Compartilhe essa Notícia:


O desembargador Ney Bello, do TRF-1, acabou de conceder uma liminar para soltar o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e estendeu sua decisão aos outros quatro presos na operação de quarta-feira.

São eles os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, o ex-assessor da Prefeitura de Goiânia, Helder Diego da Silva Bartolomeu, e o ex-assessor de Ribeiro no MEC, Luciano de Freitas Musse.

 Bello concedeu o habeas corpus impetrado pelos advogados de Ribeiro, no início da tarde desta quinta, até o julgamento de mérito pelo colegiado da Terceira Turma deste Tribunal Regional Federal da 1ª Região. De ofício, ou seja, por iniciativa própria, ele ampliou os efeitos da liminar aos outros indiciados presos.

 Mais cedo nesta quinta, o desembargador plantonista Morais da Rocha já havia rejeitado o pedido da defesa do ex-ministro, afirmando que os advogados não haviam apresentado os documentos necessários para comprovar “constrangimento ilegal” na prisão.

 Em nota, a defesa de Ribeiro diz que “felizmente, a ilegalidade foi reconhecida e, a prisão, revogada“.

 “A defesa aguarda o trâmite e a conclusão do inquérito, quando espera que será reconhecida a inocência do ex-ministro”, diz o advogado Daniel Bialski.

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

12 Comentários

  1. Se fosse um pé rapado tava morvando na cadeia.. eita Brasil q pode tudo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. País da corrupção é assim, sempre soltando bandidos.

      Excluir
  2. Muito estranha essa prisão em um país que não prende nem depois de condenado em segunda instância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é corriqueiro. Cumprir mandado de prisão cautelar sem apresentar o teor da decisão é corriqueiro. Por uma falha elementar, a muito preparada PF comete, mais uma vez, erro primário

      Excluir
  3. Só quem fica na cadeia é gente pobre.uma lei mal feita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem realmente deveria estar preso não está, e tem provas suficiente.

      Excluir
  4. Ou seja o esquema de corrupção é grande,tem muito juíz e desembargador bandito também, só pra soltar esses corruptos abertamente pagou esse desembargador com o dinheiro da corrupção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com esse caso, vemos como a justiça brasileira está perdendo cada vez mais a pouca credibilidade que detinha; Réu condenado em três instâncias livre, baseado em provas adquiridas ilegalmentes, e suspeito presos sem flagrante, meses depois da denúncia!! Uma vergonha a politicagem do judiciário.

      Excluir
  5. SE NOTA AÍ A DIFERENÇA ENTRE UM DESMBARGADOR ESTUDADO E UM JUIZ QUE FEZ 100 VEZES CONCURSO SER APROVADO, POR ISSO ATROPELOU O DIREITO E SEUS FUNDAMENTOS PARA UMA RPSIÃO PREVENTIVA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem era pra está na cadeia, era José Dias Toffoli que recebeu propina de 3 milhões do Ex: governador Sérgio Cabral.

      Excluir
  6. Louvado seja Deus pela soltura do ex Ministro Milton. Quanto aos pastores safados, enganadores de fiéis, que voltem para as celas depois de condenados.

    ResponderExcluir