Compartilhe essa Notícia:

O benefício da saída temporária foi concedido pela Justiça para 700 internos do sistema prisional do estado. Apenas 668 retornaram.

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) confirmou que 32 presos não retornaram às unidades prisionais após a saída temporária de Natal no Maranhão. Ao todo, a Justiça concedeu o benefício a 700 internos, desses, 668 retornaram.

Os detentos beneficiados saíram no dia 21 de dezembro e precisavam retornar às unidades prisionais até as 18h do dia 28 de dezembro (terça-feira). Os que não comparecerem no prazo determinado passarão a ser considerados foragidos.

Entre as exigências a serem cumpridas pelos beneficiados com a saída temporária estão:

- Fornecer o endereço onde reside a família ou onde poderá ser encontrado no gozo do benefício;

- Não frequentar bares, festas e/ou similares

- Se recolher, no endereço informado, no período noturno.

Ano passado o benefício foi concedido para 1.058 presos, 42 não retornaram aos presídios.

A saída temporária está prevista na Lei de Execuções Penais (Lei 7.210/84), do artigo 122 ao artigo 125, e podendo ser concedida a condenados que cumprem pena em regime semiaberto, que destina-se para condenações entre quatro e oito anos, não sendo casos de reincidência. Nesse regime de cumprimento de pena, a lei garante ao recuperando o direito de trabalhar e fazer cursos fora da prisão durante o dia, devendo retornar à unidade penitenciária à noite.

Em regra, as saídas temporárias previstas no artigo 122 da LEP, são concedidas cinco vezes por ano, com duração de sete dias cada. As datas convencionadas par que as saídas aconteçam são Páscoa; Dia das Mães; Dia dos Pais; Natal/Ano Novo.

Veja, abaixo, a nota da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) na íntegra:

"A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) informa que dos 700 internos beneficiados com a ‘Saída Temporária de Natal’, que deixaram as unidades prisionais do Estado na terça-feira (21), destes 668 retornaram e 32 não cumpriram o prazo de retorno, sendo 18 deles, do Complexo Penitenciário São Luís.

Os custodiados que não retornaram e não cumprirem a determinação estão sob pena de regressão de regime e outras sanções." 

Fonte: G1

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

7 Comentários

  1. É bolsonaro e Laércio Bomfim 2022

    ResponderExcluir
  2. Brasil, país da vagabundagem

    ResponderExcluir
  3. Se eleitos forem em 2022 qdo for na Páscoa de 2023 será mais 2 que não voltam ao presídio

    ResponderExcluir
  4. Tem que botar na cadeia esse bosta desse presidente tambem

    ResponderExcluir
  5. Os que não retornam são considerados "legalmente" foragidos. Os custos financeiros, sociais e dos crimes eventuais serão assumidos pela sociedade omissa e passiva.

    ResponderExcluir