Compartilhe essa Notícia:


A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) divulgou Carta Aberta ao Congresso e a Nação Brasileira na qual defende o cancelamento das eleições municipais deste ano e a unificação dos mandatos com a realização de um pleito geral, para os cargos de presidente, governador, senador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador, em 2022.

O documento, assinado pelo presidente da entidade, prefeito Erlanio Xavier (Igarapé Grande), também leva a chancela da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Movimento Mulheres Municipalistas (MMM) e de associações microrregionais de municípios que representam prefeitos e prefeitas maranhenses.

A Federação apresentou como justificava para proposta uma série de dificuldades causadas pela pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19).

São algumas delas:

- há inúmeros prazos a serem cumpridos, em atendimento à legislação eleitoral, que obrigam o afastamento dos servidores, em especial daqueles que atuam nas áreas da saúde e assistência social, nesse processo de crise sanitária e que nutrem a expectativa de concorrer;

- o distanciamento social obriga a permanência de cidadãos com mais de 60 anos a se manterem afastados do convívio social, o que inviabiliza sua presença em convenções partidárias, campanhas eleitorais e até mesmo na eleição;

- na última eleição, apenas 18% dos atuais prefeitos foram reeleitos, sendo que 82% tem o direito de tentar renovar o mandato;

- a legislação eleitoral impõem uma série de restrições que impedem o pleno atendimento das urgências do momento em face da pandemia;

- o risco para democracia é gravíssimo já que a participação popular será tolhida pelo medo da infecção;

- as pré-convenções partidárias e as convenções partidárias, previstas no calendário eleitoral para serem realizadas no período compreendido entre 20 de julho a 05 de agosto, já não poderão contar com o debate entre pré-candidatos e convencionais;

- é totalmente inoportuna a gastança com campanhas e com o próprio pleito que, segundo estudos, chegam a valores em torno de 3,5 a 4,5 bilhões de dólares, pois estes recursos precisam ser destinados para suprir as deficiências do sistema de saúde e possibilitar que mais vidas sejam salvas.
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

6 Comentários

  1. CONCORDO TAMBÉM
    NÃO PODE TER OLIMPÍADAS E PODE TER ELEIÇÕES.
    EM 2022 JÁ FAZIA SÓ UMA DESPESA.

    ResponderExcluir
  2. Desde qye o mandato não fique na mão do prefeito atual por mim tudo bem

    ResponderExcluir
  3. Já estão com esse papo de novo?
    Tavam pra ficar doido pra mudarem as eleições pra 2022, não conseguiram, já estão aproveitando a onda do coronaviros pra tentar de novo!
    Só vejo o desejo de continuar mamando nas tetas do governo!
    Pq não colocam eleições pela internet?
    Já q tudo se faz pela internet, cadastro do bolsa família, auxílio emergencial, inscrição do Enem, e muitas outras coisas!

    ResponderExcluir
  4. Ah, com isso, concordo plenamente!

    ResponderExcluir
  5. O ministro do TSE Barroso não sabe nem o que é FAMEM, que foi criado só pra desviar mais dinheiro público!

    ResponderExcluir
  6. Claro que os deputados ñ aceitam, mesmo porque vai compromer a eleição deles, o candidato a prefeito vai pedir voto pra ele, o vereador quer saber se o povo vota nele já que a eleição é uma disputa acirrada para prefeitos e veteadores

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA