Compartilhe essa Notícia:


Desde janeiro, o Governador Flávio Dino (PCdoB) e o Secretário de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo, previram que a segunda onda de coronavírus no Maranhão poderia levar o estado e os municípios a viver o colapso de oxigênio que viveu a cidade de Manaus, no Amazonas.

Após garantir usinas de oxigênio para o hospital de campanha de Imperatriz no estado de Goiás e também para o hospital de São Luís com o mesmo fornecedor, o Secretário Simplício Araújo iniciou imediatamente diálogo com duas grandes empresas que produzem oxigênio nas suas plantas industriais alinhado com o Governador Flavio Dino.

Na última sexta-feira (19), numa emergência já ocorrida na grande ilha, Simplício Araújo acionou a Diretora Rakel Dourado, da Suzano e numa operação emergencial já fora disponibilizado 38 mil metros cúbicos em dois caminhões enviados pelo Presidente da Emeserh, Marcos Grande, até a planta da Suzano em Imperatriz.

A articulação do Secretário de Industria, Comércio e Energia garantiu a doação um estoque de mais de 800 (oitocentos) mil metros cúbicos na AVB, siderúrgica instalada em Açailândia e na Suzano Papeis e Celulose, na cidade de Imperatriz.

O estoque traz tranquilidade no abastecimento de oxigênio da rede estadual de saúde e será também importante para os municípios maranhenses.

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA