Compartilhe essa Notícia:

Idaspe Perdigão 

O blog do Carlos Barroso (Esperantinópolis) informou que “saiu no diário oficial do Estado do Maranhão do dia 03 de julho de 2020, a publicação da demissão das funções de Delegado de Polícia Civil, do senhor Idaspe Perdigão Freire Junior. Ele atuou em Esperantinópolis, quando foi preso acusado de usar a delegacia como ‘balcão de negócios ilícitos.’  

Perdigão, que ficou preso por vários meses, responde o processo em liberdade vigiada através de tornozeleira eletrônica, e enviou uma nota em resposta a postagem do blogueiro Carlos Barroso. Em sua nota, ele revela que só aceita a demissão assinada pelo governador Flávio Dino e não de um delegado como ele, no caso delegado Jefferson Portela, secretário de Estado da Segurança Pública, e que poderá seguir carreira como dentista ou vereador de Barra do Corda.

"(...)

 O processo criminal ao que respondo a todos os atos, normalmente, ainda está em tramitação, portanto não estou incluso no rol de condenados, do que ainda restará recurso, em que pese minha confiança em uma decisão judicial favorável de uma autoridade judicial isenta e imparcial.

Segundo, o ato de exoneração não foi assinado pelo Excelentíssimo Governador, conforme prevê a lei, mas sim pelo Secretário Jeferson Portela, que é político militante do PCdoB, partido ao qual também estou filiado como pré-candidato a vereador em minha cidade, Barra do Corda no pleito de 2020, tendo sido o ato de demissão conferido por delegação de poderes via decreto, portanto questionável judicialmente, o que faremos em tempo.

E para não expender demais, sou conhecido e reconhecido como Idaspe Perdigão Freire Júnior, Bacharel em Direito pela UFMA, Cirurgião-Dentista pela UFMA, com inscrição regular no CROMA, especializado em Ortodontia e também em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial pela ABCD/PI e pequeno pecuarista.

(...)

Por fim, trago ao conhecimento de amigos e familiares que estou pronto para prosseguir a vida lançando mão das qualificações profissionais que Deus me confiou, qualquer que seja ela, sem lamentar perda ou ganho salarial, por que cônscio de que desta nada levaremos a não ser o sentimento de bem cumprida a missão de servir ao próximo, fazendo-o como o maior carinho possível porque não nascemos autoridades da lei, mas sim filhos de Deus. Minha gratidão a todos e a Ele até mesmo pelas minhas penúrias porque delas tirei e tiro meus mais relevantes ensinamentos. Obrigado!"

Perdidão é o segundo delegado expulso dos quadros da polícia civil no governo Flávio Dino, o primeiro foi Tiago Bardal. (veja aqui ).


Mais

Imirante: Em agosto de 2018 Idaspe Perdigão foi preso por supostas irregularidades envolvendo veículos apreendidos e outros procedimentos realizados na delegacia de Esperantinópolis. No mesmo ano, em setembro, ele teve a prisão relaxada via habeas corpus, sendo determinado o uso de tornozeleira eletrônica, mas em janeiro de 2019 perdigão voltou a ser preso por desobedecer as regras de uso do equipamento.

Delegado da Polícia Civil é demitido do cargo em Esperantinópolis



⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

4 Comentários

  1. Muito bem governador Flávio Dino. 👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  2. Vai ser vereador. É o cargo mais alusivo ao motivo da expulsão do mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Ainda é pre candidato o povo hj nao sao mas otario nao seu ze. tem de ser exonerado até da política.Brasil tem de criar leis para esses serem afastados de imediato de cargos publícos.

    ResponderExcluir
  4. Com a expulsão ele fica alçado pela Lei dos Ficha Suja. Ou seja, está inelegível.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA