Compartilhe essa Notícia:

O senador votou sim a favor do auxílio. Entenda mais na matéria.


Desde ontem (8) a turma bolsonarista está infestando os grupos das redes sociais com Fakes News (notícias falsas) de que o senador Weverton Rocha (PDT) votou contra o auxílio emergencial. Isso não procede. 

Através de uma nota, o senador refutou essa mentira deslavada, propagada por pessoas que estão preocupadas com seu projeto político para 2022. Weverton votou a favor, e essa já é uma bandeira que ele levanta há bastante tempo, inclusive com uma proposta para que o valor seja de R$ 600. 

O tema é tratado dentro da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/2020 – a chamada PEC Emergencial, que o Plenário do Senado Federal aprovou em dois turnos na quinta-feira (4), e que a Câmara dos Deputados vai analisar na próxima semana, também em duas votações.

A proposta permite ao governo federal pagar o auxílio em 2021, por fora do Teto de Gastos do Orçamento e do limite de endividamento do governo federal.

O senador maranhense observou que a PEC recebeu vários destaques e, um deles, o do Auxílio Emergencial, teve o seu voto favorável. Ele lembrou que valor, a duração e a abrangência do novo auxílio ainda serão definidos pelo governo federal.

Weverton Rocha declarando apoio ao auxílio emergencial

“É preciso esclarecer que votei a favor do auxílio na PEC 186, votei contra apenas o arrocho do funcionalismo”, explicou Weverton.

Segundo o pedetista, como o texto teve vários destaques, ele se posicionou contra a proposta que trava o serviço público e contra o valor do teto dos gastos, com o benefício de R$ 44 milhões, inferior ao valor de 2020. 

Weverton enfatizou que isso pode reduzir as parcelas e quantidade de pessoas que irão receber. “Sempre defendi o valor de R$ 600 para todos os que precisarem. Vivemos um momento de crise e reduzir a parcela vai prejudicar muita gente. Muitas pessoas estão sem poder trabalhar e o só possuem este recurso para sobreviver”, declarou. 

"Nossa luta não vai parar. O auxílio tem que ser pago por mais tempo, para mais pessoas e no valor de R$ 600”, continuou.

SERVIDORES PÚBLICOS

O senador revelou, ainda, preocupação com parte do texto aprovado na PEC que limita reajuste e progressão para servidores públicos. “Estão criminalizando os servidores públicos, o que é um absurdo, porque é o serviço público que garante saúde, educação e assistência para a população mais pobre”, frisou.

Ele também lembrou que, ao sustar a possibilidade de concurso, a medida adia o sonho de milhares de jovens concurseiros que estão aguardando uma oportunidade de trabalho. Ele também ressaltou que a maior parte do funcionalismo não ganha altos salários e a medida do governo federal prejudica grupos importantes para o país, como professores, policiais e profissionais de saúde.

“É possível garantir o auxílio de R$ 600, sem esse ajuste fiscal que paralisa o serviço público. Em 2020, o decreto de emergência relatado por mim garantiu o auxílio, e agora em 2021 apresentei um projeto prorrogando esse decreto”, acrescentou o senador.

Matéria publicada pelo Jornal Pequeno em que Weverton manifesta seu apoio pela medida do auxílio emergencial. (1/2)


(2/2)

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

3 Comentários

  1. Votou contra o MACRO LEGAL DO SANEAMENTO TAMBÉM

    ResponderExcluir
  2. https://especiais.g1.globo.com/politica/2019/o-voto-dos-senadores/?_gl=1*7w6xlq*_ga*YW1wLXJmM3ZjSkRXZGNNbWVxeEFQdktScm1IVG1UazZBbE1PenNsWnRENllwaGVBX2oyQWFZemYzMWg3R2JGYlZhVXM.#/projetos/pec-emergencial-2-turno/

    ResponderExcluir
  3. Sêja pêlo Brasil, contra.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA