Compartilhe essa Notícia:

Vídeo

Uma audiência remota para analisar o pedido de concessão de liberdade provisória para um réu natural do município de Pedreiras (MA), ganhou enorme repercussão no estado de Mato Grosso, diante da inesperada citação do advogado da família da vítima. Dr. Janone da Silva Pereira mencionou a naturalidade 'maranhense' do acusado, como fator para ele ter cometido o crime de assassinato. No dia 16 de junho de 2019,  na cidade de Ipiranga Do Norte, Mato Grosso, o pedreirense, Romário Silva de Gois, matou o gaúcho, Renan Fernando Zabot, de 21 anos, com três facadas, depois de flagrar sua esposa com a vítima em ato de traição. 

“Não entrando em raças, em etnias, mas se comprovam que matam pessoas; as pessoas são violentas, os maranhenses são violentos,” afirmava o advogado de acusação na audiência remota.

Ao assistir a alegação, o advogado de defesa, Dr. Bismarck Salazar, protestou imediatamente e repreendeu o colega com veemência.

“Eu não admito, excelência,  a forma como Dr. Janone se comporta! Respeita ao povo maranhense, deve respeito ao povo maranhense, isso mostra o motivo do réu ter fugido (por não acreditar que no Mato Grosso teria um julgamento justo...)”, protestou o advogado que mora em São Luis Gonzaga do Maranhão.

A magistrada interveio na discussão e solicitou que Janone concluísse suas alegações.

Assista no vídeo.

O advogado da família da vítima, não voltou atrás de sua declaração descriminatória e seguiu acusando o pedreirense pelo crime, reafirmando que o mesmo não merece a concessão de liberdade provisória.

“Que a justiça seja feita”, concluiu Dr. Janone.

O Ministério Público também entendeu pela manutenção da prisão fechada para o maranhense.

Por outro lado, a juíza Emanuelle Chiaradia Navarro Mano, da Comarca de Sorriso (MT), responsável pelo caso, deu ganho de causa para o advogado Bismarck Salazar e concedeu liberdade provisória para o pedreirense Romário.

Em sua decisão, a magistrada citou que o acusado sempre trabalhou com carteira assinada e não tinha antecedentes criminais, desqualificando a alegação do advogado Zanone, que os maranhenses são sempre violentos. 

“Tal presunção é corroborada através da comprovação de que o acusado sempre laborou com carteira assinada, não havendo, qualquer outra indicação ou fato que desabone sua conduta social, conforme se verifica inclusive dos documentos constantes nos autos”, escreveu a magistrada.

Bismarck Salazar comentou sobre a conduta do colega Zanone.

"Como advogado, ele não poderia de forma alguma generalizar, afirmar que os maranhenses são violentos, é um preconceito e discriminação, inclusive ele vai ser representado pela OAB, por se comportar de forma preconceituosa e discriminatória", pontuou Dr. Bismarck Salazar. 

Bismarck Salazar esclareceu que por se tratar de vídeo conferência, ele defendeu o réu pedreirense em seu escritório, em São Luís Gonzaga do Maranhão e externou que 

“Parafraseando a letra de Belchior, ‘eu sou apenas um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco, e moro numa pequena cidade chamada São Luís Gonzaga do Maranhão’; mas humildemente ganhamos a causa na bonita e rica cidade de Sorriso, em Mato Grosso; com muito orgulho de ser maranhense, me emocionei, lá, uma cidade repleta de gaúchos, os maranhenses sofrem com preconceitos, acusam-nos de sermos brutos e cruéis, mas mostramos outro lado, o que aconteceu acontecem em qualquer sociedade; lembro que me alertaram que seria uma causa difícil ou até impossível de ser conquistada, mas mais uma vez vencemos, e em decorrência da declaração infeliz do colega advogado, eu estendo essa vitória a todo o povo do Maranhão", concluiu o advogado Bismarck Salazar.   

Dr. Bismarck Salazar

Entenda mais sobre o caso



O pedreirense Romário e sua vítima, o gaúcho Renan
Homem descobre suposta traição, mata jovem em Ipiranga e acaba preso no Maranhão

Crime foi registrado no município de Ipiranga do Norte

Romário Silva, 30 anos, foi preso suspeito de matar o jovem Renan Fernando Zabot, de 21 anos, no município de Ipiranga do Norte. A vítima foi assassinada a facadas no último domingo (16.062019). Após o crime, o suspeito fugiu para o estado do Maranhão, onde foi preso nessa quarta-feira (19.06.2019).

De acordo com o delegado Nilson Farias, responsável pelas investigações, o crime teve motivação passional. Romário, após descobrir uma suposta traição da esposa, foi à casa de Renan e o matou a facadas, segundo a polícia. A esposa do suspeito também estava no imóvel quando o crime ocorreu.

Após o homicídio, o casal fugiu para o Estado do Maranhão. Conforme as investigações, no último domingo, a esposa do suspeito disse que iria ao trabalho. Porém, o marido leu uma troca de mensagens íntimas e descobriu que a mulher se encontraria pela primeira vez com o suposto amante na casa dele.

Ao chegar na residência da vítima e encontrar a esposa e o rapaz, Romário teria se descontrolado e atingiu Renan com cerca de quatro golpes de faca.

Segundo o delegado, a esposa do suspeito não responderá pelo crime, uma vez que ela não desejava a morte do rapaz.

“Nós fizemos a apreensão dos celulares. Por meio de conversas em aplicativos, verificamos que existia um contato da vítima com a esposa do suspeito do crime. A Polícia Civil já tinha representado pela prisão, aguardava a decisão judicial, e informamos a outras forças de segurança que também nos auxiliaram nesse cumprimento de prisão”.

Romário foi detido após ser abordado por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O casal fugiu para Pedreiras

O suspeito de ter matado a facadas o jovem Renan Fernando Zabot, 21 anos, foi identificado como Romário Silva de Gois e foi preso no dia 19 de junho de 2019,  na BR 010, no município de Porto Franco/MA.

Os policiais já tinha a informação que foi abordado o veículo que um indivíduo chamado Romário tinha cometido um homicídio no dia (17/06), na cidade de Ipiranga Do Norte, Mato Grosso, e estava fugindo para o Maranhão em um carro HB20S, cor branca, que era conduzido por outra pessoas identificada pela iniciais D. Q. da S. e tinha como passageiros mais duas pessoas A.S. C. e uma mulher irmã do suspeito. O carro foi alugado pela família de Romário que reside em Pedreiras.

Quando perguntado sobre o crime Romário confessou que, após luta corporal, assassinou a golpes de faca um indivíduo de nome Renan Fernando Zabot, sob alegação de que este, insistentemente, assediava esposa.

Em seguida ao fato, iniciou fuga com destino à cidade de Pedreiras, no Maranhão, em companhia de sua esposa, onde residem os familiares de ambos. Romário Silva de Gois  foi encaminhado foi  transferido para a cidade de Sorriso.


⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

7 Comentários

  1. Conheço o trabalho jurídico de Dr. Salazar muito competente

    ResponderExcluir
  2. Esse advogado é duro, meu filho bfoi assistido por ele.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Dr. Bismarck

    ResponderExcluir
  4. Eu saí daqui pra trabalhar em Sorriso MT e vi o que é ser tratado com preconceito. A cidade é formada praticamente de gaúchos, existe um bairro só pra maranhenses (São Domingos) uma verdadeira segregação!
    Eles precisam da nossa força de trabalho, mas não confiam em ninguém do Nordeste.

    ResponderExcluir
  5. O certo e separar da mulher esse corno ainda voltou pro Maranhão já que teve morte na minha opinião eu matava a mulher que e mais sem vergonha da situação.

    ResponderExcluir
  6. Dr. Bismarck parabéns, nós orgulhamos de você.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA