Compartilhe essa Notícia:

A manifestação nesta sexta-feira (18) foi contra a interrupção de tratamentos por falta de recursos. Direção do hospital afirma que repasse de verbas foi realizado e atendimentos serão normalizados.
Familiares se reuniram em frente a Biblioteca Benedito Leite, na Praça Deodoro em São Luís (MA) 

Pais, amigos e parentes de pacientes que estão em tratamento no Hospital Aldenora Bello, referência contra o câncer no Maranhão, realizaram um protesto nesta sexta-feira (18) em frente a Biblioteca Benedito Leite, em São Luís. A manifestação foi contra a interrupção de tratamentos por falta de recursos.

Durante o protesto, os manifestantes alegam que muitos pacientes estão com a quimioterapia interrompida há meses e que as cirurgias já foram adiadas mais de uma vez. Eles foram informados que o problema pode ser resolvido na próxima semana, com a chegada da verba de uma emenda parlamentar que deve cobrir somente a demanda que está atrasada, mas temem que o problema não seja resolvido.

A filha de 12 anos de Eunice Santos, possui um câncer na cabeça e há mais de 30 dias está sem realizar o atendimento. Ela teme que o tratamento da filha seja comprometido por conta do problema e pede uma solução.

“Um mês e 18 dias sem minha filha fazer quimioterapia e desde segunda (14) que a radioterapia não funciona e a gente está querendo uma solução. É difícil demais, eu peço para o poder público, os governantes que lutem e que olhem por elas, por todos que estão no Aldenora”, disse a dona de casa.
Sede do Hospital Aldenora Bello em São Luís (MA) 
A maior parte dos atendimentos no hospital Aldenora Bello é custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). São R$ 4,5 milhões de reais destinados para uma despesa que ultrapassa os R$ 5,5 milhões mensais. Por conta disso, o problema que inicialmente afetava somente as crianças em tratamento, já começou a atingir os adultos.

De acordo com Antônio Dino Tavares, presidente em exercício da Fundação Antônio Dino, que administra o hospital, disse que o convênio com o Governo do Maranhão já foi retomado e, em aproximadamente 15 dias, os atendimentos serão normalizados. Além disso, ele afirmou que os compressores de ar já estão sendo resolvidos para que as cirurgias sejam retomadas em breve.

“A gente retomou o convênio e uma parcela foi paga uma semana atrás mais ou menos e hoje, está sendo paga outra parcela. Vai conseguir manter e normalizar os serviços por aproximadamente 15 a 20 dias”, afirma Antônio Dino Tavares.

Além disso, o presidente alega que o hospital possui um déficit mensal por causa da tabela do SUS que está defasada desde 2009. Antônio Dino Tavares afirma que está buscando ajuda do governo do Estado para complementar o recurso necessário e atender pacientes de todo o Maranhão.


“Acreditamos que a solução definitiva desse problema passa pelo Fundo Estadual de Combate ao Câncer. Então, o que nós vamos fazer é levar um projeto de custeio para os conselheiros, para que eles analisem e aprovem caso eles acreditem que esse é o caminho, de custeio par ao hospital Aldenora Bello”, explicou.


Fonte: G1
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA