Compartilhe essa Notícia:

País contabilizou 12.227.179 casos e 301.087 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa. Marca de diagnósticos no último dia é a segunda maior da série histórica.


No dia em que bateu a triste marca de 300 mil mortes por Covid-19, o Brasil volta a registrar um número que chama atenção para o ritmo acelerado no contágio pela doença. Foram 90.504 novos casos confirmados nesta quarta-feira (24) o segundo maior registro em um dia até aqui - atrás apenas do anotado no dia 17/3, quando chegou a 90.830.

Com isso, desde o começo da pandemia 12.227.179 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 75.250 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +8% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos.

(Correção: O G1 errou ao informar que o país havia registrado recorde no número de novos casos de Covid. O registro desta quarta foi o segundo maior da série histórica. A correção foi feita às 20h15.)

É o que mostra novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h de quarta.

O Brasil registrou 2.244 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta quarta-feira (24) 301.087 óbitos desde o início da pandemia. A média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias chegou a 2.279. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +34%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

Já são 63 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de 1 mil; pelo décimo sétimo dia a marca aparece acima de 1,5 mil; e o país completa agora 8 dias com essa média acima da marca dos 2 mil mortos por dia.

Após 25 recordes seguidos na média móvel de óbitos, o índice aparece menor do que o da véspera, impactado pela alteração implementada na inclusão de dados no sistema do Ministério da Saúde - mudança que foi suspensa no mesmo dia.

Ao menos cinco estados relataram ao consórcio problemas com a mudança do ministério que podem ter impactado na contabilidade dos registros de casos e mortes. São eles: Goiás, Paraíba, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Em SP, por exemplo, estado com os maiores números, a secretaria afirmou que a alteração "burocratizou" a inserção de dados e foi realizada sem aviso prévio, fazendo com que muitas cidades não conseguissem registrar todos os óbitos. Com isso, foram anotados 281 óbitos no estado, um dia após o recorde de mais de 1 mil em um só dia.

Veja a sequência da última semana na média móvel:

Quinta (18): 2.096 (recorde)

Sexta (19): 2.178 (recorde)

Sábado (20): 2.234 (recorde)

Domingo (21): 2.255 (recorde)

Segunda (22): 2.298 (recorde)

Terça (23): 2.349 (recorde)

Quarta (24): 2.279

Vinte estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: PR, RS, SC, ES, MG, RJ, SP, DF, GO, MS, MT, AC, TO, AL, BA, CE, PB, PE, PI, RN e SE.

Brasil, 24 de março

Total de mortes: 301.087

Registro de mortes em 24 horas: 2.244

Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 2.279 (variação em 14 dias: +34%)

Total de casos confirmados: 12.227.179

Registro de casos confirmados em 24 horas: 90.504

Média de novos casos nos últimos 7 dias: 75.250 por dia (variação em 14 dias: +8%)


Fonte - G1

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

2 Comentários

Informe da ALEMA