Compartilhe essa Notícia:


No último sábado (11), um homicídio foi registrado nas proximidades de um bar da Rua Sérgio José, localizada no Bairro Jerusalém em Trizidela do Vale. A vítima foi Joel Morais Costa, de 31 anos, morto à facadas.

O suposto autor do homicídio, identificado apenas pelo apelido de "Buruzinho", teve um desentendimento com a vítima que, de acordo com o relato de testemunhas, se tratou de uma discussão banal associada ao uso de drogas.

De acordo com informações, no último domingo (12) ele se apresentou espontaneamente na 14ª Delegacia Regional de Pedreiras. Buruzinho, que já tem passagens pela Unidade de Ressocialização (Presídio) de Pedreiras, foi ouvido pela autoridade policial e logo liberado, porém, as investigações continuam e ele poderá responder pelo crime de homicídio.

O crime

Momentos antes do homicídio, Buruzinho foi à residência de parentes para pegar uma faca. Ele se dirigiu primeiramente à casa de um tio, que não abriu o portão, e logo em seguida foi a casa de outro familiar, onde arrebentou a porta e invadiu a residência para pegar a arma branca.

Ao retornar para onde a vítima estava, Buruzinho desferiu três facadas em Joel, atingindo o tórax, braço e as costas. 

A vítima foi socorrida por uma ambulância e levado para o Hospital Dr. João Alberto em Trizidela do Vale, sendo transferido em seguida para o Hospital Geral de Peritoró, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.


⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

7 Comentários

  1. O que cai acontecer com o marginal ???Nada,absolutamente nada.

    ResponderExcluir
  2. cara mata se apresenta e logo vai liberado!

    ResponderExcluir
  3. Agora se fosse um cidadão que matasse um bandido, aí sim 30 anos de prisão

    ResponderExcluir
  4. Os bandidos conhecem mais as leis que os próprios juízes kkkkkk

    ResponderExcluir
  5. É por isso que existe a vingança, pois a justiça está sempre do lado do criminoso.

    ResponderExcluir
  6. Passou do flagrante o cara se apresenta a justiça foi ouvido e liberado porque a lei do Brasil permite

    ResponderExcluir
  7. preso e o que morreu não ta pre se defender

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA