Compartilhe essa Notícia:

Promotor de Justiça, Xilon e a Juíza de Direito Urbanete
O Conselho de Sentença do Tribunal de Juri Popular da Vara Única da Comarca de Esperantinópolis condenou o réu, Fabrício de Paiva Brito, a 7 (sete) anos e 11 (onze) meses de prisão, acusado de ter assassinado Antonildo Bezerra de Morais, a serem cumpridos, inicialmente, em regime semiaberto na Penitenciária Regional de Pedreiras. A juíza Urbanete de Angiolis Silva, titular da unidade, presidiu a sessão, realizada ontem (16).

O crime aconteceu no dia 9 de junho de 2013, na rodoviária de Esperantinópolis, quando depois de uma discussão o acusado atingiu a vítima com golpes de faca, ocasionando a morte de Antonildo.

Segundo o Ministério Público Fabrício teria agido de forma violenta, perversa e covarde, quando destruiu a vida de uma pessoa indefesa, pois alem da desvantagem física, o fato se desenrolou de modo cruel.

O promotor de justiça Xilon de Sousa Junior falou do resultado da sentença "O Ministério Público sai da sessão de julgamento com a sensação de dever cumprido, por ter conseguido apresentar seus argumentos aos jurados de forma clara e direta, proporcionando aos juízes da causa a segurança necessária para julgar de acordo com suas convicções. Nesses casos, a decisão do Conselho de sentença representa uma mensagem de toda a sociedade, no sentido de que não se deve tolerar atos violentos tais como aquele que foi julgado pelo júri de Esperantinópolis. O Ministério Público reafirma o compromisso de estar sempre em busca da aplicação da justiça de maneira efetiva", afirmou.

Fonte: Carlos Barroso
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

7 Comentários

  1. O vandalismo nas escolas públicas de Esperantinópolis principalmente nos povoados tem sido caso de polícia o problema eh que ninguém tem coragem de fazer a denuncia os professores são omissos e despreparados pal tal cargo a pergunta eh porque a Prefeitura não faz concurso público para que pessoas capacitadas exerçam as funções exigidas no cargo chega de Nepotismo chega de impunidade .

    ResponderExcluir
  2. Chega de vandalismo nas escolas por favor investiguem essa admnistração que deixa rolar solto a baderna e a péssima qualidade de ensino precisamos de pessoas capacitadas e de alunos educados só isso .

    ResponderExcluir
  3. Vandalismo nas escolas também eh crime chega de impunidade.

    ResponderExcluir
  4. Nepotismo tambem eh crime chega de impunidade.

    ResponderExcluir
  5. Se li errado, alguém me corrija, o cara causa uma morte violenta e pega só, eu li só 7 anos, e ainda no semiaberto, isso é pena ou piada?... se ele mata o cachorro de quem morreu, ao invés do dono, apena seria maior, sou a favor dos anos, 50 , 60 e 70 do seculo xx, ninguem esperava por justiça, ia lá e se vingava na hora

    ResponderExcluir
  6. oh se todo congresso tivessi a as idéias de papai bolsonaro ahhhh se eles aprovassi tudo dele ahhhh como seria bom um júri segundo as ideias dele

    ResponderExcluir
  7. Pessoal, na boa, o judiciário brasileiro é uma piada. O crime ocorreu "depois de uma discussão o acusado atingiu a vítima com golpes de faca, ocasionando a morte". A pena é simbólica, só pra dizer que não foi feito nada. Gasta-se um monte de recursos públicos com juízes, procuradores, estrutura física, administrativa, etc, pra um resultado desses? Brasileiros, precisamos mudar a forma de pensar e as leis. Não é possível desejar "justiça social" com passividades e omissões.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA