Compartilhe essa Notícia:

Imagem do adolescente enquanto agia para invadir uma residência

Na 14ª Delegacia Regional de Pedreiras, uma mulher que teve seus objetos furtados por um adolescente faz visitas frequentes aos policiais, a fim de que seja tomada uma atitude em relação ao infrator. A casa dela foi invadida na noite do último domingo (16), e desde então, não só ela como também a família do adolescente insiste para ele seja apreendido imediatamente, a fim de que possam ter algum sossego.

A mãe do jovem também já solicitou uma ação da polícia várias vezes. Cansada de ter os objetos da casa levados pelo menor, que é dependente químico, ela abandonou a casa, deixando-o sozinho no local.

Apesar das constantes denúncias dos familiares e das vítimas, o único empecilho é o mandado de apreensão que deve ser expedido para que o jovem possa ser contido. As vítimas desaprovam essa situação, e acreditam que a demora da Justiça em resolver o problema só torna outras pessoas mais vulneráveis.

"Esse vagabundo entrou na minha casa, tem tudo gravado, todas as provas. Até a mãe e o tio dele vieram aqui na delegacia, ele já levou dois aparelhos celulares e uma caixa de som de mim, depois disso tudo não foi feito nada. Eu preciso muito de uma providência da Justiça, em nome de Jesus, para prendê-lo logo. Se não for feito nada, ele vai invadir minha casa de novo, e se isso acontecer a gente vai se defender.", disse a vítima. 

Outros familiares do adolescente também se mostraram dispostos a entregar o jovem, uma vez que eles também já foram vítimas dos furtos constantes. Veja a matéria completa sobre o caso aqui: 

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

3 Comentários

  1. A melhor prisão para vagabundo e morte

    ResponderExcluir
  2. Só tem um jeito pra ele, cortar no aço, deixa ele entrar aqui em minha casa

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente, eu tenho a impressão de que a inteligência coletiva (isso pra não nominar) é retardada ou é inferior à média. As pessoas estão atrás de providências e responsabilizando gratuitamente. Não existe prisão perpétua em nossa legislação. O crime que ele cometeu é de "menor potencial ofensivo", no popular "não dá em nada". Ele é "DE MENOR", tem quase licença pra prática de pequenos delitos. Finalmente, isso era pra não existir já que os pobres do Brasil acabaram.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA