Compartilhe essa Notícia:

O advogado Romualdo José de Carvalho Nogueira Filho que atropelou quatro pessoas no último domingo (12), na porta do Shopping da Ilha, bairro do Maranhão Novo em São Luís, foi posto em liberdade na tarde da última segunda-feira (13), após audiência de custódia.

A decisão do juiz Antônio Donizete Aranha Baleeiro considerou que não há elementos para manter a prisão do homem, por isso concedeu a liberdade provisória.

O magistrado concedeu uma série de medidas que devem ser cumpridas por Romulado Nogueira enquanto estiver cumprindo a liberdade a provisória.

Dentre as medidas estão: não se ausentar de São Luís por mais de 15 dias, comparecer todo mês do CIAPIS e informar suas atividades, proibição de frequentar bares, clubes, shows, espetáculos, festas e outros ambientes de consumo coletivo de bebida alcoólica e recolhimento domiciliar noturno das 21h00 às 06h00, nos dias úteis; e integralmente nos finais de semana e feriados.

Estado das vítimas após o acidente

Romualdo José foi enquadrado no Artigo 303 do Código de Trânsito Brasileiro, que responsabiliza o motorista de veículo automotor de lesão corporal culposa, ou seja, quando não há a intenção de provocar as lesões.

Romualdo Nogueira Filho se recusou a fazer o teste de bafômetro, após o acidente, e optou por ficar em silêncio na delegacia.

Uma das quatro vítimas, Cintya Fernanda dos Santos Mondego, de 40 anos, está internada em estado grave no Socorrão II, com fratura exposta na perna após o acidente, e risco de perda de mobilidade.

Uma colombiana 35 anos teve lesões leves no quadril, enquanto outra mulher sofreu um corte na coxa esquerda e lesão na cabeça. Já uma jovem de 19 anos teve apenas escoriações pelo corpo.

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

12 Comentários

  1. É possível que o dr possa beber, desde que não seja em ambiente de consumo coletivo. Atropelar de novo? Façamos nossas preces, visto a lei inócua dos homens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu avisei que ele não ia passar muito tempo preso! Os feridos que se lasquei infelizmente.

      Excluir
  2. Só pq é advogado ñ existe a lei seca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sabia que isso acontecer, aqui é uma terra sem lei

      Excluir
  3. Em quando isso uma das vítimas corre o risco de perder o movimento do corpo,era pra justiça no mínimo fazer esse advogado pagar os tratamentos das vítimas, provavelmente estava sobre efeito de bebida alcoólatra, já k se negou a fazer o teste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No mínimo era pra ele passar uma vida preso

      Excluir
  4. Por causa disso não julgo que. Faz justiça com as próprias mãos

    ResponderExcluir
  5. Justiça Brasileira é uma palhaçada

    ResponderExcluir
  6. Não foi preso só pq é advogado é?

    ResponderExcluir
  7. É inadmissível cintia uma moça trabalhadora que sustenta a família mãe de dois filhos. E agora como fica essa situacao

    ResponderExcluir