Compartilhe essa Notícia:


O deputado federal Hildo Rocha comemorou a promulgação, por meio do Decreto 10.287, do Acordo internacional entre países do Mercosul para reconhecimento de cursos de graduação realizados pelos países componentes do bloco.

“Em meio a tantas notícias ruins, eu trago uma boa notícia. O presidente Jair Bolsonaro editou o Decreto 10.287/2020 que promulga o acordo internacional entre os países do Mercosul e associados. Por meio desse ato o Brasil reconhece a existência do credenciamento regional chamado de Arcu-Sul. Assim, quem faz curso de graduação em qualquer país do Mercosul ou países associados, terá a garantia de que ao terminar o curso o seu diploma terá validade no Brasil”, destacou Hildo Rocha.



Acreditação de Cursos no Sistema Arcu-Sul

O Sistema de Acreditação Regional de Cursos de Graduação do Mercosul (ARCU-SUL) é resultado de um Acordo entre os Ministros de Educação de Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Chile, firmado em San Miguel de Tucumán, em 30 de junho de 2008, no âmbito da XXXV Reunião do Conselho do Mercado Comum do Mercosul.

Sistema Arcu-Sul oferece garantia pública, entre os países da região, do nível acadêmico e científico dos cursos. O nível acadêmico será estabelecido conforme critérios e perfis tanto ou mais exigentes que os aplicados pelos países em seus âmbitos nacionais análogos.



Hildo Rocha disse que o acordo já tinha sido confirmado pelo Congresso Nacional. Agora, o presidente Jair Bolsonaro promulgou. O sistema que executa a avaliação e acreditação de cursos universitários é gerenciado pela Rede de Agências Nacionais de Acreditação, no âmbito do Setor Educacional do Mercosul.

“O próximo passo será a criação da Agência Nacional de Acreditação para que as autoridades brasileiras possam reconhecer os cursos existentes em todos os países do Mercosul e associados. É uma boa notícia. A crise existe mas, vai passar e dias melhores haveremos de ter em nosso país”, concluiu Hildo Rocha.


⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

2 Comentários

  1. amigo peça para esse cara colocar esses cursos no rabo dele....um momento louco desse, e esse mané falando nisso....agora amigo poste nossa posição....

    ResponderExcluir
  2. Reconhecer cursos de pessoas , que sem nenhum preparo, maioria semi_analfabetos, estudando em faculdades sem nenhuma credibilidade, usadas por esses países como fontes de renda, tomar vagas de pessoas que se sacrificaram , noite e dia estudando no Brasil, é o fim da picada, é acabar com o estímulo, motivação de milhões de pessoas. Esses políticos brasileiros, na sua maioria, possuem titica de galinha no célebro, não enchergam um palmo a frente do nariz, querem é ganhar voto a qualquer custo, se perpetuarem no poder, mesmo que tenham que matar a própria mãe!

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA