, ele teria pego uma chave de fenda para agredí-la físicamente, apontando e pressionando o objeto no rosto e no pescoço da mulher. 

“Ele só não me matou mesmo porque no dia eu escondi as facas antes dele chegar. Ele chegou a dizer que ia dar um fim em mim, que ia me humilhar. Desde essa quarta-feira que estou muito nervosa, sem conseguir dormir direito com medo dele me matar”, disse a vítima, que mora há 2 anos com o homem.

Após ser preso na última quarta, ele passou três dias na Delegacia Regional de Pedreiras. No sábado à tarde ele foi liberado e voltou de surpresa para a casa da vítima. Na ocasião, Antônio teria afirmando que uma pessoa o ajudou a pagar R$ 2.600 do valor da fiança para ser liberto. 

Porém, a vítima não se sente bem sabendo que o agressor está livre. Ela compareceu na Delegacia da Mulher de Pedreiras em busca de um pedido de medida protetiva contra o acusado, pois segundo ela, o mesmo continua fazendo ameaças. “Ontem, lá no Mutirão, no Zequinha Apolinário, tinha uma pessoa que me conhece bastante e avisou que ele andou falando coisas do tipo 'aquela vagabunda, eu só vou me aquietar quando eu matar ela', disse a mulher. 

Confira a entrevista completa: 




- Com informações da TV Ouro Vivo
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

4 Comentários

  1. Pega esses 2600 compra um 38 e dar p ela resolver!
    Se for esperar pela Justiça ela tá lascada!

    ResponderExcluir
  2. Sai de perto desse satanás antes que seje tarde

    ResponderExcluir
  3. A medida protetiva é um pedaço de papel que serve somente para gerar emprego na burocracia estatal e a ilusão para o/as retardado/as. Todo dia alguém é morto ou agredido em posse da tal medida protetiva e não aprendem que isso não protege ninguém?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. É complicado essa situação no papel é uma coisa na prática é outra completamente diferente. Essa mulher tem se manter atenta às ações desse desequilibrado. Um absurdo isso..

      Excluir

Informe da ALEMA