Compartilhe essa Notícia:

Informações são do Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) de monitoramento diário


Até 15 de outubro, segundo o Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Maranhão acumulou 11.772 focos de queimadas. Esse quantitativo o coloca atualmente em 4º lugar no país, nesse quesito, e supera o total registrado em 2019, quando foram contabilizados 11.759 focos.

À frente do Maranhão estão Mato Grosso, com  44.143 focos; Pará, com  29.350; e Amazonas com 15.873. Mato Grosso do Sul vem em quinto lugar com 11.486 focos. Outra informação, é que embora o número de focos no Maranhão tenha ultrapassado o do ano passado, neste mês de outubro, até o dia 15, foram registrados 2.058 focos, 31% a menos do que o registrado em setembro, quando foram detectados 2.981 focos.

Dentre os 10 municípios brasileiros com mais focos acumulados nos últimos 5 meses está o município maranhense de Alto Parnaíba  com 279 focos nos últimos dias. De acordo com o Boletim de Monitoramento de Queimadas no estado do Maranhão realizado na quinzena de  16 a 30 de setembro, Alto Parnaíba já aparecia, naquele período, com o maior número de focos, 186, registrando portanto, um aumento de  50% em relação à segunda quinzena de setembro.

O segundo semestre é marcado pelo alto índice de queimadas por todo o Brasil. A época de poucas chuvas e fortes ventos é propícia para as queimadas. Segundo informações do Imesc, com a função de “limpeza do terreno” para plantações e criação de áreas de pastos, pequenos agricultores e pecuaristas realizam queimadas sem a devida liberação ambiental, mesmo com trabalhos de melhorias técnicas e decretos proibindo as queimadas. Essa prática pode provocar queimadas sem controle, que podem atingir diversos hectares de vegetação, produzindo vários impactos ambientais.

O governo do estado tem executado o Programa Maranhão sem Queimadas desde agosto em todo o Estado, com o combate e  prevenção de queimadas e dos focos de fogo, que afetam diretamente a saúde da população maranhense. O Programa já passou pelas cidades de Mirador, Balsas, Barra do Corda, Caxias e Imperatriz.

Segundo o Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBMMA), um trabalho específico é desenvolvido especialmente nos meses de agosto, setembro e outubro, época de maior incidência de queimadas. Vale lembrar que estamos em período de estiagem e, conforme o Núcleo Geoambiental, da Universidade Estadual do Maranhão, em dezembro deve haver a ocorrência de chuvas em algumas regiões do estado.

Para realizar denúncia sobre incêndio florestal ou queimadas sem autorização do órgão ambiental entre em contato com a Ouvidoria da SEMA (98) 3194-8900 – ramal 8910. Em caso de emergência contate 193 – Corpo de Bombeiros.

Maranhão

Queimadas últimos 5 anos

2020 – 11.772

2019 – 11.759

2018 – 9.548

2017 – 17.118

2016 – 15.222

Últimos 5 meses

Outubro – 2.058

Setembro – 2.981

Agosto – 1.025

Julho – 667

Junho – 198

Fonte - O Imparcial

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA