Compartilhe essa Notícia:

Acusado recebeu a pena de 21 anos de reclusão Foto: Blog do Coutinho/ Reprodução

Nessa quarta-feira (04), foi realizado na Comarca de Pedreiras, o júri popular do réu confesso, Francisco da Silva Sousa, 31 anos, referente ao feminicídio praticado no dia 27 de março de 2016, contra sua ex-companheira, Silvana Lima Sousa, na cidade de Trizidela do Vale.

A juíza titular da 3º vara da comarca de Pedreiras, Dra. Larissa Tupinambá, sobre o júri presidido, afirmou que foi conseguido fazer inquirição das testemunhas e o interrogatório do acusado no sistema áudio visual, além dos fatos decorrerem de uma forma límpida, pontos esses que contribuíram para a agilidade na decisão da condenação.



A tese apresentada pela defesa do acusado foi o reconhecimento de uma causa de diminuição de pena, além de reconhecerem que o mesmo era o responsável pelo crime, logo, não houve grande divergências.

Dra. Larissa Tupinambá afirmou: “O júri acolheu a tese do ministério público de homicídio duplamente qualificado, tanto pela futilidade do motivo, porque ele realizou o crime, por ela ter se recusado a reatar o relacionamento, e também pelo feminicídio, já que eles tiveram uma relação íntima de afeto por nove anos, e chegaram a morar juntos.” 

O promotor de justiça Dr. Gustavo Dias, esteve representando o Ministério público. Já a defensoria foi realizada pelos advogados Dr. Pedro Edílson e Dr. Plácido Arrais. O acusado recebeu a pena de 21 anos de reclusão.


Juíza titular da 3º vara da comarca de Pedreiras, Dra. Larissa Tupinambá. Foto: Blog do Coutinho/ Reprodução

Com informações Tribuna 101

Sobre o caso

Silvana Lima Sousa, 27 anos, foi assassinada com quatro tiros a queima roupa, na tarde do dia 27 de março de 2016, por volta das 17h. O crime aconteceu próximo ao destacamento de Polícia Militar de Trizidela do Vale.

Após assassinar a ex-esposa, o acusado fugiu para a cidade de Bacabal, onde ficou escondido até ser preso pela equipe de investigadores da 16ª Delegacia Regional, no dia 19 de julho 2017. Na época em que foi preso, o réu alegou que matou a ex-esposa por ciúmes.

Saiba mais

Mulher assassinada com quatro tiros em Trizidela do Vale
https://www.carlinhosfilho.com.br/2016/03/mulher-assassinada-com-04-tiros-em.html

PM apreende a arma que possivelmente matou Silvana em Trizidela do Vale
https://www.carlinhosfilho.com.br/2016/04/pm-apreende-arma-que-possivelmente.html

Homem que matou a ex-esposa em Trizidela do Vale em 2016 é preso pela Polícia Civil em Bacabal nesta quarta
https://www.carlinhosfilho.com.br/2017/07/homem-que-matou-ex-esposa-em-trizidela.html

Dona Preta: "Minha filha não traia o marido e não mereceu a morte que teve"
https://www.carlinhosfilho.com.br/2017/07/dona-preta-minha-filha-nao-traia-o.html
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

4 Comentários

  1. Se cumprir muito da aqui a 5 anos, esse infeliz está na rua. Achei pouco a condenação merecia no mínimo 30 anos.

    ResponderExcluir
  2. No brasil a unica pena e pra quem morre, pq esse ai daqui 5 anos já estara na rua, vai arrumar outra mulher e viver sua vida.

    ResponderExcluir
  3. No próximo "indulto" ele sai da prisão e fará o que quiser, inclusive, matar de novo. Ah, retornará à prisão se quiser, se não quiser será considerado "foragido", porque a lei lhe garante o direito de fugir, e a polícia que não decidiu p#@#$ nenhuma será responsabilizada pela povo "eternamente em berço esplêndido". Tudo continuará do mesmo jeito: futebol, novela, festa e bebida.

    ResponderExcluir
  4. podia ter levado a condenação máxima que hoje e de 40 anos

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA