Compartilhe essa Notícia:


O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), respondeu hoje à reportagem da TV Globo que divulgou uma menção ao seu nome na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio de Janeiro, e do motorista dela, Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018. 

Em transmissão nas redes sociais, Bolsonaro se isentou de responsabilidade pelo crime e fez duras críticas à imprensa, sobretudo a TV Globo, pelas reportagens que envolvem não apenas ele, mas também seus familiares. Ele ainda insinuou que as informações do processo, que está sob sigilo, teriam sido vazadas pelo governador Wilson Witzel (PSC).

"O governador Witzel que se explique agora como vazou esse processo", disse Bolsonaro. 

O porteiro do condomínio onde morava Bolsonaro à época disse em depoimento que alguém com a voz "do seu Jair" autorizou a entrada de um dos suspeitos da morte da vereadora no dia do crime. Bolsonaro, no entanto, neste dia estava na Câmara dos Deputados, segundo registro de presença da Casa consultado pela reportagem da Globo.

De acordo com a TV Globo, o caderno da única portaria do Vivendas da Barra foi analisado pela polícia e apontou um visitante no local na noite do crime. No mesmo condomínio, vivia o policial militar reformado Ronnie Lessa, apontado pelo Ministério Público e pela Polícia Civil como o autor dos disparos que mataram Marielle e Anderson. O suspeito teria anunciado ao porteiro que visitaria Bolsonaro, mas se direcionou para a casa de Lessa. 

"Seus patifes da TV Globo! Seus canalhas! Não vai colar! Não tinha motivo para matar quem quer que fosse no Rio de Janeiro", bradou Bolsonaro, que isentou o porteiro. "Tenho certeza de que o porteiro não sabe o que assinou", acrescentou.

"Estou à disposição para falar nesse processo, conversar com esse delegado sobre esse assunto, para começar a colocar em pratos limpos o que está acontecendo no meu nome. Por que estão querendo me destruir?", questionou Bolsonaro durante a transmissão desta noite.

Bolsonaro disse que não conhecia Marielle e que não tinha nenhum motivo para querer matar alguém. O presidente afirmou ainda que o porteiro pode ter assinado o depoimento sem ler.

"O que cheira isso aqui, o que parece é que ou o porteiro mentiu, ou induziram o porteiro a cometer um falso testemunho, ou escreveram algo no inquérito que o porteiro não leu e assinou embaixo em confiança ao delegado, ou a quem que foi ouvir na portaria. Qual intenção disso tudo? A intenção é sempre a mesma. O tempo todo ficam em cima da minha vida, dos meus filhos.", disse o presidente.

Fonte: Notícias UOL
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

9 Comentários

  1. A única intenção da Rede Globo é fazer a mesma coisa que fez com o Lula durante a investigação da Lava Jato.Prendeu Lula e vai prender você .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O diferença e que o lula tinha 3 mil paginas de provas nas costa, já o Bolsonaro não tem nenhuma.

      Excluir
  2. Galera na boa só queria lembrar aos PTralhas que não existe terceiro turno vão ouvir a música de trio parada dura "aceita que dói menos " nem cocaína no avião presidencial vcs souberam colocar era só ter calculado assim poxa se Bolsonaro quando era um simples militar nunca foi pego com cocaína porque só agora isso daria certo vão procurar os amiguinhos da Venezuela pra pedir asilo que eh bem melhor .

    ResponderExcluir
  3. Babacas Lula não vai sair da cadeia isso eu garanto

    ResponderExcluir
  4. Dinossauro e Lula na prisão já .

    ResponderExcluir
  5. Paulo Guedes novamente 2022.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA